1º/06/2007

Inter terá que reverter resultado no Beira-Rio

O Internacional foi derrotado por 2 a 1 pelo Pachuca, na madrugada desta sexta-feira (pelo horário de Brasília), no México, na primeira partida da final da Recopa Sul-Americana. Alexandre Pato abriu o placar, mas Gimenez, com dois gols, virou para o time mexicano. Agora, uma vitória simples por 1 a 0 no jogo de volta, no dia 7 de junho, no Beira-Rio, garante a conquista do título inédito, e, por conseqüencia, a Tríplice Coroa.


Alexandre Pato marcou o gol do Inter no México

O Inter não esteve sozinho em Pachuca. Cerca de 50 torcedores colorados e mexicanos simpatizantes do campeão do mundo se localizaram atrás de um dos gols e na lateral do campo. Vestida de vermelho e com bandeiras do Rio Grande do Sul e do Brasil, a torcida colorada marcou presença no Estádio Miguel Hidalgo. Já os torcedores do time da casa procuravam fazer bastante barulho principalmente com cornetas, chocalhos e apitos.


Colorados estiveram ao lado do Inter no México

O estádio tem um formato de arena, com todos os espectadores sentados e localizados bem próximos do campo de jogo. Havia pouco espaço das linhas do gramado para a divisão com a torcida. Atrás dos gols, uma cerca baixa, de apenas três metros de altura deixava praticamente todas as bolas chutadas por cima da trave irem ao encontro dos torcedores, que tinham que se proteger.

O time colorado foi a campo com uma proposta de forte marcação e saída para o contra-ataque.O técnico Alexandre Gallo treinou a equipe para compactar bastante a marcação no meio com cinco jogadores e explorar os lançamentos e passes para a velocidade do atacante Alexandre Pato.

Sem poder contar com Índio, suspenso pela expulsão na última rodada da Libertadores, Gallo escalou Sidnei na zaga ao lado de Mineiro. Na frente da defesa, Maycon, Edinho e Wellington Monteiro formaram um trio de volantes. Nas meias, estiveram Fernandão e Pinga, que tinham a tarefa de se juntar ao ataque.

A equipe mexicana começou com alguns desfalques. Chitiva não atuou por suspensão, entrando Alvarez em seu lugar. O atacante Cacho também iniciou o jogo no banco de reservas, entrando Landin na frente.

Os mexicanos queriam aproveitar o máximo a altitude de 2.400 metros, a velocidade maior da bola e o gramado também mais rápido. Por isso ficaram molhando o gramado por cerca de 30 minutos antes da partida para deixar o piso ainda mais veloz.

A proposta do técnico Gallo deu certo no primeiro tempo. Bem fechadinho no meio, o Inter deixava o Pachuca sem muitas opções. Com o bloqueio forte, conseguia roubar bolas e partir para o contra-ataque. E os primeiros minutos do jogo foram todos do Inter. Aos 2min, Pato foi lançado pela esquerda, que enganou a zaga duas vezes e chutou por cima. O caminho era aquele: bola para Alexandre Pato. Aos 2min40seg, o garoto promessa de craque novamente recebeu lançamento e arrematou para defesa de Calero.

A jogada estava dando certo. Tanto que aos 3min50seg, Rubens Cardoso apanhou uma bola no campo do Inter e deu um lançamento sensacional para Alexandre Pato. O atacante ganhou na corrida da zaga, entrou na área e chutou forte para fazer 1 a 0. Foi o quinto gol de Alexandre Pato, goleador da temporada colorada.


Pato chuta com categoria...


e parte para a comemoração depois de abrir o placar

O gol deixou os mexicanos nervosos, que passaram a errar mais passes e conceder contra-ataques. Aos 6min30seg, Rubens Cardoso avançou pela esquerda e chutou para defesa de Calero. No banco de reservas do Inter, todos participavam gritando e orientando os companheiros, mostrando a união colorada.

A primeira chegada do Pachuca só ocorreu aos 14min quando Caballero recebeu passe na área e concluiu por cima. Dois minutos depois, os mexicanos chegaram ao empate em um lance de sorte. Gimenez arriscou de fora da área, a bola desviou em Mineiro e enganou  Clemer: 1 a 1.

Com o gol, a torcida, que até então estava quieta, empurrou o time. Aos 18min45seg, depois de escanteio, o zagueiro Mosquera subiu para cabecear por cima. O Inter respondeu aos 19min50seg com boa jogada do zagueiro Sidnei. Ele roubou a bola na defesa, partiu para o ataque até que Pinga arrematou de fora da área por cima. Sem muitos espaços, o adversário tocava a bola de um lado para outro. Nas arquibancadas, apesar do resultado estar igual, a torcida gritava ?olé?, estranhamente.

Aos 23min10seg, Alexandre Pato deu um drible sensacional em um mexicano. Com um toque surpreendente fez a bola sair do chão, encobrir o defensor e voltar pra ele, em um balãozinho. A torcida mexicana fez um óóóóóo´ no estádio. Aos 24min30seg, Edinho chutou de fora da área ao lado do gol. Aos 34min55seg, Caballero arrematou forte e Clemer fez defesa sensacional para escanteio.

