12/11/2008

Inter vence Chivas em Guadalajara


Jogadores vibram com a importante vitória no México



>> Veja  a galeria de fotos da partida

Por Alexandre Corrêa (texto) e
Alexandre Lops (foto)
Enviados especiais/Guadalajara
Edição: Felipe Silveira

O Internacional venceu o Chivas por 2 a 0 na noite desta quarta-feira, no Estádio Jalisco, em Guadalajara, no México, no primeiro jogo das semifinais da Copa Sul-Americana. Os gols colorados foram da sensacional dupla de ataque: Nilmar e Alex, de falta. Agora, o Inter pode até perder por um gol de diferença na próxima quarta-feira (19/11), no Beira-Rio, que garante a vaga na final.

O time colorado chegou cerca de uma hora e trinta minutos antes do jogo começar. Sem D´Alessandro, o treinador optou por Andrezinho. Com isso, o Inter começou com Lauro; Bolívar, Índio, Álvaro e Marcão; Edinho, Magrão, Guiñazu e Andrezinho; Alex e Nilmar.

Faltando 50 minutos para o jogo, o estádio Jalisco começou a encher. O palco dos primeiros cinco jogos do Brasil na Copa de 1970 tem as cores azul, amarelo e branco predominante. Mas aos poucos, o vermelho e branco da torcida do Chivas passaram a ser as cores dominantes.

Como o regulamento da Copa Sul-Americana prevê os gols fora de casa como critério de desempate, o Inter busca marcar gols no Jalisco para conseguir alguma vantagem no jogo de volta, no Beira-Rio.

O Chivas foi confirmado com Hernandéz; Reynoso, Mejía, Ocampo e Esparza; Baez, Araujo, Solis e Morales; Arellano e Santana.

O Inter buscava ser o primeiro time brasileiro a conquistar a Copa Sul-Americana. Para isso, além de bater o Chivas, teria que derrotar o vencedor da série entre Estudiantes de La Plata e o Argentinos Juniors, ambos da Argentina.

Como curiosidade, o Chivas só tem jogadores mexicanos e não aceita, por estatuto, a presença de estrangeiros. É o time mais popular do país.

Antes do jogo, o sistema de som ficou passando músicas dos principais cantores latinos. O som no estádio Jalisco, por sinal, é muito alto. A acústica ajuda a amplificá-lo. É um estádio de grande altura com capacidade para cerca de 57 mil torcedores.

O Internacional entrou em campo com seu uniforme todo branco. Os torcedores colorados presentes no estádio mexicano saudaram o time do técnico Tite quando ele entrou no lendário gramado.

O jogo

O jogo começou em ritmo lento com as duas equipes se estudando. O Inter com sua proposta de marcar forte e sair nos contra-ataques deixou poucos espaços para o trabalho de bola dos mexicanos. E quando ía ao ataque, o time do técnico Tite ameçava o gol de Hernandez.

O bloqueio com a linha de quatro zagueiros e mais três volantes era muito bom. Quando partia para o ataque, os volantes Guiñazu e Magrão apareciam para ajudar Andrezinho, Nilmar e Alex, os mais avançados. Estes dois últimos, por sinal, eram perigosos nos contra-ataques.

Aos 4min, Nilmar tentou a jogada, mas o goleiro chegou antes e ficou com a bola. Aos 5min, Índio recebeu lançamento na área e chutou forte para defesa do goleiro. No entanto, o lance já estava parado por impedimento. Aos 5min30seg, depois de cobrança de falta, a bola foi tocada para Índio na área chutar forte e Hernandez fazer grande defesa. O lance, porém, já estava anulado por impedimento. Além de ser o elo de ligação do meio com o ataque, Andrezinho também participava do trabalho de marcação, quando o Inter era atacado.

No Chivas, as opções ofensivas nos primeiros minutos eram as bolas paradas cobradas por Morales para a área. O Inter, porém, controlava bem este fundamento.

Sem espaços, o Chivas tratou de arriscar de longe. Foi assim aos 10min quando Esparza chutou no alto e Lauro fez defesa segura. Foi o primeiro arremate a gol da equipe da casa. Aos 12min30seg, o Inter chegou forte e quase marcou. Nilmar recebeu na área e cruzou de primeira para Andrezinho, na pequena área concluir. A bola saiu com efeito e quase encobriu o goleiro, que conseguiu salvar pra escanteio.

