06/04/2009

Inter reinaugura monumento a José Pinheiro Borda

No dia em que completou 40 anos, o Estádio Beira-Rio ganhou um presente. O Clube reinaugurou o monumento em homenagem a José Pinheiro Borda, um dos principais responsáveis pela execução da grandiosa obra do estádio colorado, também conhecido como o ?artífice do Gigante da Beira-Rio?. Um canteiro localizado em frente ao portão 1 (próximo aos campos suplementares C e D), que tem um busto de bronze de Borda ? falecido em 1966, antes da inauguração do estádio ? foi totalmente remodelado para celebrar as quatro décadas da casa dos colorados.


Canteiro com o busto de José Pinheiro Borda foi revitalizado, além de ter ganho uma urna acrílica (no detalhe, à direita) na qual serão depositadas lembranças do Centenário

Agora, além da revitalização do local onde estão fixadas placas de cimento com os nomes escritos à mão dos jogadores do Benfica, Peñarol, Seleção Brasileira, Seleção da Hungria e Seleção do Peru que participaram do festival de inauguração do estádio, em 1969, também foi inserido um novo elemento. Trata-se de uma urna acrílica na qual serão depositados diversos documentos sobre o Centenário do Internacional, como revistas, jornais, fotos, livros e diversas outras lembranças que ficarão lacradas. A ideia é que tudo permaneça hermético, para que possa ser aberto pelas novas gerações no bicentenário do Clube.

?Nós acreditamos que o Beira-Rio irá durar muito mais tempo com a execução do projeto de modernização ?Gigante Para Sempre?. Vamos chegar ao bicentenário com as lembranças do Centenário bem vivas?, ressaltou o vice-presidente de Marketing, Jorge Avancini.

O vice-presidente de Comunicação Social, Gelson Pires, ressaltou que foi através do esforço coletivo que o sonho da construção do Beira-Rio se transformou em realidade: ?Este monumento que estamos reinaugurando não é só um reconhecimento ao Pinheiro Borda, mas também a todos os abnegados operários que trabalharam dia e noite para construir o estádio. Este é o espírito do Clube: a força coletiva?, destacou.


Vice-presidente de patrimônio, Emídio Ferreira, aponta para o busto de Borda e a urna acrílica

O vice-presidente de patrimônio, Emídio Ferreira, lembrou que a obra do Beira-Rio na década de 60 desafiou a engenharia da época: ?Podemos dizer que ela foi bem arrojada. Naquela época, a engenharia não era tão avançada, então construir um estádio dentro d?água era algo difícil de imaginar?, observou.

A cerimônia de reinauguração do momunento foi acompanhada pelo 1º vice-presidente, Pedro Affatato, o vice-presidente do Conselho Deliberativo, Luís César Souto de Moura, o secretário geral, Alexandre Mussoi, e pelos vice-presidentes Décio Hartmann (administração), Gelson Pires (Comunicação Social), Jorge Avancini (Marketing), Luís Dagoberto Paganella (serviços jurídicos), Celso Chamun (Parque Gigante) e Emídio Ferreira (Patrimônio), além de dirigentes e conselheiros do Clube.

O sócio mais antigo do Inter, José Nestor Brunelli, também marcou presença no evento e lembrou do dia 6 de abril de 1969, data da inauguração do Gigante da Beira-Rio. ?Foi um dia memorável da minha vida. Mais de 100 mil pessoas vieram ao estádio, foi emocionante. Quando eu nasci, em 1927, meu pai já me associou ao Clube. Este é o maior orgulho que posso ter?, disse Brunelli.


Luís César Souto de Moura, Emídio Ferreira, Pedro Affatato, Gelson Pires, Celso Chamun, Jorge Avancini e Décio Hartmann prestigiaram reinauguração do monumento


Outras notícias
Loja Virtual