Aos 38min, o juiz Carlos Chandia expulsou o preparador físico Manoel Faleiro do banco. Em campo, o jogo era muito disputado e com lances ríspidos. Volta e meia havia discussões e troca de empurrões entre os jogadores. Em um momento desses, Mosquera se engalfinhou com Pinga e recebeu cartão amarelo. Pinga, por sinal, demonstrava bom futebol com muita movimentação pelo meio.

Aos 41min45seg, Edinho avançou da intermediária e chutou rasteiro e cruzado ao lado do gol. Aos 43min, foi a vez de Rubens Cardoso, outra boa figura da primeira etapa, tentar o cruzamento e Calero salvar para escanteio. Foi o último lance do primeiro tempo.

 

O começo do segundo tempo não teve muitas mudanças no panorama do jogo. O Pachuca tentava atacar, mas não tinha espaços. Até que aos 10 minutos, o técnico Enrique Meza, ex-treinador da seleção mexicana, fez duas modificações ao mesmo tempo: retirou o volante Correa e o atacante Landin e colocou Cacho e Rodrigues.

A modificação quase deu certo instantaneamente. Aos 10min40seg, Pacho recebeu passe de cabeça na área e também de cabeça concluiu na trave. Aos 15min40seg foi a vez do Inter mudar: saiu Alexandre Pato para a entrada de Iarley.

Aos poucos, os mexicanos tentavam pressionar mais. Aos 15min50seg, Pinto cobrou falta por cima. Aos 17min50seg, Rodrigues recebeu na área e chutou para defesa de Clemer. Por volta dos 25 minutos, o Inte não conseguia mais contra-atacar, mas mantinha a forte marcação. Na defesa, destaque para Sidnei, que tirava quase todas.


Maycon em ação contra o Pachuca

Aos 29min30seg, Gimenez cobrou falta com violência e Clemer fez grande defesa. No rebote, Mosquera cruzou e Salazar cabeceou por cima. Aos 31min20seg, entrou Christian no lugar de Fernandão. Com isso, Iarley passou para o meio-campo para que o esquema se mantivesse.

Aos 34min, o Inter sofreu o segundo gol. Cacho foi à linha de fundo e cruzou para Gimenez completar na primeira trave: 2 a 1. Aos 34min30seg, Perdigão entrou no lugar de Pinga. Aos 38min30seg, quase o Inter empatou. Mineiro cobrou falta forte e a bola passou muito perto. Aos 39min, saiu Gimenez e Arellano foi a campo.

Aos 41min45seg, o Inter chegou ao empate, mas o juiz anulou o gol, prejudicando visivelmente o time colorado. Depois de cobrança de falta, Christian completou para o gol, mas a arbitragem anulou alegando que o bandeirinha estava dentro de campo. Em nova cobrança, aos 43min30seg, Rubens Cardoso pegou o rebote e acertou o travessão. Aos 46min30seg, Alvarez recebeu livre na área, matou a bola e chutou no corpo de Ceará que salvou o Inter. Foi o último lance de perigo da partida.

Agora o Inter necessita de vitória simples por 1 a 0 no jogo de volta para conquistar a Recopa Sul-Americana e, conseqüentemente, a Tríplice Coroa, título não oficial dado ao time que conquista três importantes títulos de forma sequencial, no caso da equipe colorada a Libertadores, o Mundial e a Recopa.

"É um resultado que nos deixa vivos na competição. Infelizmente um erro da arbitragem impediu que saíssemos com um resultado ainda melhor. O time apresentou bom desempenho tático. Precisamos aprimorar o aspecto técnico", analisou o técnico Alexandre Gallo.

"Não estamos mortos. Dá pra chegar lá (em Porto alegre) e virar esse resultado", analisou o meia Pinga.

"É um resultado que dá pra reverter. Agora queremos fazer uma boa partida em casa pra conquistar o título", projetou o lateral Ceará.

"Transferimos a decisão para o Beira-Rio e a torcida vai fazer a diferença. Hoje mostramos garra e muita vontade de vencer", avaliou o presidente Vitorio Piffero.

"O grupo está com muita vontade e unido na busca por este título. O Beira-Rio lotado vai ser decisivo na próxima quinta-feira. É a hora da torcida jogar junto com o time, assim como foi em 2006", convocou o vice-presidente de futebol, Giovanni Luigi.

Pachuca (2): Calero; Garcia, Mosquera e Pinto; Rojas, Correa (Rodriques), Caballero, Alvarez e Salazar; Gimenez (Arellano) e Landin (Cacho).
Técnico: Enrique Meza.

Internacional (1): Clemer; Ceará, Sidnei, Mineiro e Rubens Cardoso; Edinho, Wellington Monteiro, Maycon, Fernandão (Christian, 31min2ºt) e Pinga (Perdigão, 34min30seg 2ºt); Alexandre Pato (Iarley, 15min40seg 2ºt). Técnico: Alexandre Gallo.

Gols: Alexandre Pato (I), aos 3min50seg do primeiro tempo, Gimenez (P), aos 16min do primeiro tempo, Gimenez (P), aos 34min do segundo tempo. Cartões amarelos: Mosquera, Landin, Fausto (P), Wellington Monteiro, Mineiro, Edinho (I). Arbitragem: Carlos Chandia (Chile), auxiliado por Lorenzo Acuña (Chile) e Manuel Rodriguez (Chile). Estádio: Miguel Hidalgo, em Pachuca del Soto (México).


Outras notícias
Loja Virtual