04/07/2010

Inter vence Peñarol nos pênaltis

Por Felipe Silveira
Da redação
Fotos: Alexandre Lops

O Internacional disputou uma partida amistosa com o Peñarol, na tarde deste domingo, em Rivera. Após empate sem gols no tempo normal, o time colorado venceu os uruguaios por 2 a 1 nas cobranças de pênalti, com três defesas de Abbondanzieri, e conquistou a taça 'Fronteira da Paz'.

O jogo contra a tradicional equipe de Montevidéu fez parte da intertemporada realizada pelo Inter durante o recesso da Copa do Mundo. Foi mais um bom teste na preparação do time para os desafios do segundo semestre. Jogando duro do começo ao fim, ao melhor estilo uruguaio, o Peñarol foi um adversário difícil de ser batido.

O time do técnico Celso Roth começou a partida no esquema 4-5-1, com Pato Abondanzieri; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Sandro, Guiñazu, Wilson Matias, Giuliano e D'Alessandro; Alecsandro. A partir dos 20 minutos do segundo tempo, outros jogadores foram aproveitados pelo técnico colorado.

O Inter mostrou boa compactação no meio-campo e conseguiu a aplicar a marcação sob pressão sobre o adversário, postura que vem sendo bastante exercitada por Roth nos treinamentos. A intensa movimentação dos meias D’Alessandro e Giuliano por ambos os lados do campo e a constante troca de passes foram outros aspectos positivos do time.  Apesar de ser um amistoso, os jogadores encararam o duelo com muita seriedade, como se fora um jogo oficial.


Giuliano criou boa chances para o Inter no amistoso disputado em Rivera

O primeiro lance de perigo da partida foi protagonizado pelo Inter, aos 2min: Giuliano fez jogada de efeito, driblou o marcador, e tocou para o lado, onde Alecsandro apareceu para chutar. O goleiro Sosa espalmou para escanteio. Ambos os times marcavam forte, diminuindo os espaços em campo. O Peñarol atuava com duas linhas de quatro na defesa, dificultando a penetração colorada. Por outro lado, o time uruguaio praticamente não ameaçava no plano ofensivo. 

Aos 17min, Giuliano chutou de fora da área e Sosa se esticou todo para salvar para escanteio. Aos 29min, Giuliano carregou a bola até a linha de fundo e cruzou para a área, onde Guiñazu subiu com estilo para cabecear buscando o canto. A bola passou raspando a trave esquerda.

O jogo ficou bastante truncado nos 15 minutos finais, com raras chances de gol. Aos 41min, Alecsandro conseguiu furar o bloqueio uruguaio. O atacante recebeu na área, dominou a bola e chutou mascado com o zagueiro para escanteio.

Logo a 1min da etapa final, Bolívar desviou de cabeça uma cobrança de escanteio e o goleiro fez boa defesa. Aos 5min, Giuliano deu um balãozinho no zagueiro, no interior da área, e sofreu o desarme quando preparava o chute. Na sequência do lance, Alecsandro fez falta em Sosa. Aos 16min, Nei cruzou da direita e Alecsandro cabeceou para marcar o gol, mas o lance foi anulado por impedimento.


Alecsandro teve um gol anulado no segundo tempo

A partir dos 20 minutos, Roth passou a promover uma série de substituições. Bruno Silva, Taison, Fabiano Eller, Andrezinho, Oscar e Leandro Damião foram para o jogo. O Peñarol também fez diversas modificações no time. Porém, seguia sem oferecer perigo algum à meta defendida por Pato Abbondanzieri.

O Inter quase chegou à vitória no tempo normal aos 44min, quando Leandro Damião acertou uma cabeçada no travessão. Já nos acréscimos, aos 47min, Damião invadiu a área e chutou em cima de Sosa.

A decisão do taça ‘Fronteira da Paz’ foi para os pênaltis. Damião fez 1 a 0 para o Inter. Guilhermo Rodríguez cobrou para o Peñarol e Pato Abbondanzieri defendeu no canto direito. Taison chutou para defesa de Sosa na segunda cobrança. Na sequência, Pato defendeu a cobrança de Martinuccio. Kleber também desperdiçou para o Inter e Román empatou para o time uruguaio: 1 a 1. O atacante Oscar, 18 anos, recém contratado, deixou o Inter novamente em vantagem. Alcoba chutou para fora, mas Andrezinho também não marcou. Na cobrança derradeira, Diego Alonso chutou e Pato encostou na bola antes de ela encontrar a trave. Placar final, 2 a 1 para o Inter.

 “As jogadas saíram mais pelo lado esquerdo, onde temos um trio muito forte: D’Alessandro, Kleber e Guiñazu. Precisamos melhor no lado direito. Sabíamos que hoje não seria treinamento. O adversário tentou nos surpreender, mas nos portamos bem, mandando no jogo o tempo inteiro. Foi bom para os jogadores que entraram depois para participar do amistoso”, avaliou o técnico Celso Roth.

“Temos que melhorar no ataque, mas a defesa se mostrou bem organizada. É um bom começo. Agora vamos acertando com os treinos”, analisou o vice-presidente de futebol Fernando Carvalho.

"Houve empenho e disciplina tática. Nossa defesa foi forte e tranquila", elogiou o presidente Vitorio Piffero.

“Foi um bom teste, o Peñarol foi um adversário duro durante toda a partida. Vamos seguir trabalhando para melhorar o time”, disse Bolívar.

Peñarol: 0 (1): Sosa; Albin, Darío Rodríguez (Alejandro González), Guilhermo Rodríguez e Alcoba; Marcelo Sosa, Román, Gaston Ramírez (Diego Alonso) e Colazo (Santiago); Pacheco (Viera) e Palacio (Martinuccio). Técnico: Manuel Keosseian.

Internacional (0)(2): Pato Abondanzieri; Nei (Bruno Silva), Bolívar, Índio (Fabiano Eller) e Kleber; Sandro, Guiñazu, Wilson Matias (Oscar), Giuliano (Taison) e D'Alessandro (Andrezinho); Alecsandro (Leandro Damião). Técnico: Celso Roth.

Cartões amarelos: Alcoba (P) e Nei (I).

Árbitro: Márcio Chagas, auxiliado por Marcelo Barison e João Luiz de Souza.

Local: Atílio Paiva, Rivera (Uruguai).


Outras notícias
Loja Virtual