18/10/2008

Juizado Especial Criminal atua com rigor no Beira-Rio

Com o objetivo de trazer mais segurança e conforto ao torcedor colorado no Beira-Rio, o Internacional disponibiliza dentro do estádio o Juizado Especial Criminal (JECRIM), inaugurado neste ano. nO jogo deste sábado (18/10), entre Inter e Atlético-PR, foram realizadas três audiências no JECRIM: duas por posse de entorpecentes e uma decorrente de briga.

Os flagrantes decorrentes de posse de droga resultaram no pagamento de multa, pelos autores do fato, nos valores de R$ 200,00 e R$ 150,00 em favor de entidade assistencial. As audiências foram presididas pelo Juiz de Direito Felipe Keunecke de Oliveira. Os casos desta noite somam 116 ocorrências desde que a Justiça passou a atuar durante partidas de futebol, incluindo os estádios Beira-Rio e Olímpico.

O objetivo da Justiça presente nos estádios em dias de jogos é viabilizar a imposição rápida e efetiva da lei penal contra autores de crimes de menor potencial ofensivo, como posse de drogas, arruaças, atos de vandalismo e violência ocorridos antes, durante e após a disputa. São da alçada do Juizado Especial Criminal todas as contravenções penais e os crimes com pena máxima de dois anos, cumulada ou não com multa.

"Temos um moderno sistema de monitoramento 24 horas no Beira-Rio (composto por 64 câmeras), posto da Brigada Militar, posto da Polícia Civil e o Juizado Especial. Estas instituições estão aí para mostrar que o Beira-Rio é um lugar seguro. Queremos ver o torcedor feliz, somente festejando e vibrando com seu time", ressalta o presidente Vitorio Piffero. O acesso ao posto do JECRIM se dá ao lado da Bilheteria D, localizada entre os portões 7 e 8.

Integram com as atividades do JECRIM Ministério Público, Defensoria Pública, Brigada Militar e Polícia Civil.


Outras notícias
Loja Virtual