06/06/2004

INTER TRICAMPEÃO

Equipe de Lori Sandri bate a Ulbra por 2 a 1, de virada, e conquista o 36º título da sua história

    A vitória colorada no campo começou nas arquibancadas. Mesmo atuando fora de casa, a torcida do Inter invadiu o complexo esportivo da Ulbra e foi maioria no pequeno estádio para 7 mil pessoas em Canoas. Além de lotar o seu espaço nas arquibancadas, obrigou a administração da universidade a ceder mais alguns metros nas cadeiras e arquibancadas.

   Em campo, o Inter começou sendo pressionado pela boa equipe da Ulbra. Aos 12 e 13 minutos, Clemer defendeu conclusões de Fabrício e Bagnara. Marabá, que voltou ao time, era a melhor alternativa ofensiva colorada, em jogadas pela esquerda. Aos 17 minutos, Oséas deu grande passe para Nilmar, que entrou livre na área e iria marcar o gol se o bandeirinha não tivesse apontando um impedimento inexistente. Aos 20 minutos, o time da casa marcou o primeiro gol. O meia Cléber cruzou na cabeça de Alex Martins, que desviou no canto de Clemer. Aos 26 minutos, Alex Martins chutou a bola no rosto de Fernando Miguel e só recebeu cartão amarelo do árbitro Leandro Vuaden, de má atuação.

   Aos 30 minutos, veio o empate. Alex cobrou falta para a área, Oséas cabeceou para Edinho que matou a bola e chutou forte para a explosão dos milhões de torcedores colorados pelo Brasil. Na comemoração, Edinho correu em direção aos torcedores do Inter e fez a festa. Aos 32, Cléber cobrou falta e a bola tocou na trave. Aos 44, Alex chutou de fora da área para boa defesa do goleiro Rafael.

 
Edinho (E) está marcando o gol de empate. Nilmar (D) observa a bola entrar

    Logo no começo do segundo tempo, mais um susto. O zagueiro Alexandre Lopes foi expulso depois de fazer falta em Fabrício. Foi então que apareceu o talento do técnico Lori Sandri. Ele retirou Oséas, colocou Chiquinho, adiantou Nilmar e deixou o time com mais talento na armação e nos contra-ataques. Aos 16 minutos, o gol do título (veja as fotos do lance abaixo). Bolívar fez grande jogada em velocidade, entrou na área e deu bom passe para Nilmar. O craque colorado girou e chutou quase no bico da pequena área no ângulo. Um golaço.

 Nilmar chuta...
  e a bola encobre o goleiro: 2 a 1 

   Aos 27 minutos, mais uma boa troca de Lori. Saiu Wellington e entrou Labarthe. O jovem volante oriundo das categorias de base ajudou na marcação e nos contra-ataques. Nos últimos minutos, a Ulbra pressionou, mas brilhou o talento do goleiro Clemer, que segurou todas as bolas e garantiu o tricampeonato gaúcho.

FOTOS: Daniel Boucinha

Ulbra (1): Rafael; Marcelo, Sidnei e Renato Tilão (Mabília); Barão, Bagnara, Lauro, Cléber e Alex Martins (Sandro); Sinval (Marcelo Fumaça) e Fabrício. Técnico: Armando Dessessards.

Internacional (2): Clemer; Alexandre Lopes, Edinho e Vinícius; Bolívar, Fernando Miguel, Wellington (Labarthe), Marabá e Alex; Nilmar (Wilson) e Oséas (Chiquinho). Técnico: Lori Sandri.

Gols: Alex Martins (U), aos 20 minutos do primeiro tempo, Edinho (I), aos 30 minutos do primeiro tempo, e Nilmar (I), aos 16 minutos do segundo tempo. Cartões amarelos: Marcelo, Barão, Alex Martins e Fabrício (U); Clemer, Alexandre Lopes, Bolívar, Wellington e Nilmar (I). Expulsão: Alexandre Lopes. Arbitragem: Leandro Vuaden, auxiliado por Altemir Haussman e José Carlos Oliveira. Local: Estádio do Complexo Esportivo da Ulbra, em Canoas. Público: 7.119 Renda: R$ 73.835,00


Outras notícias
Loja Virtual