19/04/2009

Inter dá show e conquista o bicampeonato gaúcho invicto

O Internacional aplicou uma histórica goleada de 8 a 1 sobre o Caxias na final da Taça Fábio Koff, na tarde deste domingo, no Beira-Rio. Como já havia conquistado a Taça Fernando Carvalho, correspondente ao Primeiro Turno, o time colorado foi declarado bicampeão gaúcho. A campanha do 39º título estadual foi invicta: o time de Tite venceu 18 partidas e empatou 3. Magrão (2), Nilmar (2), Taison, Guiñazu, D'Alessandro e Álvaro marcaram os gols do time colorado na decisão. Cristian Borja descontou para o Caxias.

O Inter começou o jogo fulminante no ataque. A 1min, D´Alessandro cobrou falta para a área, a zaga cortou parcialmente e Taison pegou rebote e chutou forte para fora. Aos 4min, Nilmar chutou forte de fora da área, rasteiro, e o goleiro defendeu com dificuldades. Um minuto depois, Taison deu belo passe para Kléber, que na entrada da área chutou forte para ótima defesa de Rafael Lopez para escanteio.

Apressão era colorada. Aos 6min, D´Alessandro fez bela jogada pela direita, enganou o marcador e de pé direito cruzou na medida para Magrão cabecear para baixo, sem chances para o goleiro. Magrão, que havia feito gol na final da Taça Fernando Carvalho, faz também na final da Taça Fábio Koff. 1 a 0!


Vibração colorada: Magrão (D) abriu a goleada no Beira-Rio

Aos 9min, o Inter saiu jogando da sua área com grande qualidade, de pé em pé até que Taison tentou, de primeira para Nilmar, mas a bola foi interceptada pela defesa caxiense. A torcida aplaudiu. Aos 12min, Magrão arrancou pelo meio e começou a troca de passes com Taison e D´Alessandro até que o argentino arriscou rasteiro para a defesa de Rafael Lopez.

Aos 15min, o Inter ampliou no Gigante. A jogada começou com D´Alessandro, que deu grande lançamento para Kléber, livre na esquerda. O lateral cruzou na medida para Taison entrar em velocidade e chutar de pé direito: 2 a 0. Foi o 15º gol do goleador do Gauchão.

OInter estava arrasador e logo em seguida chegou ao terceiro gol. Aos 18min, Bolívar deu grande passe para Nilmar, em velocidade, entrar na área e chutar forte, cruzado. A goleada começava a ser construída.

Além dos três gols marcados nos primeiros 18min, o Inter jogava muito bem. O time tocava com muita qualidade a bola no meio-campo, avançava em velocidade pelos lados de campo com a ajuda dos laterais, principalmente Kléber, um dos destaques do Inter, ao lado de D´Alessandro, Taison e Nilmar.

Aos 20min, D'Alessandro cobrou falta, o goleiro espalmou e Índio de cabeça quase marcou mais um. Aos 21min, Guiñazu arriscou de fora da área e a bola foi ao lado do gol. A torcida vibrou muito com a iniciativa do volante. Depois do terceiro gol, a torcida colorada começou a gritar "É campeão!". O Inter massacrava o Caxias nos primeiros minutos.

Aos 22min, D´Alessandro lançou para Taison, Edenilson cortou parcialmente, mas a bola caiu no pé de Nilmar que chutou de primeira rasteiro no canto: Inter 4 a 0. Foi o 13º gol de Nilmar no Gauchão. Nilmar, que marcou gols na decisão de 2003, 2004 e 2008, fez novamente na final de 2009.

Aos 28min, Taison tocou para Nilmar, que girou na área e foi derrubado: pênalti escandaloso não apitado por Leandro Vuaden. O jogador Vagner Lima prendeu o pé de apoio de Nilmar claramente, mas Vuaden nada marcou. Um minuto depois, D´Alessandro tocou em Bolívar, que foi à linha de fundo, na área, e chutou forte por cima.

O Inter não diminuía o ritmo. Aos 32min, depois de uma troca de bola impressionante, Taison achou Guiñazu entrando livre, pelo meio da defesa caxiense. O argentino avançou e chutou na saída do goleiro. A torcida entrou em êxtase com o gol do capitão. Todo o time correu para abraçá-lo. Inter 5 a 0!


