13/10/2007

EMPATE NO PACAEMBU: 1 A 1

Por Alexandre Corrêa (texto) e
Alexandre Lops (fotos)
Enviados especiais/São Paulo

O Internacional empatou em 1 a 1 com o Corinthians na tarde deste sábado no Pacaembu, em jogo válido pela 31ª rodada do Brasileirão. Magrão abriu o placar aos 11min do segundo tempo, mas Finazzi empatou aos 41min. O time colorado ocupa a 13ª colocação com 41 pontos.


Jogadores comemoram com Magrão (C): volante marcou no empate com o Corinthians

O Inter chegou ao Pacaembu em clima tranqüilo. A anunciada pressão dos torcedores não se verificou, pelo menos na entrada ao estádio. Alguns torcedores corintianos chegaram até a aplaudir Gil e Magrão, dois ex-jogadores da equipe paulista. Dentro do estádio, o público não era dos maiores até uma hora antes do confronto. A expectativa de Pacaembu lotado dificilmente se concretizaria.

Os que foram ao estádio, no entanto, estavam dispostos a apoiar o time. Quando o goleiro Felipe foi ao campo para o aquecimento, a torcida aplaudiu bastante e gritou seu nome. A torcida colorada com faixas e bandeiras vermelhas também esteve presente para empurrar o time do técnico Abel Braga. Havia faixas da Camisa 12 e da Popular.

A partida foi disputada em uma data histórica para o Corinthians. Há 30 anos, a equipe paulista vencia a Ponte Preta por 1 a 0, gol de Basílio, conquistava o Paulistão e terminava com um jejum de 23 anos sem títulos. Para homenagear a data, antes do jogo diante do Inter, os jogadores daquela equipe desfilaram no gramado com a taça. Além disso, o sistema de som reproduziu a narração do gol do título.

A torcida colorada, com cerca de 300 integrantes, fez muita festa quando o time foi a campo. Além disso, protestou contra a perda do título de 2005 com uma faixa com as frases ?2005, a estrela roubada. E aí STJD??.

O técnico Abel Braga optou pela mesma equipe que venceu o América-RN, apenas com a mudança no gol com o retorno de Clemer, que cumpriu suspensão automática, na vaga de Renan. Foram a campo então Clemer; Jonas, Índio, Sorondo e Alex; Edinho, Wellington Monteiro, Magrão e Guiñazu; Gil e Fernandão.


Wellington Monteiro atuou no meio-campo

O jogo começou com muita disposição das duas equipes, que marcavam forte no meio-campo e cometiam faltas, impedindo os ataques. O time paulista buscava as jogadas pela direita, enquanto o Inter se posicionava na defesa e tentava o contra-ataque.

Nos primeiros minutos, o Corinthians forçou os cruzamentos para a área, onde o uruguaio Sorondo se destacava nos cabeceios e cortes. A alternativa do Inter era a velocidade de Gil pelo lado esquerdo. Aos 10min35seg, Jonas avançou até o bico da área e chutou rasteiro ao lado do gol. Com a forte marcação, as oportunidades de gol nos primeiros 15 minutos praticamente não existiram. Aos 19min, Aílton cruzou da esquerda, Finazzi cabeceou, a bola tocou em Índio e foi por cima do gol com perigo. Na cobrança de escanteio, a bola chegou até Finazzi concluir por cima, mas o juiz já anulava o lance marcando impedimento.


Lateral-direito Jonas teve boa atuação no clássico contra o Corinthians

Aos 25min30seg, Carlos Alberto entrou na área pela esquerda e cruzou rasteiro, a bola cruzou toda a pequena área com perigo. Quatro minutos depois, o Corinthians perdeu uma grande oportunidade. Finazzi recebeu lançamento, avançou livre, tentou driblar Clemer, mas saiu com bola e tudo. O jogo seguia truncado, com poucas chances e muitas faltas. O bom sistema defensivo das duas equipes impedia que a bola chegasse na área. Para se ter idéia até os 37 minutos, os dois goleiros não tinham feito defesa ainda.

Aos 42min15seg, Moradei matou a bola na entrada da área e tentou colocar. A bola passou ao lado do gol. Aos 45min, Edinho lançou para Fernandão, que matou a bola no peito com estilo, enganou o marcador e concluiu de fora da área por cima. Foi a última oportunidade de gol do primeiro tempo. Foi um jogo sem muitas chances de gol na primeira etapa. O Inter marcou bem, evitou a pressão corintiana, mas não conseguiu criar nos contra-ataques.


Alex faz o passe: Inter teve boa atuação na segunda etapa

Os dois times voltaram do vestiário sem mudanças. No plano estratégico, porém, o time colorado adotou uma postura mais ofensiva, tentando tocar mais a bola, marcar mais adiantado e buscar o gol. Aos 6min, Jonas fez boa jogada pela direita, tentou cruzar, mas a bola foi direta para o gol, com o goleiro Felipe fazendo grande defesa para escanteio.

