• Notícias
  • Clube
  • Futebol
  • Serviços
  • Clube de Vantagens
  • Inter Store
    Associe-se

    Gurias Coloradas: História

    Histórico da modalidade no Inter

    O Sport Club Internacional sempre foi um entusiasta do futebol feminino. O Clube deu início às atividades da modalidade em 1983 e, em 1987, conquistou o terceiro lugar no Campeonato Brasileiro. Durante vários anos não existiram relatos no Rio Grande do Sul de outra instituição apoiando a prática do esporte entre as mulheres com estrutura comparável à colorada. Em 1996, por iniciativa de Eduarda Luizelli (Duda), o Inter retomou o esporte para, em 2000, sagrar-se campeão da Copa Sul. No ano seguinte foi bicampeão, vencedor da Copa Cidade de Gravataí e, uma vez mais, medalha de bronze no Brasileirão.

    Pujantes, os resultados alcançados ao longo das temporadas que encerraram o Século XX tiveram como consequência a convocação de atletas coloradas para a Seleção Brasileira. As primeiras chamadas para vestir a camisa canarinho, em 1999, foram Sônia e Maria. Depois, em 2002, Priscilla, Solange, Rosana Maria e Karina representaram o Brasil. No mesmo ano, o Inter conquistou o tetracampeonato gaúcho em cima do seu maior rival. Já em 2003, o Clube do Povo foi campeão dos Jogos de Porto Alegre nas categorias mirim, infantil e juvenil, além do segundo lugar na infanto. De sua parte, a equipe adulta conquistou o tricampeonato do Metropolitano, enquanto, ainda na base, vieram o título brasileiro infantil, o pentacampeonato estadual e o Torneio Emancipação para o infanto-juvenil, que ainda alcançou o vice-campeonato nacional.

    Em 2004 o Inter voltou a ceder atletas para a Seleção Brasileira. Na ocasião, Rosana e Solange foram convocadas para formar a equipe que disputaria os Jogos Olímpicos de Atenas. As jogadoras conquistaram a medalha de prata para a categoria, sendo derrotadas apenas na decisão, por 2 a 1, para os Estados Unidos.

    Surgem as Gurias Coloradas

    Patrocinador/Apoiador:

    Após um período sem atividades, o departamento de futebol feminino foi novamente ativado no ano de 2017, em movimento que antecipou a obrigatoriedade da Conmebol, que entraria em vigência a partir de 2019. Vinculada à vice-presidência de Relacionamento Social e tendo a ex-atleta Duda Luizelli como coordenadora técnica, a modalidade vem, desde então, consolidando-se cada vez mais como um projeto de exemplo para o Brasil. Em pouco mais de duas temporadas, as Gurias Coloradas, como são carinhosamente chamadas por Clube e torcida, ascenderam em uma caminhada de dar inveja a qualquer clube do cenário nacional.

    Assim que reativado o departamento, os passos inaugurais foram dados com a contratação de uma comissão técnica formada por treinadora, preparadora física, fisioterapeuta e um preparador de goleiras. Em seguida, buscando encontrar talentos para o primeiro ano da modalidade, o Internacional organizou uma avaliação técnica que reuniu cerca de 700 meninas com o sonho de jogar futebol. “A Isa foi um grande achado da peneira, assim como outras atletas que nos ajudaram muito em 2017, como a Paloma Merlo, que hoje joga no Cruzeiro, a Geórgia, que atua na Itália, e a Fernanda, goleira”, conta o vice-presidente de Relacionamento Social, pasta responsável pelo futebol feminino, Norberto Guimarães. Para além do quarteto, o primeiro time das Gurias foi formado tendo como base as jogadoras que surgiram dos testes. Segundo Duda Luizelli, “70% da equipe que foi campeã gaúcha em 2017 saiu daquela avaliação”.

    Foi com a união do grupo que, já em seu primeiro ano de atividade, as Gurias Coloradas garantiram vaga no Brasileirão A2 de 2018, a segunda divisão do futebol feminino nacional. Também em 2017 o futebol feminino do Clube do Povo levantou a taça do Gauchão, primeiro troféu conquistado após a reativação do departamento, erguido depois de vitória sobre o Grêmio na final.

    No ano seguinte, disputando o campeonato nacional, as Gurias Coloradas chegaram invictas às semifinais do Brasileirão A2. Superadas pelo Vitória, as atletas do Clube do Povo encerraram a competição na terceira colocação, assim deixando, por pouco, a classificação para a primeira divisão escapar. “A gente passou por um momento difícil e, mesmo assim, soubemos superar juntas, então acredito que essa união e essa força de todas fez com que a gente chegasse onde chegou hoje”, relata a zagueira Isa Haas, antecipando que o ano de 2019 foi iniciado com uma grata surpresa: a vaga na elite do futebol brasileiro.

