03/03/2008

SEMINÁRIO ABRE TEMPORADA DAS CATEGORIAS DE BASE

Depois de um 2007 de enorme sucesso e de grandes conquistas, a temporada 2008 está oficialmente aberta para as categorias de base do Internacional. Depois de disputar os torneios de janeiro, como a Copa São Paulo, o Efipan e o Torneio de Santiago, os jovens atletas colorados receberam as merecidas férias durante o mês de fevereiro. Na manhã desta segunda-feira (3/3), a realização do Seminário Interno das Categorias de Base abriu oficialmente o ano, contando com a presença das comissões técnicas de todas categorias do clube. Realizado no Centro de Eventos do estádio Beira-Rio, o seminário abordou diversos aspectos do futebol amador.

O palestrante Ricardo Drubscky, integrante das categorias de base do Cruzeiro de Minas Gerais, foi um dos convidados a expor suas idéias no período da manhã. Drubscky ressaltou alguns pontos importantes das diferenças entre o futebol amador e profisssional. Com a platéia sentada e concentrada, o palestrante citava fatos que fazem parte do dia-a-dia do futebol amador, que hoje é fator de sobrevivência e de alegria para os grandes e pequenos clubes.


Ricardo Drubscky, do Cruzeiro, palestrou para as comissões técnicas do Inter

"O Internacional é um bom exemplo de como cuidar dos jovens jogadores, visto que nos últimos anos revelou não apenas grandes atletas, mas sim grandes homens, já que o trabalho fora de campo também é muito bem feito pelo Inter", afirmou Drubscky. O palestrante também elogiou a iniciativa do Inter de realizar o seminário: "É um evento inédito. É difícil um grande clube trocar experiências com outro grande. Nos sentimos fortalecidos para crescer ainda mais", avaliou.

Em slides intitulados "Escola Brasileira", algumas características foram mostradas, como o jeito brasileiro de jogar, o grande volume de jogadores a partir dos 13 anos de idade, a importância de manter a posse de bola, a exigência profissional sobre os meninos desde cedo. Fatos sociais não foram esquecidos, pois a grande maioria dos pequenos atletas são de origem humilde. Aspectos técnicos como o gerenciamento e a política na captação dos jovens também foram amplamente discutidos.


Abel Braga (E) elogiou o trabalhos desenvolvido nos times de base

No período da tarde foi a vez do técnico Abel Braga falar às comissões técnicas da base colorada. Com seu jeito franco e despojado de se comunicar, o comandante do time profissional conquistou a platéia. Abel lembrou de suas experiências profissionais como jogador, tanto nos tempos de categoria de base do Fluminense como de profissional pelos clubes que passou. As lembranças serviram para destacar o papel do treinador na formação dos jovens atletas, que segundo ele, são os responsáveis por dar estabilidade aos meninos. "Lembro do Coutinho, meu treinador nos tempos de Fluminense, que me ensinou tudo que eu sei hoje sobre tática. É preciso prestar atenção em todos os aspectos da formação dos meninos", ressaltou o técnico.

Outro aspecto destacado foi a enorme importância do aprimoramento dos fundamentos enquanto os atletas são jovens. "O chute, o passe, o cruzamento, tudo isso deve ser treinado e repetido antes dos garotos chegarem aos juvenis. Nessa idade os meninos têm muito mais facilidade de aprendizado, e as chances de chegarem mais completos ao time principal só crescem", lembrou Abel. O comandante ressaltou também que a pressão sobre os meninos nunca pode vir de dentro para fora do clube; os jovens devem ter total liberdade de jogarem com alegria e perderem o medo de errar. Na conclusão, Abel declarou sua total admiração às categorias de base, que segundo ele, são o que sustentam e dão todo suporte para o enorme sucesso do clube atualmente.

"A importância de vocês aqui dentro é muito maior do que a minha, com toda sinceridade. Se hoje o time de cima é tão bom é porque o trabalho de vocês foi feito de forma muito boa. No meu grupo atual, 12 dos atletas vieram da base do Inter, e isso eu devo somente a vocês", finalizou o treinador, amplamente aplaudido pelos presentes.


Outras notícias
Loja Virtual