11/07/2008

Danny Morais: sangue colorado nas veias

Zagueiro Danny Morais completa dez anos no clube apostando no futuro

Por Felipe Silveira
Fotos: Alexandre Lops

A identificação de Danny Morais com o Inter é antiga. Há dez anos no clube colorado, o jogador formado nas categorias de base do Beira-Rio é antes de tudo um torcedor. Porto-alegrense da zona norte, o zagueiro costumava vir ao Gigante para incentivar a equipe colorada no final da década de 90 e início dos anos 2000. Nesta época, já defendia o Inter dentro de campo, mas não deixava de apoiar o Clube das arquibancadas. ?Minha família é toda de colorados, por isso tenho muito orgulho de jogar aqui. Volta e meia o Fernandão e o Clemer comentam sobre algum jogo do passado recente e eu conto para eles que estava no estádio torcendo?, revela Danny, 22 anos.


Danny Morais está desde 1998 no Beira-Rio

O mundo do futebol esteve presente desde muito cedo na sua vida. Neto do ex-goleiro e atual auxiliar técnico do Palmeiras, Valdir de Morais, Danny acompanhou desde criança os bastidores do clube paulista . ?Nas férias eu ia para São Paulo e acompanhava os treinos do Palmeiras. Quando tinha jogo contra Inter ou Grêmio aqui em Porto Alegre, meu avô me levava no vestiário antes das partidas. Eu não entendia muito bem o que estava acontecendo, mas de qualquer maneira estava me aproximando da profissão que acabei seguindo?, recorda. Apesar da forte influência familiar, Danny chegou ao Inter em 1998 graças a um parceiro do clube. Paulinho Estigarribia, seu treinador em uma antiga escolhinha de futebol da capital, indicou o promissor jogador de 13 anos ao seu filho Marcelo Estigarribia, que na época treinava a seleção sub-15.

A seriedade e a compenetração de Danny, características que chamam a atenção em sua personalidade, fizeram com que ele conquistasse rapidamente seu espaço entre os titulares. O espírito de liderança do jovem zagueiro também garantiu a braçadeira de capitão em quase todos os times que passou ao longo da trajetória na base colorada. Um ano depois de chegar ao Beira-Rio, em 1999, foi campeão do Efipan, tradicional torneio infantil disputado no Alegrete-RS. Muitos outros títulos vieram, mas um dos mais marcantes foi o Mundial Sub-15, conquistado em 2000, ao lado do goleiro Renan e do volante Maycon, hoje também companheiros no grupo profissional. ?Foi um time que reuniu grandes jogadores. Ficamos dois anos e meio invictos?, ressalta.

A boa conduta dentro e fora de campo contribuiu para que Danny fosse promovido ao time profissional em 2006. Desde então, foram 28 partidas disputadas e dois gols marcados. A facilidade em atuar como zagueiro ou volante garantiu a versatilidade que é esperada de um jogador moderno. ?Isso ajuda muito, pois amplia as possibilidades de ser aproveitado pelo técnico em diferentes situações?, avalia o polivalente defensor.

O auge na carreira veio no início deste ano, na conquista da Dubai Cup, nos Emirados Árabes. Danny atuou como volante e se destacou no meio-campo que enfrentou o Stuttgart e a Internazionale de Milão. Nas finais do Gauchão contra o Juventude, teve outras boas atuações, tendo inclusive marcado um gol na histórica vitória por 8 a 1. ?Fiz uma carreira sólida para chegar aos profissionais e ficar. Foi um longo caminho, por isso considero uma vitória ter chegado até aqui?, garante a revelação colorada.

Ficha técnica:

Nome: Danny Bittencourt Morais
Nascimento: 29/06/1985 (Porto Alegre)
Partidas: 28
Gols pelo time profissional: 2
Altura: 1m86cm
Peso: 78Kg

* números atualizados até 14 e julho
** Matéria publicada na edição de nº 28 da Revista do Inter


Outras notícias
Loja Virtual