13/03/2019

Inter e peruanos: coincidências que vão além do vermelho e branco


De amistoso na inauguração do Beira-Rio à emoção de Oscar, Clube do Povo tem história repleta de encontros com vizinho sul-americano

O Peru está presente em diferentes momentos da história do Internacional. Desde grandes partidas entre o Clube do Povo e times do país historicamente marcado pelo Império Inca, incluindo a seleção local, passando por peruanos que marcaram época no colorado gaúcho, até confrontos entre os selecionados brasileiro e peruviano dentro do Beira-Rio; não foram poucas as vezes em que o listrado vermelho e branco dos andinos cruzou com o alvirrubro gaúcho. Relembre os principais encontros a seguir.

A excursão ao Peru

Poucos dias depois de completar 61 anos de história, às vésperas da Copa do Mundo do México, o Inter realizou uma excursão ao Peru. Estavam previstos dois confrontos entre o colorado gaúcho e o selecionado local, além de uma partida contra o Juan Aurich. Antes disso, em março, o Clube do Povo havia vencido a histórica seleção peruana do técnico Didi, no Beira-Rio, por 3 a 0, graças aos gols de Claudiomiro, duas vezes, e Mosquito.

O primeiro confronto aconteceu no dia 24 de abril, contra o Peru, que na época contava com aquela considerada por muitos a melhor geração de sua história. Inclusive, em 1975, o país conquistaria sua segunda Copa América. Dentro de campo, o grande expoente técnico da equipe era o artilheiro Teófilo Cubillas, ídolo que ocupou o posto de maior goleador da seleção até março de 2016, quando foi superado por Paolo Guerrero. Em preparação para a Copa do México, o forte estrelado peruviano soube se impor, e venceu a partida por 2 a 0.

Dois dias depois, o Clube do Povo foi a campo contra o Juan Aurich. Desta vez, o atual campeão gaúcho, que conquistaria o bicampeonato em outubro daquele ano, conseguiu uma confortável vitória por 4 a 2. Os gols colorados foram marcados por Sérgio Galocha, Claudiomiro e Mosquito, duas vezes.

Encerrando a semana colorada no antigo território Inca, aconteceu no dia 28 de abril o segundo confronto entre Inter e Peru. Na ocasião, vitória gaúcha por 2 a 0. Os gols foram marcados por Valdomiro e Claudiomiro, dupla que certamente seria capaz de superar qualquer defesa, de qualquer time. A nota curiosa da partida ficou por conta do fardamento utilizado pela seleção peruana, que desejando escalar os suspensos Mifflin e Fuentes, foi a campo com o uniforme do Sporting Cristal, assim retirando o caráter oficial do amistoso. Com o triunfo, o Clube do Povo alcançou duas vitórias em três jogos contra o Peru, encerrando a melhor de três entre as duas equipes como simbólico campeão.

Estreia de Muricy, brilho de Feijão

Foi contra os peruanos do Sporting Cristal que Muricy Ramalho estreou como técnico do Inter no Beira-Rio. Disputado na noite do dia 27 de fevereiro de 2003, o amistoso tinha por objetivo preparar o Clube do Povo para as diferentes disputas que a temporada reservava, e foi vencido pela equipe da casa pelo placar de 3 a 0. Além do recém-chegado treinador, a partida teve como destaque o atacante colorado Jéfferson Feijão, autor de dois gols, o primeiro deles uma pintura, e uma assistência, para André Cruz. O Inter foi campeão gaúcho naquele ano, título que Muricy voltaria a conquistar em 2005, temporada na qual, dentro de campo, fez por merecer também o título brasileiro.

A noite de Oscar

O Inter bateu o Juan Aurich pelo placar de 2 a 0 na primeira partida da fase de grupos da Libertadores de 2012. O triunfo, conquistado graças aos gols de Oscar e Dátolo, foi o segundo na história colorada em estreias nos grupos do certame continental.

Envolvido em imbróglio judicial junto ao São Paulo, Oscar soube usar os problemas extra-campo como motivação para o jogo. Sua grande exibição foi fundamental para abrir espaços na fechada defesa peruana, como quando marcou o primeiro gol do Inter na partida, aos 23 minutos do primeiro tempo, após excelente tabela com Damião. Curiosamente, exatos quatro meses depois, a jogada entre os dois jovens atletas colorados voltaria a acontecer. Desta vez, no segundo gol brasileiro na derrota da seleção por 4 a 3 para a Argentina, marcado pelo meio-campista após excelente parede de seu companheiro de equipe.