    Com a desistência do Rio Preto-SP, e as primeira e segunda colocadas já asseguradas no Brasileirão A1 de 2019, a vaga do time paulista ficou com as Gurias Coloradas. Dois anos de trabalho eram, então, coroados com a tão sonhada chance de disputar com os grandes. “Eu sei tudo o que a gente passou, eu estava lá, hoje eu sei que nós somos merecedoras disso. Ano que vem a gente tá aí de novo e muito mais fortes. Se preparem!”, profetizava, à época, a preparadora física Suellen Ramos, sem esconder a emoção e a felicidade com a vaga na Primeira Divisão.

    Da formação original, em 2017, três atletas seguem vestindo as cores vermelho e branca: a lateral direita Leidi, a zagueira Isa Haas, que, após um semestre no Sevilla, da Espanha, voltou a fazer parte do elenco, e a meio-campista Thessa, que desde sua primeira temporada nas Gurias Coloradas se tornou uma das lideranças do grupo. Prova de seu perfil governante, inclusive, é o fato de ter assumido, em 2018, a responsabilidade de empunhar a braçadeira de capitã. “Ajuda muito quando você puxa o time para cima, a sempre querer mais, você acaba incentivando as meninas a fazer um jogo ou um treino melhor”, garante a atleta.

    Para além das jogadoras, a comissão técnica conta também com remanescentes, casos de Suellen, que segue na preparação física, e Lívia Rodrigues, fisioterapeuta. Além da dupla, Carlos Daniel, o Xuxa, que iniciou o projeto como preparador de goleiras, atualmente ocupa o posto de auxiliar das categorias Sub-16 e Sub-14. Por fim, Duda Luizelli é, ainda, a coordenadora técnica das Gurias Coloradas.

    O futebol feminino do Clube do Povo na elite brasileira

    Com a chegada de 2019, novos desafios despontaram no horizonte do futebol feminino do Clube do Povo. Prestes a disputar o Brasileirão A1, o elenco das Gurias Coloradas recebeu reforços de peso. Para o gol, chegou Yasmim, enquanto o setor ofensivo foi incrementado com as meias Mariana Pires e Nana, além da atacante Luana Spindler. Ao longo da temporada, a lateral-direita Fabi Simões e a zagueira Bruna Benites, duas contratações a nível de Seleção Brasileira, chegaram para completar o grupo.

    O Brasileirão A1 foi iniciado em março, e teve sua primeira fase encerrada com as Gurias Coloradas somando nove vitórias, quatro derrotas e um empate, ocupando a quinta posição com 29 pontos conquistados. Destacada, a campanha garantiu classificação para as quartas de final com quatro rodadas de antecedência. Na fase eliminatória o adversário foi o Flamengo, mas os placares de 1 a 1, no Sesc Campestre, e 0 a 2, na Gávea, adiaram o sonho do futebol feminino do Clube do Povo de chegar ainda mais longe na competição.

    Apesar de o resultado ter ficado aquém da expectativa de comissão e atletas, o departamento de futebol feminino mantém a constante evolução, seguindo em sua incessante busca pela excelência. Prova disso é a valorização das jogadoras, com intenso investimento na profissionalização das Gurias Coloradas. Atualmente, todas as atletas do time principal trabalham com carteira assinada, enquanto as jogadoras da base possuem contrato de formação. Ao todo, são mais de 60 nomes registrados no BID. “Com um trabalho muito bom da comissão técnica, somado a uma melhora de estrutura, fomos aumentando o nível, melhorando, aprimorando. O Clube vem nessa crescente do futebol feminino e queremos oferecer todas as condições para as atletas”, afirma Norberto.

    Dentro de campo, os reforços também continuam chegando. Após o final do Brasileirão A1, a volante Ju chegou para se somar ao grupo. Já no início de 2020, Djenifer Becker, meio-campista, Byanca Brasil, atacante, e Kemelli, goleira, foram apresentadas como atletas das Gurias Coloradas.

    O Bicampeonato gaúcho

    A consequência de tanto trabalho é perceptível: cada vez mais feitos relevantes na vitoriosa senda das Gurias. Disputado no segundo semestre de 2019, o Gauchão Feminino foi decidido no primeiro dia de dezembro em jogo único, realizado no Estádio 19 de Outubro, em Ijuí. Invicto, o time feminino do Clube do Povo chegou à decisão credenciado por impecável campanha de 10 vitórias e um empate. Ao todo, o Inter teve o melhor ataque do estadual, com 106 gols marcados em 12 partidas disputadas. Shasha, com 17 tentos, foi a artilheira da competição, que ainda teve no Alvirrubro a defesa menos vazada, capaz de oferecer apenas duas bolas na rede às adversárias.

