19/12/2008

Criança Colorada: o Inter inicia aqui

Até hoje cerca de 35 mil crianças participaram do projeto no Beira-Rio

Um projeto para o futuro. Assim pode ser chamado o Criança Colorada. A iniciativa que traz crianças para receber os jogadores no centro do campo, hoje se transformou em algo muito maior. É a fonte mais pura do coloradismo que se espalha pelo Rio Grande do Sul e pelo Brasil. Uma amostra de que o Sport Club Internacional quer não apenas que essa paixão cresça, mas que ela se perpetue nos corações dos mais novos.


Projeto Criança Colorada é referência entre os clubes brasileiros

A iniciativa começou há oito anos, quando Otavio Rojas era diretor do comunitário de Marketing. O professor, durante uma conversa informal com o seu colega e conselheiro colorado Ênio Kaufman, trabalhou na intenção de ajudar o Internacional. Os dois notavam a pouca presença de colorados nos curso pré-vestibulares do Unificado. Rojas sugeriu um modo de atrair mais torcedores jovens para o Clube através de escolas.

O projeto foi bem recebido pela direção, que tinha na época como vice-presidente de Marketing Dani Dubin. ?No Internacional não adianta tu apareceres com a idéia, tem que fazer acontecer. Então eu disse à diretoria que iria mostrar como o Criança Colorada ia dar certo?, lembra. O plano foi evoluiu e Rojas teve a idéia de fazer com que crianças de até 12 anos, das escolas municipais e estaduais de Porto Alegre e do Interior viessem participar de jogos do Internacional. ?É até 12 anos porque, segundo a psicologia, esta é a idade limite para a criança mudar. Depois disso, a sua personalidade clubística está feita. Aqui dentro do Criança Colorada tivemos vários exemplos de crianças que deixaram de ser gremistas para virarem coloradas?, afirma o conselheiro. A partir daí, o projeto é coordenado por Rojas e por Andréia Rotunno.


Criançada reforça sua identificação com o Internacional

Conta ainda com 15 voluntários que ajudam na condução das crianças no gramado. A ação progrediu tanto que jovens de outros Estados participam do Criança Colorada. ?Durante uma viagem do Internacional, o então presidente Fernando Carvalho me ligou para dizer que um pai tinha duas crianças de Rondônia que queriam vir até a Capital para ver o Internacional. Isso mostra a dimensão da nossa iniciativa?, argumenta Rojas.


Equipe de voluntários do Projeto Criança Colorada

Antes de ver os ídolos de perto, as crianças têm contato com a história do Internacional, através do Museu, participam de atividades recreativas nos campos suplementares e visitam a loja do Clube. Ali, é passada a orientação aos pais e aos pequenos que ao comprarem produtos não licenciados pelo Inter, eles prejudicam a Instituição. ?Deixamos claro que esse não é um projeto apenas para vir e entrar em campo. Nos intervalos dos jogos, as crianças recebem lanches e no final eles ganham um livreto do Colorado e uma bola do time. O importante que elas venham aqui e sintam o carinho no tratamento. Não interessa o resultado da partida e sim a recepção que ela vai ter?, revela o professor.  Atualmente, o projeto centra as suas atenções para o Interior do Estado, em razão da grande quantidade de associados e para beneficiar os consulados espalhados por todo Rio Grande do Sul.


Oportunidade de ficar ao lado dos ídolos é inesquecível

Além da Reebok, o Criança Colorada tem como parceiros a Cervieri Engenharia, Nutri Pão, Pastelina, Ambev, chocolate Lugano e a Empresa Sampaio. Rojas alerta que os pais dos pequenos podem vir. Compram ingressos pela metade do preço e podem entrar no Beira-Rio. Durante os jogos, as crianças entram pelo portão 16, ficam nas cadeiras e são supervisionados por seguranças do Internacional. ?Pais e mães ingressam no Beira-Rio pelo mesmo acesso, mas  sentam mais abaixo, enquanto que os alunos ficam todos juntos mais acima. O vice-presidente de patrimônio Emídio Ferreira, reservou uma área totalmente privativa para as crianças, com demarcações?, salienta. Ainda segundo Rojas, o único compromisso que a meninada tem com o Internacional é torcer pelo Clube a cada partida. O projeto inicia oficialmente junto com o ano letivo, sempre a partir do mês de Março.


Crianças acompanham o time na entrada do campo

Organização, funcionalidade e reconhecimento

  • A condição básica para entrar no projeto é estar vestido com as cores do Clube: Vermelho e Branco. Não é necessário o uniforme oficial. Caso a criança queira entrar no gramado com os jogadores será necessário o uniforme oficial do Internacional. 

  • Não é permitido levar máquinas fotográficas, cadernos, lápis e caneta. O projeto possui um fotógrafo que passa as fotos para o site do Internacional.

  • Só entram crianças inscritas previamente no projeto. O Criança Colorada permite até 150 vagas por jogo.

  • Os pais podem trazer crianças sem inscrição, casos sejam sócios e estejam em dia com o Clube. Nesses casos são dez vagas.

  • Os agendamentos são feitos por antecipação de tal modo que o projeto já sabe o nome das crianças e dos professores que vão participar de todos os jogos do Gauchão e do Campeonato Brasileiro. A inscrição é feita pelo site do Internacional, pelo nome de Andréia Rotunno. [email protected]

Em 2004, o presidente do Clube dos Treze, Fábio Koff afirmou que o Criança Colorada é o projeto que melhor trata com crianças mais bem organizado do Brasil. O projeto hoje é copiado por outros clubes do País. Para o ano do Centenário, o projeto quer criar um site do Criança Colorada, para que ocorra maior interação entre as escolas e o Clube. ?Além da página na internet, nós queremos trazer para perto os consulados do Interior. A intenção é que eles inscrevam as suas crianças para virem ao Beira-Rio, até porque o sucesso do Internacional se dá também pelo número de sócios de outras cidades?, conclui Otavio Rojas.

>> Saiba mais sobre o Criança Colorada


Outras notícias
Loja Virtual