Associe-se

Gamarra

Para muitos, o maior jogador da história do Paraguai. Com o tempo, Carlos Alberto Gamarra Pavón deixou de ser nome para se tornar adjetivo – incrivelmente ignorado pelos dicionários de hoje. Mesmo assim, para os vermelhos, sejam paraguaios ou colorados, a definição do termo está na ponta da língua: precisão. O defensor que não errava o bote e jamais cometia faltas. Xerife, que não precisava usar da violência para se impor, fazendo-o apenas a partir de sua técnica, reconhecida no mundo inteiro.

Pelo Inter Gamarra obteve importantes conquistas pessoais, sendo premiado com a Bola de Prata nos Brasileirões de 1995 e 1996, e ainda se sagrou campeão gaúcho em 1997. Duas semanas depois do título, deixou Porto Alegre rumando ao Benfica. De Lisboa, o zagueiro enviou emocionado fax aos dirigentes colorados, agradecendo a oportunidade e destacando o orgulho que sentia por ter vestido um dos mantos mais tradicionais do futebol do continente. Marcante, a passagem do paraguaio pelo Clube do Povo foi encerrada com 89 partidas disputadas e quatro gols marcados.

Foto: Divulgação

Ficha técnica:

Carreira:
Cerro Porteño: 1991 – 1992
Independiente: 1992 – 1993
Cerro Porteño: 1993 – 1996
Internacional: 1995- 1997
Benfica: 1997 – 1998
Corinthians: 1998 – 1999
Atlético de Madrid-ESP: 1999 e 2000
Flamengo: 2000 – 2001
AEK-GRE: 2001 – 2002
Internazionale: 2002 – 2005
Palmeiras: 2005 – 2006
Olímpia: 2007

Títulos:

Campeonato Paraguaio (1990 e 1992),
Pré-Olímpico (1992)
Campeonato Argentino (1994)
Campeonato Gaúcho (1997)
Campeonato Brasileiro (1998)
Campeonato Paulista (1999)
Campeonato Carioca (2001)
Copa da Grécia (2002)
Medalha de Prata nas Olimpíadas de Atenas (2004)

Participação em Copas: 3 (1998, 2002 e 2006)