11/02/2020

Raio-X: tudo sobre a partida de volta entre Inter e Universidad de Chile

É dia de Libertadores no Beira-Rio! O Clube do Povo disputa, nesta terça-feira (11/02), a partir das 19h15, os últimos 90 minutos da segunda fase preliminar do mais prestigiado torneio do continente. Ao lado de sua torcida, o Colorado conta com a força do Gigante para superar a Universidad de Chile e avançar rumo ao terceiro duelo eliminatório, imediatamente anterior à realização dos grupos. Para ficar por dentro de tudo sobre a decisiva partida diante dos chilenos, confira, no nosso Raio-X, todas as informações do confronto:


Vamo, Colorado!

O Clube do Povo finalizou os preparativos para o duelo no início da noite desta segunda-feira (10/02). Na ocasião, foram realizados trabalhos no CT Parque Gigante, que até tiveram seus primeiros minutos abertos para a imprensa, mas na sequência seguiram fechados, garantindo ao técnico Eduardo Coudet a privacidade necessária para ajustar os últimos detalhes, sem revelar o time que iniciará a partida.

carregando galeria...

Antes do treino, D'Alessandro concedeu entrevista coletiva na sala de imprensa do CT. O camisa 10 destacou a importância do duelo contra o time chileno, além de valorizar o apoio do nosso torcedor. "O resultado fora de casa foi bom. Agora precisamos fazer o dever de casa, fazer um bom jogo. Sabemos a força que a gente tem aqui no Beira-Rio, a torcida. Não será fácil, mas temos totais condições de conseguir essa vaga para a próxima fase", ressaltou o argentino. Confira na íntegra:


Adversário desfalcado

A Universidad de Chile vem para o Beira-Rio com a missão de retornar a Santiago com a vaga na bagagem. Para tanto, conta com grandioso empecilho no meio de campo. Camisa 10 da 'La U', Montillo foi expulso no confronto de ida, disputado na última terça-feira (04/02). De grande experiência no futebol brasileiro e sul-americano, o atleta cometeu duas faltas duras, em lances de carrinho, que resultaram em dois cartões amarelos. Além dele, o arqueiro Fernando De Paul é dúvida por conta de problemas digestivos.

Os chilenos foram a campo pela última vez no sábado passado, dia 8 de fevereiro. Na ocasião, jogando em casa, a Universidad conquistou importante vitória pelo placar de 3 a 0. Hernán Caputto, comandante, escalou o time com De Paul no gol, Matías Rodríguez, Diego Carrasco, Luis Del Pino e Beausejour na defesa; Camilo Moya, Sebastián Galani, Pablo Aránguiz, depois Franco Lobos, e Montillo, depois Nicolás Guerra, no meio; Ángelo Henríquez, depois Gonzalo Espinoza, e Joaquín Larrivey no ataque. Guerra veio a campo na vaga do camisa 10 aos 17 minutos da segunda etapa, e desponta como provável substituto para o duelo deste meio de semana.


A partida de ida

Os primeiros 90 minutos do confronto entre Inter e Universidad de Chile foram disputados na última terça-feira, dia 4. Realizado no Estádio Nacional, em Santiago, capital chilena, o duelo foi marcado por superioridade colorada nas ações dentro de campo, mas teve como escore final igualdade sem gols.


A força do Gigante

Desde sua reinauguração, após reforma com vistas à Copa do Mundo de 2014, o Beira-Rio já sediou 11 partidas da Conmebol Libertadores. Ao todo, foram 990 minutos de tempo regulamentar, fora os acréscimos. Mais de 16 horas de bola rolando, tempo superior ao que qualquer uma das oito seleções campeãs mundiais atuou para levantar a taça dourada. Dois terços de um dia, responsáveis por coroar retrospecto gigante do Inter em seus domínios.

O Clube do Povo soma, no remodelado Beira-Rio, nove vitórias e dois empates em confrontos do torneio. Imbatível, anotou 24 gols, número ainda mais impactante quando comparado aos apenas 10 sofridos. Estatística que constrói pujante aproveitamento de 87,8%, construído com muito empenho dentro de campo, e apoio fora dele.

Não restam dúvidas de que a força da torcida colorada, Maior e Melhor do Rio Grande, sempre foi motivo de orgulho para o Internacional. Primeiro time brasileiro a superar a barreira dos 100 mil sócios, capaz de erguer dois estádios graças ao apoio de seus torcedores - um destes sobre as águas de um rio -, o Inter não recebeu o apelido de Clube do Povo à toa.

Assim, considerando a histórica força que as cinquentenárias arquibancadas alvirrubras emanam, e reconhecendo o favorável retrospecto vermelho atuando em seu remodelado endereço, podemos afirmar para todo o continente: o Gigante está esperando seu povo. Pronto para, ao soar do primeiro apito do duelo entre alvirrubros e chilenos, jogar junto. Encurralando o adversário e, principalmente, lutando. Independente da situação. Até o final.


