02/05/2007

ENTREVISTA EXCLUSIVA: A IMPORTÂNCIA DO DEPARTAMENTO JURÍDICO

A importância do departamento jurídico (Por Aleco Mendes)


Luiz Antonio Lopes fala sobre o departamento jurídico do Inter

Em entrevista exclusiva para o Jornal do Inter (edição 33, dia 28 de março), o vice-presidente jurídico do Inter, Luís Antonio Lopes, fala do importância do departamento, das vitórias conquistadas na área jurídica em favor do clube e do sucesso mais recente, a liberação do atacante Christian para jogar com a camisa colorada. Leia a entrevista na íntegra.

Jornal do Inter - Esse é o departamento onde tudo passa no Internacional?

Lopes - A partir do momento que assumimos junto com o presidente Fernando Carvalho, foi então determinado que não se assinaria nenhum documento ou contrato sem o visto do Jurídico. Considero isso uma posição correta, pois somos nós que fizemos a verificação da parte jurídica, da elaboração e correção do contrato.  Examinamos o contrato antes de ir para o presidente, mas não nos envolvemos na negociação. Temos um procedimento de verificação de cláusulas e se não há conflitos de contrato. Nosso setor é o único que passa tudo. Desde o jogador de futebol que é pré-contratado, quando é estudada a possibilidade de contratação. Por nós passam cerca de cem contratos por dia. Da parte dos licenciamentos de marketing são a maior parte dos contratos que nós temos. Contratos de patrocínio com valores altos em que deve haver um cuidado especial. Qualquer contrato que vai ser assinado pelo presidente tem que passar pelo departamento jurídico, sendo que 99% dos contratos são feitos aqui mesmo, pois assim, temos uma padronização do contrato e isso nos facilita o controle.

JI - A área jurídica do Internacional tem a fama de sucesso nos casos. Como funciona esse trabalho?

Lopes - Isto é histórico no Internacional. O trabalho com a justiça desportiva é um dos melhores há muitos anos. Todos os vice-presidentes e diretores jurídicos que antecederam sempre trabalharam muito nessa área. No meu caso é o Daniel Cravo que dá uma enorme colaboração nessa área e é reconhecido em todo país como um dos melhores. Temos o pessoal interno mais jovem, mas muito habilitados que trabalham conosco, como a Dra. Mari, o Dr. Renan e o Dr. Felipe. Então isso não foi nós que criamos, já vem na história do Inter.
 
JI - Uma das últimas vitórias do Internacional foi a liberação do Christian junto à Fifa. Como ocorreu esse trabalho e qual foram suas dificuldades?

Lopes - Um processo de liberação de um jogador junto à Fifa nunca é muito fácil, pois as regulamentações da Fifa têm muitas questões de interpretação. Praticamente não se trabalha com uma defesa, mas com um pedido e foi o Daniel Cravo que cuidou disso. Neste caso, quando o jogador foi contratado já tínhamos uma idéia que isso deveria ser feito. O pedido foi feito para a CBF, em alguns dias a entidade encaminhou para a Fifa por e-mail, mas a Fifa não aceitou o pedido por e-mail, em seguida fizemos encaminhamentos via fax e também o Dr. Daniel Cravo foi pessoalmente à Fifa com os documentos. Foram 30 dias entre a contratação de Christian e a liberação. Mesmo assim foi o primeiro jogador liberado para atuar num clube brasileiro nessa temporada. É um processo de trabalho onde tem que buscar muitas documentações, ainda por cima tinha o problema das férias coletivas da CBF. Nosso ex-conselheiro Emidio Perondi, vice-presidente da CBF, nos ajudou muito e praticamente abriu a CBF em pleno Carnaval. Considerando os tramites do processo até que foi um período curto.


Outras notícias
Loja Virtual