Nos primeiros 15 minutos, o Inter controlou a partida, marcando forte atrás e também na saída de bola, com os atacantes atrapalhando o toque de bola do adversário. A linha de quatro zagueiros impedia os contra-ataques, uma das armas da equipe mexicana.

Aos 20min, depois de cruzamento da esquerda, Álvaro salvou de cabeça. Quatro minutos depois, Magrão recebeu bola na meia-lua e foi derrubado, mas o juiz nada marcou. Aos 26min, Alex cobrou falta para a área, Índio cabeceou até Bolívar, que matou a bola e concluiu no corpo do zagueiro.

Aos 27min50seg, o Chivas encaixou o primeiro contra-ataque perigoso. A equipe avançou pela esquerda e cruzou até Arellano, que ajeitou a bola e concluiu forte no canto. A bola roçou na defesa e saiu para escanteio ao lado do gol com muito perigo. Aos 30min, a torcida do Chivas sentindo o bom momento gritou o nome do clube pela primeira vez. O atacante Arellano, muito movediço e habilidoso, levava perigo ao sistema defensivo colorado. Mas Alex também ameaçava com seus potentes chutes. Aos 33min40seg, Alex cobrou falta com violência, o goleiro soltou e quase Índio alcançou no rebote. Dois minutos depois novamente Alex arriscou de fora da área, o goleiro soltou e Nilmar concluiu para defesa no susto do goleiro.

Aos 38min, Morales cobrou falta para a área e Reynoso cabeceou ao lado. Aos 43min, em cobrança de escanteio, Lauro salvou com boa defesa na pequena área afastando para lateral. Aos 43min30seg, o Inter respondeu com contra-ataque tramado por Nilmar e Alex, até Nilmar receber na área e chutar para fazer o gol. O juiz, porém, anulou o lance por impedimento. Erro da arbitragem, que anulou um gol legítimo de Nilmar.

Aos 45min, a bola foi cruzada para a área e Arellano, livre, cabeceou no canto com muito perigo. Foi o último lance importante da primeira etapa.


Inter construiu valiosa vantagem na Sul-Americana

No intervalo, o técnico Efraín Flores retirou o volante Esparza e colocou o meia Medina, buscando dar mais poder ofensivo ao time.

Nos primeiros minutos da etapa final, pouca coisa mudou no jogo. O Chivas continuava sem espaço e tentava erguer a bola para a área, sem sucesso. Aos 4min40seg, quase o Inter marcou, depois de boa troca de passes na frente da área, até Magrão concluiu ao lado do gol com perito. Aos 5min30seg, Andrezinho deu grande passe para Nilmar, na área, driblar o goleiro, mas quando vai concluir a bola escapa e a zaga salva. O Inter chegou forte em duas oportunidades seguidas.

As jogadas entre Alex, Nilmar e Andrezinho eram ameçadoras para o Chivas, ao mesmo tempo que o Inter conseguia controlar o ímpeto ofensivo dos mexicanos. E nos primeiros 10 minutos, a equipe da casa pouco conseguiu fazer. Por isso, o técnico Efrain Flores fez nova mudança aos 12min com a entrada de Fabian de La Mora para a saída de Solis. Aos 12min10seg, Andrezinho avançou pelo meio e arrematou por cima.

O Inter começou a ter cada vez mais espaços para os contra-ataques, enquanto o Chivas não conseguia ameçar. Já eram 18 minutos do segundo tempo. A torcida se limitava a xingar Lauro a cada vez que ele cobrava um tiro de meta. Sem espaços até o ânimo de Arellano arrefeceu. Bem marcado, ele quase não conseguia ameaçar mais. Quase. Porque aos 21min50seg, uma bola foi cruzada para a área e ele conseguiu subir pra cabecear com perigo por cima. Foi a primeira chegada perigosa dos mexicanos no segundo tempo.

Mas então veio a jogada do gol colorado. Aos 24min, Nilmar recebeu na área, pela esquerda. Partiu pra cima do zagueiro Reynoso, o driblou com facilidade e chutou forte para fazer o 1 a 0. Um gol bem ao estilo do atacante colorado. Velocidade, drible e conclusão. Inter na frente no Jalisco!!!!

Aos 28min10seg, o Chivas deu um susto. Bola erguida para a área, ela passou por três jogadores na pequena área até sair pela linha de fundo. Aos 30min, saiu o zagueiro Reynoso e entrou Ávila no time mexicano. Mas foi o Inter que quase ampliou. Em contra-ataque, aos 30min20seg, puxado por Marcão e Alex, pela esquerda, a bola sobrou para Andrezinho, na entrada da área, concluir no travessão!!!!

