27/04/2005

HERÓICO E BRILHANTE, INTER VENCE NO URUGUAI


Rentería (D) comemora com Fernandão o gol que garantiu a vitória

O Internacional venceu o Nacional por 2 a 1, de virada, em Montevidéu, no Uruguai, em jogo válido pelo confronto de ida das oitavas-de-final do Copa Libertadores da América, na noite desta quinta-feira. O time uruguaio marcou primeiro com Vanzini, mas Jorge Wagner, de falta, e Rentería, em um gol antológico, viraram para o Inter. O time colorado terminou o jogo com dois jogadores a menos depois de expulsões de Rentería e Ediglê. A partida de volta será no dia 3 de maio, no Beira-Rio. O Inter pode até perder por 1 a 0 para avançar à próxima fase. O vencedor da chave enfrenta o ganhador da série entre LDU, do Equador, e Nacional, da Colômbia.

Empurrado por cerca de mil torcedores colorados que viajaram até o Uruguai, o Inter entrou em campo para a partida decisiva com algumas modificações. No meio-campo sem Tinga, que ficou em Porto Alegre se recuperando de lesão, Edinho e Fabinho formaram a linha de marcadores à frente da defesa, enquanto Adriano e Alex foram os articuladores.


Alex foi a novidade do Inter no meio-campo

O primeiro tempo foi muito disputado, com marcação forte das duas equipes. Mesmo assim, as chances apareceram para os dois lados. Para o Inter, a oportunidade pintou cedo. Logo aos 3min25seg, Vanzini recuou mal para a defesa, Fernandão roubou a bola, avançou até a entrada da área, driblou o goleiro, mas perdeu o equilíbrio e não conseguiu chutar para o gol vazio. Os uruguaios responderam aos 4min20seg quando Britez arriscou de fora da área e Clemer fez grande defesa. Na cobrança do escanteio, aos 4min40seg, Edinho salvou na pequena área com um chutão, depois que a bola cruzou a área.

 Aos 8min25seg, Vanzini chutou de fora da área por cima. Aos 12min40seg, Jorge Wagner cruzou, Sobis tentou matar a bola, mas ela escapou e o goleiro fez a defesa. Aos 16min50seg, Castro arriscou de fora da área e Clemer segurou. Aos 19min50seg, Britez arriscou rasteiro de fora da área e a bola passou perto, ao lado do gol.

Aos 22min50seg, Granja fez boa jogada pela direita e cruzou para Fernandão cabecear ao lado. Em seguida, aos 24min50seg, Alex cobrou falta da intermediária com força e Bava defendeu bem. O Inter seguiu tentando o gol. Aos 25min40seg, Sobis avançou pela direita até a entrada da área e concluiu para nova defesa do goleiro uruguaio.

Aos 29min40seg, o Nacional largou em vantagem. O volante Vanzini aproveitou cobrança de escanteio e cabeceou forte, Clemer tentou a defesa, mas a bola entrou: 1 a 0. Aos 35min, Jorge Wagner cobrou falta da direita e Adriano cabeceou por cima. O meia Albín tentou de fora da área por cima aos 37min. Dois minutos e 30 segundos depois, Castro avançou até a área e chutou forte para grande defesa de Clemer.

Aos 47min, o empate colorado. Em uma cobrança de falta perfeita de Jorge Wagner, a bola superou a barreira e entrou no ângulo, sem chances para o goleiro Bava: um golaço. Foi o quarto gol de Jorge Wagner na temporada, todos de bola parada, sendo dois de falta e dois de pênalti. Foi também o primeiro gol do ala esquerda na Libertadores 2006.


Bava observa a bola na rede: Inter empatou no final do primeiro tempo

No intervalo, o técnico Abel Braga retirou Rafael Sobis e colocou Rentería. Logo no seu primeiro lance, o colombiano quase marcou o gol. Aos 20 seg do segundo tempo, Rentería recebeu na intermediária, avançou até a entrada da área e chutou por cima. Em seguida, o goleiro Clemer foi atingido por uma bomba jogada pela torcida do Nacional. O jogador colorado ficou caído por 2min30seg, recebendo atendimento médico.

Aos 4min40seg, Rentería pegou rebote e chutou rasteiro para fora, com perigo. O Nacional respondeu aos 9mim com cobrança de falta de Albín, ao lado do gol. Aos 11min20seg, Adriano recebeu na meia-lua e girou com o pé esquerdo por cima. O Nacional se atirou de vez para o ataque aos 17min com as entradas de Martinez e Juarez, dois atacantes, nos lugares de Viana e Márquez.

Mas foi o Inter que marcou o gol. E que gol. Daqueles de se parar em frente à TV, admirar e rever até enjoar. Tudo começou quando Rentería recebeu a bola na entrada da área. Com um toque sutil, ele deu um chapéu no zagueiro. A bola subiu, Rentería enquadrou o corpo e chutou de primeira com o pé esquerdo. A bola encobriu o goleiro Bava e entrou no canto: um golaço. Eram 18min45seg do segundo tempo. Foi o oitavo gol do colombiano na temporada, o artilheiro do time ao lado de Michel. Foi também o terceiro gol na Libertadores. Ele também é o goleador da equipe na competição, ao lado de Fernandão e Michel.