Arbitragem charrua

Esteban Ostojich será o árbitro do duelo desta terça-feira, auxiliado por Carlos Barreiro e Horacio Ferreiro. Trio uruguaio.


Noite para lotar nossa casa

Poucas experiências possuem capacidade transcedental parecida a de uma partida de Libertadores. Nenhuma é capaz de superar os prazeres e aromas próprios de uma noite de Copa. Qual outro campeonato seria capaz de produzir a mais harmônica e precisa mistura da euforia do samba com o drama do tango, somando a esta a malandragem das cumbias e a malemolência do reggaeton?

Não é de hoje que pulsamos ao ritmo da Libertadores

Bicampeão da América, o Inter aprendeu a disputar tão saborosa competição. Seu Povo, grande símbolo do nosso Clube, também. Se é verdade que qualquer partida disputada em nossos domínios conta com nossa torcida impondo vibração ímpar no continente aos estonteados ouvidos adversários, quando jogamos a 'Liberta' o Beira-Rio parece pulsar noutro ritmo. O vermelho fica mais forte, misturado ao rubro suor daqueles que lutam para libertar todo um continente. Uniformes, saltamos, pulamos e dançamos ao som dos surdos, tambores, bumbos e metais que servem de melodia à epopeica batalha que enfrentamos. Dentro de campo, o futebol vira um espetáculo, acompanhado, no número 891 da Padre Cacique, pela mais ruidosa platéia que você poderá encontrar.

Nesta terça, repetiremos este roteiro que tantas vezes deixou milhões boquiabertos ao redor do território latino. Time e torcida, habituados a, lado a lado, emocionar a América, jogarão juntos, mais uma vez, para o continente inteiro ver. Uma noite rara para aqueles que não desfrutam do privilégio de torcer pelo Clube do Povo, comum aos que têm no manto vermelho sua principal pele. Para acompanhar tudo isso de perto, garanta sua presença acessando aqui. Vamos, Colorado, alegria do nosso coração!


Transmissão de especialistas

A Rádio Colorada promete transmissão do mais alto nível para a noite desta terça-feira. Emissora oficial do Clube do Povo, poderá ter sua jornada acompanhada via FM 95,5, Site e APP do Clube ou, ainda, Canal do Inter no Youtube. A cobertura começa às 18h, com apresentação do 'Portões Abertos', pré-jogo feito de torcedor para torcedor, e que contará, entre seus convidados, com Wilson Mathias, meio-campista bicampeão da América com o Clube do Povo em 2010. Além dele, os vice-presidentes de Marketing e Mídia, Nelson Berny Pires, e Administração, Victor Grunberg.

Iniciada a partida, o currículo presente na cabine da Colorada no Beira-Rio estará à altura da imponência do duelo. Pedro Iarley, campeão de América e Mundo pelo Inter em 2006, vencedor da Recopa em 2007 e do Gauchão em 2008, é o comentarista convidado da noite, e permanecerá na transmissão também ao longo do pós-jogo, que trará toda a repercussão do duelo. Vem torcer com a gente nesta terça-feira de Libertadores!

Quem segue as redes sociais do Inter (@scinternacional no Facebook, Twitter e Instagram) conta com o mais completo minuto a minuto da web, recheado de imagens compartilhadas de maneira instantânea nas respectivas linhas do tempo. Na TV, a Fox Sports anuncia transmissão.


O caminho para libertar a América

Para avançar de fase, o Inter joga por triunfo de qualquer diferença. Empate com gols é vantajoso à Universidad de Chile, que também assegura a vaga em caso de vitória. Nova igualdade sem gols levará a decisão às penalidades.

O confronto entre Inter e Universidad de Chile foi identificado pela Conmebol como C5. O vencedor deste enfrentará, na terceira e última fase preliminar, anterior aos grupos, a equipe classificada do duelo entre os equatorianos do Macará e os colombianos do Tolima. Quem sair vitorioso do embate estará garantido na Chave E, que já conta com Grêmio, América de Cali-COL e Universidad Católica-CHI.


A última estreia de Libertadores como mandante

Foi diante do Alianza Lima, do Peru, que o Inter disputou sua primeira partida como mandante na Libertadores de 2019, segunda da fase de grupos do torneio. Apoiado por exatas de 42.524, o Clube do Povo foi a campo no dia 13 de março para encerrar um hiato iniciado em 15 de julho de 2015, última ocasião em que o Gigante sediara um duelo do campeonato. À altura da saudade, registre-se, esteve a atuação alvirrubra, coroada com grande vitória por 2 a 0, gols marcados por Nico López.


Outras notícias
Loja Virtual