06/12/2007

OS ESCUDEIROS DE ABEL

Leomir e Robertinho ajudam o técnico colorado a preparar a equipe para as vitórias

Por André Baibich
Fotos: Alexandre Lops

O técnico Abel Braga não está sozinho na sua missão de preparar a equipe colorada na busca pelas vitórias. Os auxiliares Leomir e Robertinho ajudam o treinador a cuidar de todos os detalhes para que o Inter siga o caminho vitorioso que o levou para as maiores conquistas da sua história.


Auxiliares Leomir (E) e Robertinho (D): homens de confiança do técnico Abel Braga

Campeonato Brasileiro de 2005 tinha recém acabado e Leomir estava no litoral paranaense, descansando. O auxiliar técnico de Abel recebeu um telefonema informando que o treinador havia acertado com o Internacional e que ele iria junto para o clube colorado. A notícia fez Leomir voltar no tempo até 1989, quando era jogador do Inter e Abel era técnico, em uma campanha que levou a equipe até a semifinal da Copa Libertadores, na qual foi derrotada pelo Olimpia, do Paraguai, nos pênaltis. Leomir imediatamente pensou: ?é a chance de dar a volta por cima?.

No dia 3 de agosto de 2006, o Inter batia o Libertad, também do Paraguai, também pela semifinal da Libertadores, por 2 a 0. A passagem para a final da competição, 17 anos depois da derrota para o Olimpia, emocionou Leomir e Abel. ?Foi uma choradeira no vestiário?, lembra o auxiliar técnico colorado. A vitória foi só mais uma de um ano que foi coroado com as conquistas da América e do Mundo.


Leomir (E) trabalha como auxiliar de Abel Braga desde 1999

Após 13 anos de carreira como jogador, na qual passou por Coritiba, Fluminense, Inter e futebol português, Leomir se aposentou em 1994. O ex-jogador passou então a trabalhar em escolinhas de futebol. Em 1995, encontrou-se com Abel em Curitiba, quando ele era técnico do Inter e a equipe colorada estava na cidade. Quando Leomir comentou com seu ex-treinador que estava trabalhando no futebol, Abel respondeu: ?quem sabe um dia tu não trabalha como meu auxiliar??

A chance veio em 1999, quando Leomir era treinador da equipe júnior do Coritiba e Abel foi contratado. Desde então, o auxiliar só não acompanhou o técnico nas passagens pelo futebol francês e pelo Vasco. O auxiliar trabalhou, entre outros clubes, na Ponte Preta, Flamengo e Fluminense ao lado de Abel.

Hoje, Leomir sente-se orgulhoso por trabalhar no Inter, com toda a estrutura que o clube oferece. Ele ressalta o ótimo relacionamento dos integrantes da comissão técnica. ?Existe sempre um diálogo, mas geralmente nós pensamos da mesma maneira. Talvez por isso trabalhamos juntos há tanto tempo?, afirma.

Um observador detalhista

O dia era 19 de agosto de 2007 e o Inter enfrentava o Botafogo, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. Com 2 minutos de jogo, Wellington Monteiro dá grande passe para Ceará, que invade a área e chuta cruzado para fazer o gol colorado no empate por 1 a 1. Não foi à toa que o lateral chegou com tanta desenvoltura e liberdade ao ataque para fazer o gol. Na preparação para a partida, o auxiliar Roberto Moreno, o Robertinho, havia alertado para o espaço do lado esquerdo da defesa do Botafogo.

A observação dos adversários é a principal atribuição de Robertinho na comissão técnica colorada. A função já provocou situações inusitadas, como na vez em que o auxiliar foi observar a equipe egípcia do Al-Ahly, adversária do Inter no Mundial Interclubes. A escalação da equipe foi divulgada com a inscrição no alfabeto local, completamente diferente do português. ?Tive que desenhar os nomes dos jogadores e depois mandar traduzir?, lembra Robertinho.

Roberto Moreno fez carreira como jogador no interior paulista, antes de se aposentar em 1987. Foi só em 1994 que o ex-jogador retomou o contato com o futebol, quando passou a trabalhar nas categorias de base do Guarani. De lá, passou para a rival Ponte Preta, onde era auxiliar quando Abel e Leomir chegaram em 2003. ?Ele é o profissional mais completo que nós já vimos?, afirma Leomir. A partir da união na difícil campanha que garantiu a permanência da equipe de Campinas na série A do Brasileirão, o trio seguiu junto para Flamengo, Fluminense e Inter.

A atenção aos detalhes é a principal característica do auxiliar. Ele acredita que esta virtude é uma das razões pelas quais trabalha bem ao lado de Abel. ?O Abel é muito detalhista, que nem eu?, afirma Robertinho.

* Matéria publicada na Revista do Inter de outubro


Outras notícias
Loja Virtual