Rentería marcou seu terceiro gol na Libertadores

Depois do gol, Rentería foi comemorar com a sua tradicional dancinha caribenha. O juiz Oscar Ruiz, de maneira estapafúrdia, puniu o jogador com o cartão amarelo. Aos 20min, entrou Michel no lugar de Adriano. Michel entrou bem e puxou bons contra-ataques pela direita e ajudou a segurar a bola no campo do Nacional.

Aos 27min30seg, Alex cobrou falta e Bava defendeu no canto. Aos 28min30seg, entrou Suárez e saiu Vazquez. Aos 31min, o juiz colombiano aprontou outra: Bava foi cobrar uma falta no campo uruguaio, Rentería pulou e a bola bateu nele. O juiz decidiu então expulsar o atacante colorado.

Aos 36min, o técnico Abel Braga retirou Alex e colocou Ediglê para reforçar a marcação. Um minuto depois, outra decisão polêmica do juiz, mais uma vez contra o Inter. Ediglê fez falta forte na lateral do campo e acabou pisando no adversário no embalo. O juiz interpretou que foi intencional o pisão e mandou Ediglê para rua.

O Inter então ficou os últimos 12 minutos da partida com dois jogadores a menos. A partida se tornou dramática de vez. Fernandão foi para trás ajudar o time, deixando apenas Michel puxando os contra-ataques. Aos 40min15seg, Suarez recebeu na área e chutou por cima. Aos 41min, mais um erro do juiz Ruiz. Michel ganhou de Pallas e avançou até a entrada da área, livre, quando foi derrubado por Pallas por trás. Lance claro de expulsão, mas Ruiz decidiu apenas dar o cartão amarelo. Depois disso, o Inter segurou o resultado e garantiu a vitória heróica.


Jogadores abraçam Jorge Wagner depois do gol de empate

Com o resultado, o Inter manteve a invencibilidade na Copa Libertadores da América. Agora são 7 jogos com 5 vitórias e 2 empates.  O time colorado segue com a melhor campanha entre os brasileiros na competição. No jogo de volta, dia 3 de maio no Beira-Rio, o time colorado pode até perder por 1 a 0 para avançar para a próxima fase da competição. O vencedor da chave enfrenta o ganhador da série entre LDU, do Equador, e Nacional, da Colômbia. No primeiro jogo disputado em Quito, no Equador, a LDU venceu por 4 a 0. 

?A gente provou que o Inter está com um ambiente muito bom e com um objetivo traçado. Tivemos muitas dificuldades hoje, mas conseguimos um resultado muito importante pela vitória e pelos dois gols marcados fora de casa?, analisou Clemer, depois do jogo.

?Foi na raça, com 9 jogadores em campo?, festejou Michel, na saída do campo.

?A gente sabia que seria difícil, mas a equipe está de parabéns?, disse Edinho, um dos pilares defensivos da equipe no jogo.

?O Inter mostrou que tem garra e está forte na Libertadores?, afirmou o atacante Rafael Sobis.

?Foi uma vitória para unir ainda mais o nosso grupo. O árbitro teve atuação lamentável, atirou o Nacional para cima de nós, mas ainda bem que não teve conseqüências sobre o resultado. Estamos começando a nos credenciar. Diante de tanta adversidade (o árbitro, o campo pequeno, a bomba no Clemer), conseguimos superar tudo isso.?, disse o presidente Fernando Carvalho.

?O resultado foi excelente, mas ainda não acabou. Temos que jogar firme como jogamos hoje para conseguimos passar para a próxima fase?, alertou o vice-presidente de futebol, Vitório Piffero.

 ?Os jogadores foram bravos e lutaram e correram muito. Foi uma vitória heróica.?, resumiu o técnico Abel Braga.

Nacional (1): Bava; Jaume, Victorino e Pallas; Vázquez (Suarez), Vanzini, Brítez, Albín e Viana (Martinez); Márquez (Juarez) e Castro. Técnico: Martin Lasarte.

Internacional (2): Clemer; Granja, Bolívar, Fabiano Eller e Jorge Wagner; Edinho, Fabinho, Adriano (Michel) e Alex (Ediglê); Rafael Sobis (Rentería) e Fernandão. Técnico: Abel Braga.

Gols: Vanzini (N), aos 29min40seg do primeiro tempo. Jorge Wagner (I), aos 47min do primeiro tempo, Rentería (I), aos 18min45seg do segundo tempo. Cartões amarelos: Jaume, Pallas, Albín (N), Clemer, Rentería, Jorge Wagner (I). Expulsão: Rentería (I) e Ediglê. Arbitragem: Oscar Ruiz, auxiliado por Carlos López e José Navia (trio colombiano). Local: Estádio Parque Central, Montevidéu, Uruguai.

Fotos: Daniel Boucinha


Outras notícias
Loja Virtual