19/12/2006

RECEPÇÃO: CAMPEÕES DO MUNDO NOS BRAÇOS DO SEU POVO

Por Felipe Silveira
Fotos: Jefferson Bernardes/VIPCOMM

Porto Alegre nunca viu nada igual. Uma gigantesca festa tomou conta das ruas da capital na última terça-feira para receber os campeões do mundo. No Beira-Rio, cerca de 40 mil colorados recepcionaram o Inter e comemoraram intensamente o título do Mundial Fifa, conquistado no último domingo, no Japão.

> A euforia dos campeões

A maior festa popular registrada na história de Porto Alegre começou cedo. Por volta das 9h30min, milhares de torcedores aguardavam pela abertura dos portões do Beira-Rio, onde sete horas mais tarde os campeões seriam recebidos pela massa colorada. 


Gigantesca carreata acompanhou o Inter pelas ruas de Porto Alegre

Em Canoas, a mobilização também tinha grandes proporções. As proximidades da Base Aérea, local do desembarque da delegação colorada, estavam tomadas por torcedores. Casas, edifícios e carros foram decorados com as cores do Inter. Faixas nas passarelas sobre a BR-116 saudavam os campeões do mundo.


Fernandão exibe o símbolo da conquista do Inter da cabine do avião

O avião que trazia o Inter chegou a Porto Alegre escoltado por caças da Força Aérea Brasileira e sobrevoou o Beira-Rio antes de aterrissar. A aeronave tocou o solo exatamente às 13h12min. Na cabine do avião, duas grandes bandeiras do Inter tremulavam. O primeiro a desembarcar foi o presidente Fernando Carvalho. Enrolado em uma bandeira do clube, o dirigente saudou os torcedores presentes na área militar. Logo em seguida, Fernandão apareceu envolto em uma bandeira do Brasil com a taça do Mundial Fifa nas mãos. "A ansiedade era forte para chegar ao Brasil. Com a conquista de um título desses, tem que realmente fazer muita festa. Foi suado, foi duro, contra uma das maiores equipes do mundo", declarou o capitão.


Fernando Carvalho desembarca em Porto Alegre após a conquista no Japão

O técnico Abel Braga desceu do avião com uma faixa na cabeça que trazia ideogramas japoneses. Cercado por dezenas de jornalistas, o treinador colorado festejou o retorno ao Brasil: "É muito bom estar de volta a Porto Alegre. Ainda mais depois de uma jornada vitoriosa no Japão", comemorou.


Abel Braga é recebido pelo governador Germano Rigotto

A taça mais cobiçada do mundo ficou sob a responsabilidade de Clemer. O goleiro não desgrudava dela, enquanto militares da Base Aérea posavam ao seu lado para tirar fotografias de recordação. "Agora tem mais é que comemorar! Esta taça também pertence ao torcedor", afirmou Clemer.

Depois do desembarque, o grupo recebeu uma rápida homenagem do governador Germano Rigotto, que entregou a medalha 'Mérito Riograndense' aos membros da delegação colorada. Rigotto elogiou a postura do Inter no Japão: "O título conquistado pelo Inter mostra a força do futebol gaúcho. Todos os jogadores estão de parabéns pela garra apresentada no Japão", discursou o governador durante a solenidade improvisada na Base Aérea.


Fernando Carvalho recebe a medalha 'Mérito Riograndense' de Rigotto

Em seguida, jogadores e comissão técnica subiram em dois caminhões de bombeiros para iniciar a carreata até o Beira-Rio. Os campeões do mundo deixaram a Base Aérea às 13h50min. No primeiro veículo foram os jogadores com a taça do Mundial Fifa. Abel Braga, Fernando Carvalho e os membros da comissão técnica foram logo atrás, no outro caminhão.


Campeões desfilaram em um caminhão de bombeiros (Rodney Silva)

Logo nos primeiros metros de deslocamento na Avenida Augusto Severo, em Canoas, os jogadores puderam ter noção da gigantesca festa que os acompanharia durante todo o trajeto de aproximadamente 25 quilômetros. Milhares de torcedores amontoavam-se no caminho que conduzia até a BR-116 para saudar o Inter. Atrás do caminhão, uma enorme fileira de motos e carros escoltava o time campeão. No ar, helicópteros da imprensa e da Brigada Militar acompanhavam a mobilização colorada. Nem o calor de 34° atrapalhava o entusiasmo da fanática torcida.


Caminhão de bombeiros com campeões do mundo foi seguido por milhares de colorados pelas ruas da capital

Depois da maciça festa dos torcedores de Canoas, a carreata ingressou na BR-116, às 14h35min, com destino ao Beira-Rio. Na estrada, dezenas de carros juntavam-se ao comboio, formando um engarrafamento de grandes proporções. Caminhões, carros e motos buzinavam. Torcedores corriam em volta do caminhão na tentativa de acompanhar de perto a comemoração dos jogadores. Na entrada de Porto Alegre, o Monumento Laçador estava totalmente coberto com as cores do Inter. Logo adiante, na Avenida Farrapos, uma multidão somou-se à carreata. Todos queriam ver de perto os novos donos do mundo.


Laçador foi decorado com as cores do novo campeão do mundo

A Brigada Militar estima que cerca de 650 mil torcedores mobilizaram-se para receber o Inter. Apesar disso, nenhum incidente grave foi registrado. A massa colorada queria apenas comemorar!