Guiñazu (C) comemora seu gol contra o Caxias

A produção ofensiva do Inter era impressionante. Nos primeiros 32 minutos, foram 11 conclusões a gol, com cinco gols. Em contrapartida, o goleiro Lauro praticamente não participou da partida, devido à boa marcação do Inter.

O toque de bola colorado que partia do meio-campo com a participação e a movimentação dos volantes e laterais, passando pelos meias e atacantes, era impressionante. O Inter dava show no Beira-Rio.

Aos 40min, depois de uma troca de bola incrível, envolvendo o time inteiro, a bola ficou com Magrão no bico da área, pelo lado direito. Com uma categoria fantástica, o volante chutou colocado no ângulo e marcou uma pintura de gol. 6 a 0. Foi o quinto gol de Magrão na competição.

Aos 43min, mais um golaço! Nilmar, D´Alessandro e Taison tabelaram em velocidade até que Taison entrou livre diante do goleiro. Quando parecia que iria marcar o gol, deu um passe generoso para D´Alessandro que só empurrou para o gol. Que coisa linda! 7 a 0!

Foi o último lance do primeiro tempo. Um dos primeiros tempos mais sensacionais dos 100 anos de história colorada. Inter deu show de bola, marcou sete gols, criou outras chances, teve pênalti claro não marcado. Irrepreensível. O goleiro Rafael Lopez, do Caxias, desceu chorando para o vestiário.


Nilmar e D'Alessandro eufóricos com a goleada colorada

Inter voltou para o segundo tempo com a mesma equipe. No Caxias, entrou o zagueiro Vagner para a saída de Guilherme.

O jogo caiu um pouco de ritmo no início do segundo tempo. O Caxias tentava avançar, mas sem força. O Inter procurava tocar a bola. Aos 4min, Roberto arriscou da intermediária e Lauro defendeu sem problemas.

O Inter se posicionava mais atrás para tentar explorar os espaços do contra-ataque com Taison e Nilmar, que passavam com facilidade pelo sistema defensivo caxiense. O Inter esbanjava preparo físico também. Aos 9min,Taison tentou cobrar falta, a bola acertou a barreira. Em questão de segundos, oito jogadores colorados voltaram em grande velocidade e já estavam posicionados novamente no seu campo. Impressionante.

Aos 14min, saíram D´Alessandro e Nilmar, muito aplaudidos, e entraram Andrezinho e Alecsandro.

Aos 19min, o técnico Argel fez a última troca do Caxias: entrou Cristian Borja, irmão de Rentería, e saiu Júlio Madureira. E logo no seu primeiro minuto em campo, Borja fez grande jogada, passou por Índio, tocou em Brida, que devolveu. Borja chutou forte e fez o gol do Caxias. A torcida colorada aplaudiu e gritou o nome de Rentería, em referência ao irmão famoso.

Aos 27min, Kléber cruzou para Alecsandro, que foi derrubado por Vagner, na área, mas o juiz não marcou outro pênalti. Aos 28min,  saiu Magrão, um dos grandes nomes da partida, para a entrada de Marcelo Cordeiro. A torcida aplaudiu e gritou o nome do volante. Aos 30min, Andrezinho foi à linha de fundo e cruzou para Marcelo Cordeiro chutar, mas a zaga cortou. Aos 35min, Taison recebeu lindo passe de Andrezinho e chutou colocado para fora. Quase o oitavo gol.
 
A torcida cantava o hino do Inter. A contagem regressiva para o título estava aberta. Mas ainda tinha tempo para mais um gol. Aos 43min, Álvaro recebeu cruzamento na medida de Kléber, e de cabeça, marcou o seu primeiro gol com a camisa colorada. O Inter repetia a goleada de 8 a 1 da final do ano passado sobre o Juventude.

Logo depois do oitavo gol, o árbitro encerrou o jogo: Inter bicampeão gaúcho invicto!


Guinãzu ergue a taça observado pelo presidente Vitorio Piffero

Um show de fogos de artifício com fumaça foi desencadeado no Beira-Rio. O palco para a entrega das taças já estava montado. Em seguida, o ex-presidente do Grêmio, Fábio Koff, entregou a taça ao presidente do Inter, Vitorio Piffero. Depois, foi a vez de Guiñazu subir ao palco para receber a taça de campeão gaúcho. Os jogadores colorados, já trajados com uma camiseta comemorativa aos 39 títulos gaúchos, subiram ao palco e começaram a festejar e pular com as novas aquisições para as já recheadas salas de troféus coloradas.

