06/03/2009

Maratonista colorado cruza a Cordilheira dos Andes

Para alguns, os desafios são vistos como preocupações perturbadoras, mas para outros, são usados como estímulo para superar obstáculos e ultrapassar seus limites. É o caso do torcedor colorado Alessandro Dreyer, 25 anos, corredor desde 2007 e maratonista desde o ano passado. No começo de fevereiro, ele participou de uma ultramaratona conhecida como A Cruce de Los Andes.

Essa maratona acontece uma vez por ano e já está na sua 17ª edição. Os participantes vão da Argentina ao Chile da forma mais árdua: cruzando a Cordilheira dos Andes. A corrida conta com a participação de atletas de diferentes países da América que são divididos em equipes de acordo com sua nacionalidade. O pior é que qualquer atleta que desistir, causará a desclassificação geral de sua equipe. Alessandro Dreyer largou de San Juan, na Argentina, às 4h da manhã com uma temperatura de 7ºC a uma altitude de cerca de 1.700 metros. Foram quase seis horas correndo até chegar em La Serena no Chile, a 2.900 metros da altura do mar. Segundo Dreyer, foram 42,2km percorridos na maratona inteira. A equipe brasileira, a qual ele fazia parte, já havia sido desclassificada, pois dois colegas seus foram retirados da prova por desidratação motivada por intoxicação alimentar. Mas isso não era importante para o torcedor do Inter que desejava concluir a prova com saúde.

Alessandro Dreyer superou as adversidades e conseguiu vencer os Andes. Mas ele queria mais. No momento em que Dreyer completou a maratona, os fiscais da corrida não o permitiram cruzar a linha de chegada com a bandeira do Internacional sobre as costas. Não foi problema. Ele conseguiu fazer a foto da consagração em uma chegada simbólica já em San Juan. A história inteira da ultramaratona está em seu blog O Longe Não Existe. Vale a pena conferir.


Outras notícias
Loja Virtual