Na comemoração do gol sobre os peruanos, Oscar não conteve a emoção e desabafou. Após beijar o escudo colorado, o atacante correu na direção da torcida, apontando repetidas vezes para o chão, como se dissesse que o gramado abençoado do Beira-Rio é o seu lugar. Contudo, apesar da vontade do atleta, entre março e maio o meio-campista esteve impedido de atuar, por conta da situação junto ao clube paulista. Seu retorno aos gramados aconteceu no primeiro jogo da final do campeonato gaúcho, quando marcou o gol do empate colorado em 1 a 1.

Todos os jogos:

26/03/1970 - Internacional 3 x 0 Seleção do Peru - Beira-Rio (Porto Alegre)
24/04/1970 - Seleção do Peru 2 x 0 Internacional - (Peru)
26/04/1970 - Juan Aurich 2 x 4 Internacional - (Peru)
28/04/1970 - Seleção do Peru 0 x 2 Internacional - (Peru)
04/04/1973 - Internacional 1 x 1 Seleção do Peru - Beira-Rio (Porto Alegre)
11/04/1973 - Seleção do Peru 3 x 0 Internacional - (Peru)
27/01/2003 - Internacional 3 x 0 Sporting Cristal - Beira-Rio (Porto Alegre)
09/02/2012 - Internacional 2 x 0 Juan Aurich - Beira-Rio (Porto Alegre)
19/04/2012 - Juan Aurich 1 x 0 Internacional - Elías Aguirre (Chiclayo, Peru)

Martín Hidalgo

Um ano e dois títulos. Assim pode ser resumida a passagem de Hidalgo pelo Inter, lateral-esquerdo que participou das conquistas do Mundial de Clubes - campeonato em que teve segura atuação na semifinal, contra os egípcios do Al-Ahly - e da Recopa Sul-Americana, em 2007. O atleta peruano encerrou sua passagem pelo Clube do Povo com 29 jogos disputados e um gol marcado.

 

Paolo Guerrero

Maior artilheiro da história da seleção peruana, protagonista na campanha que reconduziu o país a uma Copa do Mundo depois de 36 anos, atacante com passagens por gigantes do futebol como Alianza Lima, Bayern de Munique, Hamburgo, Corinthians e Flamengo; Paolo Guerrero foi anunciado como reforço do Inter em 12 de agosto de 2018. Três dias depois, era apresentado no Beira-Rio para mais de 5 mil torcedores, após ser recebido no Aeroporto Salgado Filho por outras centenas de colorados e coloradas. A euforia da Maior e Melhor Torcida do Rio Grande, contudo, teve que ser contida no final do mês, quando foi restabelecida a suspensão ao atleta. Desde o dia 05 de fevereiro do presente ano, Guerrero treina no CT Parque Gigante, aguardando pelo fim de sua punição, previsto para 05 de abril, um dia depois do aniversário de 110 anos do Clube do Povo.

 

Darío Letona

Icônica figura peruana, o técnico Darío Letona costumava declarar que “o bom futebol é jogado rasteiro”. Segundo treinador estrangeiro com maior tempo de casa no Santos, tendo passado também por Atlético Mineiro, Força e Luz, Vitória e Figueirense, o treinador comandou o Inter por uma partida no ano de 1944. Amante dos esportes, Darío afirmava ser ele o criador do revolucionário 4-2-4, esquema utilizado pelo Brasil em seus dois primeiros títulos mundiais.

A seleção que não se sente à vontade no Gigante

Nas duas partidas que disputou no Beira-Rio contra a seleção brasileira, o Peru acumula duas derrotas, com cinco gols sofridos e apenas um marcado. O primeiro embate aconteceu no dia 07 de abril de 1969, quando o selecionado peruano do técnico Didi foi convidado para participar das festividades de inauguração do Gigante.

 

Um ano depois, quando as duas seleções se enfrentaram nas quartas-de-final da Copa do Mundo do México, as mais de 80 mil pessoas que lotaram o Beira-Rio para assistir à segunda partida oficial da história do Gigante puderam se orgulhar do tamanho do confronto que haviam presenciado ao vivo. A partida disputada em terras centro-americanas foi vencido pelo Brasil pelo placar de 4 a 2, e correspondeu a um dos mais difíceis capítulos na caminhada brasileira rumo ao título. Na ocasião, Jairzinho e Gallardo, que haviam balançado as redes do estádio colorado, voltaram a marcar, acompanhados por Rivellino e Tostão (duas vezes) para o Brasil, e Cubillas para o Peru.

 

Brasil e Peru voltaram a se enfrentar no Gigante no dia 01 de abril de 2009. Desta vez, a partida, válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010, teve o 3 a 0 como placar final, construído a partir dos gols de Luís Fabiano, duas vezes, e Felipe Melo. Cria do Celeiro de Ases, Alexandre Pato substituiu Robinho no segundo tempo e teve boa atuação, assim como Kléber, lateral-esquerdo titular do Inter que esteve entre os onze iniciais do técnico Dunga.


Outras notícias
Loja Virtual