Aos 10min40seg, Alex cruzou da esquerda, a bola sobrou para Wellington Monteiro, de fora da área, concluir rasteiro para fora. Aos 11min30seg, o Inter abriu o placar. Magrão se antecipou ao zagueiro e quase caindo conseguiu completar no alto, sem chances para o goleiro. Foi o segundo gol de Magrão no Brasileirão. O gol foi marcado na mesma goleira do polêmico lance de Tinga em 2005, quando o árbitro Márcio Rezende de Freitas não marcou pênalti claro para o Inter.


Magrão acaba de marcar o seu segundo gol com a camisa colorada

Com a desvantagem no placar, o Corinthians fez duas mudanças ao mesmo tempo aos 16min. Entraram Lulinha e Everton Santos e saíram Clodoaldo e Moradei. Aos 21min, Lulinha fez boa jogada pela esquerda e cruzou rasteiro para Sorondo salvar para escanteio. Aos 21min50seg, Hiran arriscou de fora da área para fora, por cima. Aos 22min, entrou Ji-Paraná no lugar de Wellington Monteiro, com dores musculares. Aos 22min30seg, Gil deu grande passe para Jonas na área chutar rasteiro para defesa sensacional de Felipe. A bola ainda passou rente à trave.

Aos 27min, nova mudança no time paulista, Entrou Vampeta no lugar de Héverton. Um minuto depois foi a vez do Inter modificar. Pinga substituiu Magrão. Aos 28min30seg, Jonas cruzou e Pinga cabeceou ao lado com perigo. Três minutos depois, saiu Gil para a entrada de Adriano no Inter. Aos 31min50seg, Fernandão tocou para Adriano na área. O atacante chutou forte na rede pelo lado de fora. O Inter marcava bem e levava perigo nos contra-ataques. O time paulista não conseguia criar, deixando a torcida corintiana em silêncio.


Magrão avança com a bola: volante foi substituído por Pinga aos 28min

Aos 39min40seg, Adriano arrancou do campo do Inter, entrou na área, mas a zaga conseguiu salvar. O Corinthians respondeu rápido aos 39min50seg, quando Everton Santos fez boa jogada, entrou na área, mas Clemer salvou com grande saída de gol. Aos 41min, o time paulista chegou ao gol de empate. Aílton cruzou da esquerda e Finazzi cabeceou forte para empatar.

A partir daí, o time paulista tentou pressionar, mas o Inter também levou perigo nos contra-ataques, deixando o jogo eletrizante. Aos 47min40seg, Pinga recebeu de Adriano e chutou rasteiro ao lado do gol com perigo. Foi a última chance da partida. 

Com o empate, o Inter manteve uma invencibilidade que se estende desde 2003: são três vitórias e cinco empates em oito clássicos disputados.

"Todos nós ficamos indignados, porque jogamos melhor. Merecíamos a vitória, mas acabamos sofrendo um gol nos últimos minutos", analisou o vice-presidente de futebol Giovanni Luigi.

"Vamos continuar com a pegada até o final do campeonato. Não podemos desanimar", afirmou o presidente Vitorio Piffero.

"Estávamos bem na partida, mas acabamos sofrendo o gol na única chance do Corinthians. Esta vitória nos faria subir seis posições. Vamos seguir trabalhando, pois no próximo final de semana tem outro clássico", avaliou o técnico Abel Braga, já projetando o jogo contra o Juventude no Beira-Rio, na próxima rodada do Brasileirão.

"Respeito o Corinthians, mas sou colorado agora e comemorei o gol com a minha torcida", explicou o volante Magrão.

"Temos que aprender a matar o jogo quando as oportunidades aparecem. Lutamos durante os 90 minutos, mas tomamos um gol de bola parada no final", lamentou o capitão Fernandão.

"Queríamos sair com a vitória. Foi um empate com gosto de derrota. Criamos mais e tivemos mais chances de marcar", avaliou o atacante Gil.

Corinthians (1): Felipe; Fábio Santos, Zelão e Betão; Hiran, Moradei (Éverton Santos), Carlos Alberto, Héverton (Vampeta) e Aílton; Clodoaldo (Lulinha) e Finazzi. Técnico: Nelsinho Batista.

Internacional (1): Clemer; Jonas, Índio, Sorondo e Alex; Edinho, Wellington Monteiro (Ji-Paraná, 22min2°t), Magrão (Pinga, 28min2°t) e Guiñazu; Gil (Adriano, 31min30seg2°t)  e Fernandão. Técnico: Abel Braga.

Gols: Magrão (I), aos 11min30seg do segundo tempo, Finazzi (C), aos 41min do segundo tempo. Cartões amarelos: Wellington Monteiro, Jonas, Sorondo (I). Renda: R$ 404.829,00. Público: 24.696 (22.923 pagantes). Arbitragem: Sérgio da Silva Carvalho (DF), auxiliado por Milton Otaviano dos Santos (RN) e Roberto Braatz (PR). Local: Estádio Pacaembu, em São Paulo.


Outras notícias
Loja Virtual