O caminhão dos bombeiros chegou à Avenida Mauá, no Centro da capital - outro ponto com grande concentração de torcedores - às 15h30min. Um verdadeiro mar de colorados tomou conta da avenida. Das janelas dos edifícios residenciais e dos escritórios, colorados tremulavam bandeiras e exibiam pôsteres do time campeão do mundo. Faixas como 'Abel é Deus' e 'Perdão, Adriano' também podiam ser vistas. O Centro parou para ver o Inter passar.


Mar vermelho na Mauá (Rodney Silva)

Quando parecia impossível que a festa torna-se ainda maior, mais uma surpresa: na Avenida Beira-Rio, já a poucos metros do acesso ao estádio, uma multidão aguardava o caminhão que conduzia os jogadores. Com dificuldade, o veículo ingressou no Gigante. Um foguetório com mais de cinco minutos de duração irrompeu na tarde porto-alegrense. A movimentação no Beira-Rio era tão intensa quanto a registrada na final da Libertadores.


Colorados lotaram o Beira-Rio para receber o Inter

Dentro do estádio, cerca de 40 mil torcedores protagonizavam um emocionante espetáculo enquanto aguardavam pela chegada dos campeões do mundo. Shows musicais em um palco montando no gramado distraíam a massa. Para refrescar os colorados, os bombeiros atiravam água nas arquibancadas. O placar eletrônico registrava o resultado Inter 1x0 Barcelona, lembrando a histórica vitória da final do Mundial.


De volta para a casa: jogadores se encontram com a torcida

O Beira-Rio rugia. Porto Alegre estava parada. Foi quando, às 16h33min, surgiram os jogadores no túnel. A torcida explodiu como se um gol fora marcado. Enfim, o tão aguardado encontro aconteceu. Um por um, os jogadores foram entrando no gramado. Ao som do hino do clube, o Inter foi recebido de forma apoteótica por sua fiel torcida.

Uma cerimônia similar à premiação da final do Mundial Fifa foi realizada no campo. Quando Fernandão ergueu a taça mais importante dos 97 anos de história do clube, o Beira-Rio explodiu em um só grito: "É campeão!". Logo, uma chuva de papéis prateados jorrou em cima dos campeões, enquanto fogos de artifício eram detonados no centro do gramado. A comoção tomava conta das arquibancadas. Sorrisos, choros incontidos e muita vibração brotavam no rosto de cada torcedor. Todos agradeciam por poderem vivenciar um momento tão sublime.


Momento mágico: Clemer ergue a taça no Beira-Rio

Inusitadamente, os jogadores dispararam em direção à Torcida Popular, situada atrás da goleira do placar eletrônico. Como um agradecimento ao apoio incondicional prestado durante toda a temporada, os campeões do mundo ergueram a taça em frente aos fiéis torcedores, que retribuíram cantando o tradicional "Colorado, Colorado, nada vai nos separar". A empatia entre time e torcida era plena. O Beira-Rio emanava uma energia única.


Clemer agarra a taça durante a volta olímpica no Beira-Rio lotado

Radiantes de felicidade, os jogadores iniciaram a volta olímpica. Rentes à mureta que separa o campo da arquibancada, os campeões saudavam a torcida. Torcedores que estavam no gramado agarravam-se aos jogadores. Adriano, autor do gol sobre o Barcelona, era um dos mais assediados. "Nunca vivi nada igual. A festa é impressionante", afirmou o meia.

Encerrada a tradicional volta olímpica, os jogadores postaram-se em frente à Social, logo abaixo das cabines de imprensa. A cobertura de policarbonato instalada no acesso ao campo transformou-se em um palco improvisado, onde Clemer e Fernandão exibiram a taça do Mundial para a torcida. Através de um microfone, a dupla mandou mensagens para os colorados e estimulou ainda mais a festa nas arquibancadas.


Fernandão (E) e Clemer comandaram a festa junto à torcida

"Este é um momento ímpar. Somos torcedores, colorados de coração antes de tudo. Este é um presente de Natal para todos vocês", declarou Clemer no sistema de som do estádio.

Com muita desenvoltura, Fernandão comandou a festa com o microfone: "Vamo, vamo, Inter!", cantou o capitão, lembrando uma das músicas símbolo do Inter. Em seguida, fez um discurso emocionado. Os 40 mil torcedores silenciaram para ouvir a mensagem do ídolo: "Parabéns pela festa que vocês estão nos proporcionando. Segurei o choro umas dez vezes durante a carreata. Vocês merecem esta conquista!", afirmou.

Prontamente, os colorados entoaram os gritos de guerra que acompanham a trajetória de Fernandão no Inter: "Uh, Fernandão! Uh, Fernandão!" e "Uh, terror, Fernandão é matador!". A torcida gritou o nome de todos os jogadores que estiveram no Japão. O presidente Fernando Carvalho também foi lembrado durante a comemoração, assim como as jovens revelações do Inter, Luiz Adriano e Alexandre Pato. Bem humorados, os colorados cantaram uma música para o famoso meia-atacante do Barcelona: "Ronaldinho, vai tomar...! Quem tem o Pato não precisa de você", brincaram.


Fernandão concede autógrafos: um dia inesquecível no Beira-Rio

Incansáveis, apesar das 40 horas de viagem, os jogadores partiram para comemorações individuais junto à torcida. Os colorados não arredavam o pé do Beira-Rio. Todos queriam aproveitar ao máximo o histórico momento. Somente por volta das 18h que a multidão começou a se dissipar, e os jogadores foram para o vestiário. No entanto, pelas ruas de Porto Alegre, a festa prosseguia no mesmo ritmo que havia começado 10 horas antes. A julgar pelo tamanho da conquista no Japão e o amor que os colorados nutrem pelo Inter, a tendência é que a comemoração se estenda por muito mais tempo.


Outras notícias
Loja Virtual