• Notícias
  • Clube
  • Futebol
  • Serviços
  • Clube de Vantagens
  • Inter Store
    Associe-se

    “Sempre sonhei com isso”, comenta Johhny sobre estreia pela Seleção dos EUA

    Johnny concedeu entrevista direto da Áustria

    Cria do Celeiro de Ases, o meio-campista colorado Johnny, que estreou oficialmente com as cores da Seleção dos Estados Unidos na última quinta-feira (12/11), concedeu, nesta tarde (15/11), entrevista coletiva, direto da Áustria. Direto da concentração estadunidense, o atleta de 19 anos, nascido em Nova Jersey-EUA, comentou, em português, a alegria por vestir as cores do selecionado principal de seu país.

    “Está sendo muito especial pra mim. Estou muito feliz, sempre sonhei com isso, não esperava que fosse tão rápido, mas sempre trabalhei para alcançar meus objetivos. É uma oportunidade única.”

    Johnny

    A íntegra da coletiva de Johhny. Créditos: U.S. Soccer/Veritone

    Dono da camisa 30 do Clube do Povo, Johnny estreou oficialmente pelos profissionais do Inter no dia 15 de setembro do ano passado, em partida contra o Atlético-MG, válida pela 19ª rodada do Brasileirão. Figura que se tornou cada vez mais frequente entre os titulares colorados a partir da atual temporada, o meia chega à primeira convocação para o grupo principal dos EUA credenciado, também, pela consistente trajetória que construiu nas categorias de base do selecionado estadunidense. Até por isso, e apesar de ter crescido no Brasil, revelou se sentir muito à vontade vestindo as cores de seu país natal.

    “Tudo começou com a vinda dos meus pais para os Estados Unidos. Nasci, mas nasci na época do atentado do 11 de Setembro. Então, pouco tempo depois eu retornei para o Brasil, com a minha família, que é aonde fui criado, mas sempre tive aquele gostinho americano. Sempre tive curiosidade de voltar, e ter essa oportunidade, pra mim, é incrível. Fico muito feliz, é a Seleção que está me dando visibilidade, então minha ideia é continuar aqui.”

    Johnny, sobre sua caminhada até a Seleção dos EUA

    Paixão crescente nos Estados Unidos, o futebol tem revelado grandes craques no país. Atualmente, a Seleção conta com diversos jovens nomes que atuam no futebol europeu, estrelas de um grupo que tem a responsabilidade de estender a fama conquistada por ídolos nacionais como Landon Donovan, Clint Dempsey, Michael Bradley e Tim Howard. No que depender da admiração de Johnny, os companheiros estão no caminho certo para alçar grandes voos.

    Foto: Site Seleção EUA

    “Fui muito bem recebido por todos, tive bastante contato com todo mundo. Claro que tirei bastante ideia, até pra levar de aprendizado comigo. Dividir campo com pessoas como o Weston (McKennie), que joga na Juventus, o Dest, no Barcelona, o Reina, no Borussia… fico muito feliz. A maioria dos jogadores vivenciam, hoje, o futebol na Europa, então qualquer ideia trocada com eles vai ser um grande aprendizado pra mim, não só pessoal como técnico, tático. Fico muito feliz com esse retorno e, com certeza, eu vou voltar melhor.”

    Johnny

    O grande sonho de Johnny, comum a todos os selecionáveis, é disputar uma Copa do Mundo. Sede do Mundial de 1994, os Estados Unidos marcaram presença nas quatro edições que sucederam o torneio marcado pelo Tetra do Brasil. Ausentes na Rússia, em 2018, os estadunidenses sonham com um retorno de grande estilo para 2022, quando o Catar sediará o maior evento esportivo do planeta.

    “Eu sempre sonho, (a Copa do Mundo de 2022) é uma oportunidade que eu posso ter na minha vida, com toda a certeza vou trabalhar muito pra isso, mas, pra acontecer, eu tenho que desenvolver o meu bom futebol dentro do meu clube, que é o Inter. Vou treinar pra isso e pra ter essa oportunidade. A Seleção vem montando uma base muito nova, com uma média de idade de 22 anos, então acredito que, daqui um tempo, a gente vai brigar pelo título.”

    Johnny comenta o que espera do futuro da Seleção dos EUA
    Atuação de Johnny contra o Palmeiras, no Brasileirão deste ano, rendeu muitos elogios ao jovem

    Exibindo felicidade superior, inclusive, à vergonha de um estreante que precisou passar pelo tradicional trote na concentração, Johnny debutou em amistoso disputado pelos Estados Unidos contra o País de Gales. Realizado no Liberty Stadium, casa do Swansea City, o confronto foi encerrado sem gols. Vestindo o número 16, o atleta colorado entrou em campo aos 26 minutos do segundo tempo, quando substituiu Tyler Adams, jogador do alemão RB Leipzig. A empreitada internacional, contudo, não impede que o meia siga acompanhando, à distância, o dia a dia do Clube do Povo.

    “Estou acompanhando o Inter. A gente vem brigando por três campeonatos, que são difíceis, e o Abel vem com uma responsabilidade grande, mas, maior do que a responsabilidade, é ele, um técnico muito vitorioso e experiente, que vem para agregar junto com a gente. Eu vou continuar com o meu trabalho, forte, vou procurar dar o meu melhor e, quando voltar, voltar com a cabeça focada no Inter para ajudar a equipe da melhor forma.”

    Johnny

    Na próxima segunda-feira (16/11), Johnny terá nova oportunidade para defender as cores de seu país natal. Em território austríaco, os Estados Unidos disputam novo amistoso, agora contra o Panamá. A partida acontece a partir das 16h45 de Brasília. Boa sorte, guri!