06/10/2009

Mário Sérgio projeta seu trabalho

O técnico Mário Sérgio foi oficialmente apresentado pelo Inter na tarde desta terça-feira. O novo treinador concedeu uma entrevista coletiva no Beira-Rio e falou sobre a expectativa do seu trabalho com o grupo colorado.


Mário Sérgio foi apresentado oficialmente pelo Inter no Beira-Rio

> Confira os principais trechos da entrevista:

A chance de treinar o Inter

"Foi um chamado que eu não poderia negar. Tenho um grande respeito pelo Inter, pois aqui vivi os melhores momentos da minha carreira de jogador. É um prazer enorme poder estar aqui novamente. Não viria para trabalhar apenas dois meses se não fosse o Inter. Vim prestar um serviço."

Pedido à torcida

"Antes de mais nada, quero fazer um humilde pedido para a torcida: não abandonem o time agora. O momento é difícil, sei que todos estão decepcionados, mas isso será transitório se o torcedor ajudar. O Inter tem plenas chances de sair dessa situação. O apoio é fundamental para que a confiança seja retomada"

O primeiro passo

"Temos que diagnosticar os problemas o mais rápido possível. A responsabilidade vai ser dividida desde o primeiro até o último momento que eu estiver aqui. Por isso quero estar ao lado do time, à beira do campo já no jogo desta quarta. Temos um curto prazo para buscar a reação. Minha missão é tornar o time o mais competitivo o mais rápido possível. Não planejo o futuro. O importante agora é o presente."

O estilo Mário Sérgio de treinar

"Sou de olhar no olho do jogador e saber se ele está com vontade ou não de jogar. Quem precisa bucsar a reação é os jogadores, que vão a campo. Eu vou abrir os espaços para eles se sentirem bem e renderem o máximo possível. Mas quem vai ter que retomar a confiança são eles. Comigo vai jogar que estiver melhor."

Esquema de jogo

"Não vou abrir mão do padrão gaúcho. A forte marcação e a força na bola aérea são premissas básicas. Gosto de jogar com três zagueiros e com dois alas que tenham liberdade para atacar. Primeiro temos que impedir o adversário de jogar. Quando tivermos coma bola, temos que valorizar o máximo possível. Não vou mudar radicalmente o sistema tático, mas é claro que alterações vão ocorrer."

O grupo colorado

"Não viria para o Beira-Rio se não acreditasse no potencial do time. Temos um grupo muito qualificado. É impossível que os jogadores tenham desaprendido a jogar. Tenho absoluta certeza de que a Libertadores é o mínimo que vamos conseguir. Ainda é possível alcançar o título brasileiro. Em 1979, quando eu jogava, fomos campeões invictos. Isso pode servir de inspiração agora, para ganharmos as 11 partidas que restam."

Comissão técnica

Mário Sérgio trabalha com dois auxiliares técnicos: seu filho, Fernando Pontes, e Serginho Araújo. Como oFábio Mahseredjian foi convocado para a Seleção Brasileira para os dois últimos jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo, Flávio Soares e Hilário Melo assumem o comando da preparação física.


Outras notícias
Loja Virtual