21/10/2009

Artilheiro em ponto de bala

O Gre-Nal do próximo domingo promete ser especial para Alecsandro. Pela primeira vez desde que chegou ao Inter, o atacante deve começar o clássico entre os titulares. A disputa pela artilharia do Brasileirão é uma motivação extra para o experiente jogador.

Poucos jogadores assumem publicamente a responsabilidade por marcar gols em um time. Com a transferência de Nilmar para o futebol espanhol, Alecsandro percebeu que teria que tomar a frente no ataque colorado. A missão não poderia recair somente sobre o jovem Taison. Era o momento da experiência e do oportunismo nato do centroavante de 28 anos serem colocados à prova. Alecsandro foi aos microfones da imprensa para dizer que estava pronto para assumir o papel de goleador.

Uma meta foi estabelecida. Ele não admitia ficar mais do que cinco gols atrás do artilheiro do Brasileirão. Os jogos se sucederam e Alecsandro começou a empilhar gols. O sonho da artilharia se tornou real na última rodada, quando o atacante passou a integrar o seleto grupo de goleadores, junto a Adriano, do Flamengo, e Diego Tardelli, do Atlético-MG, todos com 15 gols. “A meta está mantida. Mas é claro que quero ficar na artilharia. Ainda tem muitos jogos pela frente. Vou brigar por isso”, garante.

Até agora foram disputados quatro Gre-Nais na temporada. O Inter venceu três e foi derrotado uma vez. Alecsandro não começou em nenhum deles, apenas entrou no decorrer de três jogos. Agora, pela primeira vez desde que chegou ao Beira-Rio -  em janeiro deste ano – terá a chance de iniciar o clássico, justamente no seu melhor momento, quando o atacante se firma na artilharia do time em 2009, com 27 gols marcados em 57 jogos. “Jogar um Gre-Nal já é suficiente para motivar qualquer jogador. Mas chegar na condição de artilheiro, na briga por este posto, torna tudo ainda mais especial”, ressalta.

Experiência na disputa de clássicos Alecsandro tem de sobra. Nos 12 anos de carreira profissional, esteve em campo em tradicionais confrontos. Pelo Vitória, time que defendeu por diversas temporadas, deixou mais de uma vez sua marca no duelo com o Bahia. Em Belo Horizonte, vestiu a camisa do Cruzeiro em embates com o Atlético-MG. Quando atuou pelo Sporting, em Portugal, jogou o clássico contra Porto e Benfica.

Na semana que antecede a um jogo importante, Alecsandro costuma mudar seus hábitos. O jogador evita ir a restaurantes ou ao shopping, por exemplo, para evitar que a concentração seja dispersa. “Todo clássico é decidido no detalhe. Por isso gosto de me concentrar bastante, evitando lugares públicos. Também procuro estudar o adversário com dedicação. Sempre fiz isso”, conta o artilheiro. Para percorrer com sucesso os caminhos que levam ao gol no clássico 378, o camisa 9 aposta na disciplina tática: “Tem que estar sempre bem posicionado e fazer o que o técnico pede. É isso que pretendo colocar em prática no domingo”, avisa Alecsandro.


Outras notícias
Loja Virtual