    Jogada contra o Grêmio, a finalíssima foi encerrada com o placar de 4 a 2 para as Gurias Coloradas. Fabi Simões, duas vezes, abriu a vantagem para o Inter, que até cedeu o empate ainda no primeiro tempo, mas esteve arrasador na segunda etapa para, com gols de Nana e Jheniffer, garantir a taça.

    Um Celeiro de Ases também para elas

    Não é somente através de contratações, contudo, que a equipe das Gurias tem se formado. Honrando a tradição formadora do Internacional, o futebol feminino conta com minucioso trabalho na formação das atletas, realizado ao longo das categorias Sub-18, Sub-16 e Sub-14. “As categorias de base vêm, essencialmente, das escolinhas. Temos também os olheiros que observam todo o Rio Grande do Sul e Brasil”, explica Norberto Guimarães. Isa Haas, de apenas 18 anos, transitou entre o Sub-18 e o time adulto nas disputas do Campeonato Brasileiro de cada categoria em 2019, e fala com autoridade sobre o futuro da modalidade. “As próximas gerações do futebol feminino virão das categorias de base de hoje.”

    Os bons frutos, inclusive, já têm sido colhidos, como atestam os títulos estaduais conquistados em todas as categorias. No Sub-18, as Gurias Coloradas superaram o Pelotas por 7 a 0 em decisão disputada em jogo único. No Sub-16 a vítima foi o Grêmio, derrotado por placar agregado de 5 a 0. Também sobre o rival conquistamos a taça no Sub-14, desta vez em final encerrada com o 7 a 0 no escore. Definitivamente, uma trinca de Gauchões para entrar na história da base alvirrubra, mas que não monopolizou os títulos do nosso Celeiro.

    Ainda em 2019, a categoria Sub-18 se sagrou campeã brasileira. A conquista foi sacramentada no dia 17 de outubro, quando as Gurias Coloradas empataram por 1 a 1 o jogo de volta da decisão com o São Paulo. Ao todo, em 13 partidas o Inter somou oito vitórias, além de quatro empates e um único revés. Muitas das atletas vencedoras do torneio nacional, inclusive, participaram também da campanha vencedora do Gauchão adulto.

    Julia, Layssa, Queila, Belinha, Tai, Jheniffer, Malu e Isa Haas integraram a campanha vencedora do título estadual. Dos pés e cabeça destas, inclusive, saíram 18 gols, marcados por Queila, três vezes, Belinha, seis, Malu, duas, Isa, uma, Julia, cinco, e Jheniffer, uma. Tento este, destaque-se, que desempatou a finalíssima, contra o Grêmio, e encaminhou o título das Gurias. A jovem ainda serviu Naná, que marcou o quarto e último do Inter na partida, escrevendo seu nome na história do Clube do Povo.

    A categoria Sub-16 também fez bonito em nível nacional. Em novembro de 2019 as jovens promessas coloradas conquistaram a etapa brasileira da Liga de Desenvolvimento da Conmebol, em campanha marcada por três vitórias e dois empates em cinco jogos. Na finalíssima, a taça veio após vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense. Com o título, nossas Gurias se credenciaram à fase continental do torneio, equivalente à Libertadores. Nova competição que serviu de palco para novo espetáculo alvirrubro, este ocorrido em 2020.

    No dia 2 de fevereiro as Gurias da categoria Sub-16 conquistaram a América. Disputada em Luque, no Paraguai, a Libertadores presenciou cinco partidas do time feminino do Internacional. Quatro delas encerradas com triunfo, inclusive a decisão, definida com vitória por 3 a 0 sobre o Liverpool do Uruguai. Com o título, o Colorado está classificado para a Copa Disney, o Mundial da categoria, que reúne os classificados de cada continente em Orlando, nos Estados Unidos.

    Numerosos, os títulos, tanto adultos quanto da base, mostram que, se o presente é de brilho do Inter no futebol feminino, o futuro promete ainda mais protagonismo – e ele está mais perto do que parece. Como define Suellen Ramos, “o futebol é feito de sonhos”, e as Gurias Coloradas seguirão sonhando cada vez mais alto, provando todos os dias que, com trabalho duro e investindo, seguiremos fazendo história na modalidade. Vamo, Gurias!