O Inter seguia melhor. Foi então que aos 34min, falta em Nilmar na intermediária. E lá foi Alex cobrá-la. Ele ajeitou o corpo como de costume e cobrou no ângulo, sem chances para o goleiro que sequer se mexeu. Golaço de Alex, o craque colorado!!! Foi o 31º gol do jogador na temporada. Inter 2 a 0.

Aos 36min40seg, Araújo arriscou da intermediária e Lauro fez defesa importante no chão. Aos 38min, o Inter fez a sua primeira mudança. Saiu Nilmar e entrou Taison. Um minuto depois, nova substituição: sai Andrezinho para a entrada de Rosinei.

Aos 41min, com o jogo controlado o telão mostrou o técnico Tite cobrando marcação em campo. E o time cumpria com afinco as orientações, dando poucas chances para o time da casa, que parecia batido. Aos 42min30seg, o sistema de som do Estádio anunciou a venda de entradas para a próxima partida da equipe pelo Campeonato Mexicano. No estádio, silêncio. Apenas cerca de 500 torcedores das organizadas cantavam. Os demais já se preparavam para deixar o Jalisco. Aos 46min, a última substituição da partida. Saiu Alex e entrou Sandro.


União colorada: Tite comemora com o banco de reservas

Aos 47min, Lauro cobrou tiro de meta e pela primeira vez o estádio não vaiou. Parecia ter sucumbido de vez ao melhor futebol do Internacional, que venceu com autoridade, qualidade e talento para dar grande passo em busca da final da Copa Sul-Americana.

Agora, o Inter pode perder por até um gol de diferença no jogo de volta, na próxima quarta-feira, para avançar à final diante do vencedor da série entre Estudiantes e Argentinos Juniors, da Argentina. 

"Ainda falta muita coisa, mas estamos no caminho certo", afirmou Edinho.

"Viemos com o objetivo de não levar gols e, se possível, marcar. Conseguimos fazer 2 a 0 e construímos uma boa vantagem", avalia o goleiro Lauro.

"Sabíamos da dificuldade que iríamos encontrar, mas o time soube ser compacto. Temos a consciência de que nada está ganho ainda. O Chivas é um time que joga muito bem fora de casa", ressaltou Bolívar.

"Tivemos uma grande atuação. Jogaos bem defensivamente e fomos decisivos na frente. O time sentiu um pouco a longa viagem, mas conseguiu superar com muita dedicação no México. Vamos continuar trabalhando forte para garantir a classificação", afirmou o assessor de futebol Fernando Carvalho.

"Foi uma vitória muito importante. Mas agora vamos precisar da ajuda do nosso torcedor no Beira-Rio. Vamos precisar administrar o resultado e passar à final", convocou o vice-presidente de futebol Giovanni Luigi.

"Foi uma vitória consistente, que nos deu uma vantagem importante. Agora é a hora do Beira-Rio rugir. Tenho certeza que a torcida colorada vai lotar o Gigante para apoiar o Inter na busca pela vaga na final da Sul-Americana. Queremos muito este título, em uma temporada onde já conquistamos a Dubai Cup e o Gauchão", declarou o presidente Vitorio Piffero.

"Nós tivemos a oportunidade de vencer, de transformar as oportunidades em gols. Fomos bem nos primeiros 90 minutos da decisão. É muito bom ver que as peças estão se encaixando, que o grupo está se fortalecemdo a cada jogo. Vamos tentar continuar desta forma. Agora já estamos com a cabeça voltada para o jogo de volta", declarou o técnico Tite.

> Bastidores e os gols do Inter no México

Chivas (0): Hernandéz; Reynoso (Avila), Mejía, Ocampo e Esparza (Medina); Baez, Araujo, Solis (Fabian de la Mora) e Morales; Arellano e Santana. Técnico: Efraín Flores.

Internacional (2): Lauro; Bolívar, Índio, Álvaro e Marcão; Edinho, Magrão, Guiñazu e Andrezinho (Rosinei); Alex (Sandro) e Nilmar (Taison). Técnico: Tite.

Gols: Nilmar (I), aos 24min do segundo tempo; Alex (I), aos 33min do segundo tempo.

Cartões amarelos: Araujo, Esparza, Reynoso, Mejía (C), Índio, Guiñazu (I).

Arbitragem: Carlos Torres, auxiliado por Emigdio Ruiz e Nicolás Yegros (trio paraguaio).

Local: Jalisco, Guadalajara, México.


Outras notícias
Loja Virtual