A torcida gritava "Bicampeão, bicampeão". Jogadores e torcida cantavam juntos: "Vamo, vamo, Inteeeeeeeeer". A tradicional volta olímpica levou a taça para perto dos torcedores nas arquibancadas. Festa generalizada no Beira-Rio! Durante a volta olímpica, jogadores carregavam bandeiras gigantes das torcidas organizadas. Um show!

"Estou muito orgulhoso de fazer parte desse Clube tão grande", festejou D´Alessandro.

"Esse título não é só dos que jogaram e sim de todos que participaram desse grande grupo", disse o volante Magrão, um dos principais nomes da campanha.

"Gratificante pelo resultado e pela campanha invicta. Esperamos que seja o primeiro de muitos títulos nesse ano do Centenário", disse Bolívar. "É muita felicidade ganhar o meu primeiro título gaúcho como profissional e ainda por cima ser o goleador do campeonato", afirmou Taison.

"O Inter dá todo o suporte para os profissionais aqui. O Clube entra em qualquer campeonato sempre pensando em vencer. Estou muito feliz aqui. É um clube que me dá a possibilidade de voltar à Seleção para representar bem o Inter e o Brasil" disse o lateral Kléber.

"É uma alegria muito grande esse título do jeito que conseguimos. Chegar a um título invicto é motivo de orgulho de todo o grupo. Quero sempre dar o melhor para o grupo, que também dá o seu melhor. Estamos todos juntos. O Inter demonstrou que joga muito futebol", disse o capitão Guiñazu.

"Fico feliz com a maneira como foi conquistado esse título. O grupo tem uma mentalidade vencedora e competitiva. O Internacional me dá um suporte muito grande a todos. Temos muito ainda para crescer", avaliou o técnico Tite.

"Foi maravilhoso tudo o que aconteceu. A atuação foi sem comentários. Fomos campeões de tudo nos primeiros 100 anos, agora vamos tentar vencer todos novamente. O título gaúcho é o título 01 dos próximos 100 anos", disse o vice-presidente de futebol, Fernando Carvalho.

"Jogamos com uma seriedade muito grande. Respeitamos o adversário e conseguimos uma grande vitória. Não lembro de um primeiro tempo como esse com sete gols. Foram 45 minutos fantásticos com um futebol maravilhoso que encantou o torcedor", disse o presidente Vitorio Piffero.

"A torcida colorada tem que comemorar bastante. Mas na próxima quarta estão todos convocados para nos ajudar diante do Guarani, pela Copa do Brasil", convocou o assessor de futebol, Giovanni Luigi.

Internacional (8): Lauro; Bolívar, Índio, Álvaro e Kléber; Sandro, Magrão (Marcelo Cordeiro), Guiñazu e D´Alessandro (Andrezinho); Taison e Nilmar (Alecsandro). Técnico: Tite.

Caxias (1): Rafael Lopez; Edenílson, Vagner Lima, Santin e Brida; Zacarias (Diogo Britto), Marielson, Roberto e Guilherme (Vagner); Júlio Madureira e Marcos Denner. Técnico: Argel.

Gols: Magrão (I), aos 6min do primeiro tempo, Taison (I), aos 15min do primeiro tempo, Nilmar (I), aos 18min do primeiro tempo, Nilmar (I), aos 22min do primeiro tempo, Guiñazu (I), aos 32min do primeiro tempo, Magrão (I), aos 40min do primeiro tempo, D´Alessandro (I), aos 43mim do primeiro tempo. Cristian Borja (C), aos 20min do segundo tempo, Álvaro (I), aos 43min do segundo tempo.

Cartões amarelos: D´Alesandro (I), Santin, Diogo Brito (C).

Público: 38.710 (33.495 pagantes). Renda: R$ 447.310,00.

Arbitragem: Leandro Vuaden, auxiliado por Altemir Haussmann e Paulo Conceição.

Local: Beira-Rio, Porto Alegre.


> Expediente da cobertura:

Site
Alexandre Corrêa
Felipe Silveira

TV Inter
Adriana Montes
Aleco Mendes
Bruno Pantaleoni
Juliano Soares
Márcio Toson
Marcos Bertoncello
Nicanor Simões
Rogério Amaral

Fotos
Alexandre Lops

Arte
Rogério Stinieski

Assessoria futebol
José Evaristo Villalobos


Outras notícias
Loja Virtual