20/01/2007

FESTA INESQUECÍVEL PARA OS CAMPEÕES DO MUNDO NA SERRA

Milhares de colorados da Serra Gaúcha receberam a delegação do Inter na noite deste sábado com muita alegria em Bento Gonçalves. Foi de arrepiar. Pareciam os Beatles chegando a Nova York nos anos 60. Ou a Seleção Brasileira desembarcando depois do Tetracampeonato em 1994. Ou mesmo a volta apoteótica do Inter a Porto Alegre com a taça do Mundial em dezembro. O certo é que Bento Gonçalves viveu momentos de muita alegria e festa para recepcionar a delegação colorada campeã do mundo na noite deste sábado.

Cerca de 20 mil torcedores da cidade, dos municípios próximos como Carlos Barbosa, Garibaldi, Nova Prata, Farroupilha e Caxias do Sul, entre outros, proporcionaram cenas fantásticas. Houve carreata, passeata, foguetório, momentos de histeria, pessoas chorando de emoção, enfim um ambiente perfeito para os campeões mundiais começarem a sua pré-temporada com muito carinho e apoio.

Os jogadores deixaram o Beira-Rio às 17h11min, e a viagem que seria de cerca de duas horas durou quatro horas. Para se ter idéia, os cerca de 3 quilômetros da entrada de Bento Gonçalves até o Hotel Dall´Onder foram percorridos em duas horas, ao invés dos 10 minutos habituais. Tudo devido à grande festa proporcionada pelos colorados.

O trajeto até Bento começou tranqüilo. O tempo ruim e a chuva poderiam estragar um pouco o ânimo dos colorados da região. Mas pelo contrário. Na medida que se aproximava de Bento, o ônibus passou a ser reconhecido pelos torcedores no trajeto que abanavam e acenavam com bandeiras e camisetas. Era o prenúncio da apoteose que viria pela frente. Em São Sebastião do Caí, a delegação parou para ser acompanhada por escolta policial.

Aos poucos, carros e motos foram se juntando na estrada ao ônibus dos campeões mundiais. Na entrada de Carlos Barbosa, um foguetório enorme recepcionou os colorados. A estrada ficou interrompida cerca de 15 minutos tamanha a quantidade de carros presentes. Depois disso, começou então uma carreata gigantesca até Bento.

A entrada na cidade foi triunfal. Além do ônibus, havia um caminhão do Corpo de Bombeiros que carregou a taça do campeão mundial para delírio dos torcedores. À frente do ônibus um letreiro dizia Inter Campeão do Mundo para identificá-lo. Os consulados da região prepararam uma festa fantástica com milhares de foguetes. As pessoas saíram às ruas com seus uniformes vermelhos, bandeiras, chapéus em estilo oriental e, principalmente, muita alegria. Nem o vento forte e o frio incomuns para essa época do ano arrefeceram os torcedores. Houve carreata e passeata ao mesmo tempo. Alguns acompanharam o ônibus do Inter a pé em todo o trajeto até a entrada do hotel. Isso que Bento é uma cidade cheia de subidas e descidas. Mas nada abalou a festa da torcida.

O deslocamento lento até o hotel era acompanhado de muitos gritos, cântigos e, volta e meia, o hino colorado. Enquanto isso, na frente do hotel, cerca de 2 mil pessoas se amontoavam à espera do time. Os funcionários tinham trabalho para conter a euforia das pessoas. Havia muitas crianças com bandeiras, faixas na testa e camisetas do Inter. Um ambiente maravilhoso. De repente, os jogadores se deram conta que havia uma película no ônibus que impedia as pessoas de enxergarem direito para dentro do ônibus. Ceará então começou a arrancar a película e, em seguida, os demais atletas também fizeram o mesmo. O time queria estar cada vez mais visível ao seu povo.

Quando o ônibus se aproximou dos torcedores em frente ao hotel a torcida explodiu de alegria. A quantidade de pessoas nas ruas impedia que o ônibus chegasse mais perto do local planejado para a descida dos jogadores. Foi preciso então que um cordão de isolamento fosse providenciado. Primeiro desceram os dirigentes e os integrantes da comissão técnica. Em seguida, foi a vez dos jogadores. A cada atleta que surgia, gritos e histeria! Algumas pessoas choravam de emoção.

Os jogadores entraram rapidamente no hotel e foram até a janela do segundo andar, onde abanaram e fizeram muita festa para a torcida. Um colorado com uma réplica da taça do mundial em formato gigante subiu no caminhão dos bombeiros. Aos poucos, cada atleta aparecia na janela. Adriano Gabiru, o herói da conquista no Japão, foi um dos mais aplaudidos e teve que voltar duas vezes na sacada para acenar. ?Uh, Uh, Uh, Adriano Gabiru?, cantavam.

Em seguida, o goleiro Clemer veio até a janela com a taça do Mundial, gerando uma grande explosão de alegria. Clemer beijou a camisa do Inter e mostrou a taça ao lado de Iarley, Ceará, Edinho e os demais jogadores. Foi a senha para os gritos de ?É campeão, é campeão?. ?Essa festa toda foi até uma surpresa. Sabíamos que haveria uma manifestação, mas não sabíamos que era tão grande. A adrenalina da chegada a Porto Alegre voltou com tudo agora. Isso faz com que a gente goste cada vez mais desse clube?, afirmou Clemer.

Depois disso, os jogadores saíram das janelas e foram jantar. A partir dali, a festa havia acabado e a pré-temporada de muito trabalho estava iniciada. Mas o carinho e a emoção dos milhares de torcedores dificilmente vão sair da memória de cada jogador. Servirão certamente de inspiração e incentivo ao longo da temporada.

Fotos: Marcelo Campos


Outras notícias
Loja Virtual