Associe-se

Bodinho

O pernambucano Bodinho participou do “Rolinho”, time colorado da década de 50 comandado pelo inesquecível Teté. Apelidado em referência às cabeçadas fulminantes que costumava desferir contra a meta adversária, além de suas apavorantes viradas de pivô, que aterrorizavam goleiros, o recifense chegou ao Inter para a temporada de 1952.

Última equipe de sua carreira, no Clube do Povo encontrou torcida apaixonada por seu futebol, que jamais hesitou em tratá-lo com a merecida idolatria. Como todo grande colorado, soube, também, impor-se diante de nosso maior rival. No Gre-Nal dos 6 a 2, por exemplo, após anotado o quarto do Inter, fez questão de impedir a desistência do goleiro Sérgio, que já deixava o campo, ao proferir, aos berros, intimidador convite. “Volta, covarde, para tomar mais quatro!”

Pentacampeão gaúcho pelo Inter, no Colorado atuou tanto pela meia-direita quanto na função de centroavante. Indicação do ‘Marechal das Vitórias’, chegou ao Clube após passagem pelo Nacional, do Rio Grande do Sul. Antes, atuara por Flamengo-RJ, Sampaio Correa-MA e Íbis-PB. Iniciada em 1954, a dupla com Larry, consagradora da tabelinha, atingiu seu esplendor no Gauchão de 1955, quando o pernambucano anotou 25 gols em 18 jogos.

Nomeado Nílton Coelho da Costa, o craque ainda integrou a Seleção Brasileira que ganhou o Pan-Americano do México em 1956, competição na qual anotou três tentos ao longo dos cinco confrontos que disputou. Salve, Bodinho!

Ficha técnica:

Posição: Atacante
Data de Nascimento: 16/07/1928
Naturalidade: Recife (PE)

Carreira:
Íbis: 1943 – 1943
Sampaio Correa (MA): 1944 – 1944
Flamengo: 1945 – 1949
Nacional (RS): 1950 – 1951
Internacional: 1951 – 1958

Títulos:
Campeonato Gaúcho – 1950 – Internacional
Campeonato Gaúcho – 1951 – Internacional
Campeonato Gaúcho – 1952 – Internacional
Campeonato Gaúcho – 1953 – Internacional
Campeonato Gaúcho – 1955 – Internacional
Campeonato Pan-Americano – 1956 – Brasil