11/03/2018

400 vezes D'Alessandro

Tudo começou no dia 13 de agosto de 2008. Em um Gre-Nal, o de número 371 da história, D'Alessandro vestiu pela primeira vez a camisa do Internacional em uma partida oficial. Ainda não carregava o número 10 às costas e, sim, o 15, usado nas conquistas do mundial de juniores (2001) e do ouro olímpico (2004, em Atenas) pela seleção argentina.

E nada mais emblemático do que um clássico - acabou empatado em 1 a 1, no Beira-Rio, pela fase classificatória da Copa Sul-Americana da qual o Colorado viria a ser campeão meses depois - para iniciar uma trajetória que se mistura com a própria história recente do Clube do Povo. Afinal, não há como pensar no Inter dos últimos 10 anos sem lembrar deste argentino de personalidade forte que mora no coração de cada colorado e colorada.


Vestiu a camisa: D'Ale, desde cedo, incorporou a alma colorada

Agora, neste 11 de março, também em um Gre-Nal e diante da sua torcida, D'Ale chega à marca de 400 jogos pelo time que aprendeu a amar. Está entre os sete jogadores que mais atuaram nos 108 anos do Clube. Nesta quase uma década defendendo o Inter, o capitão colorado colecionou lances de pura genialidade. Como não lembrar do tradicional drible 'La Boba' ou de dezenas de passes cirúrgicos que consagraram companheiros com gols? E, é claro, de gols, muitos gols por ele anotados. São 85 até o presente momento.


Por obra do destino, camisa 10 completou 400 jogos justamente em um Gre-Nal

O sucesso da carreira de D'Alessandro no Beira-Rio fica ainda mais evidente quando se olha para o cartel de títulos deste portenho de 36 anos: uma Libertadores da América, uma Copa Sul-Americana, uma Recopa Sul-Americana, seis Campeonatos Gaúchos e uma Recopa Gaúcha. Também foi eleito, em 2010, o melhor jogador das Américas e o melhor jogador estrangeiro do Brasileirão, em 2013.

Tudo o que for dito ou escrito não irá se comparar ao deleite de poder ver em campo Andrés Nicolás D'Alessandro com a camisa 10 do Colorado. Que as atuações do nosso maestro continuem sendo, por muito mais partidas, um capítulo à parte das jornadas do Internacional! Parabéns, D'Ale!

Gre-Nal é com ele


Íntima relação com o clássico: D'Ale soma oito gols em 29 clássicos

D'Alessandro é a cara do Gre-Nal. O gringo mergulha fundo na rivalidade que divide o Rio Grande do Sul e tem sido um personagem marcante na história moderna do confronto. Já disputou 29 vezes o clássico e marcou oito gols, o primeiro deles na sua primeira temporada pelo Clube do Povo, em 2008. No ano seguinte, no seu segundo embate com o Grêmio, marcou um golaço, de fora da área, na disputa válida pelo Gauchão de 2009, realizada em Erechim. Na mesma temporada, marcou novamente na série de quatro vitórias do Inter em cinco Gre-Nais disputados naquele ano.

E teve mais: gols em finais de Estaduais que ajudaram na conquista de título e gol que valeu vaga na Libertadores de 2012, este anotado, de pênalti, na última rodada do Brasileirão de 2011.


Meia participou da conquista de seis títulos gaúchos

Vale recordar no vídeo abaixo postado por torcedores na internet os oito gols que fizeram os colorados pularem de alegria!

Além dos gols em Gre-Nais, o mastero também deixou a marca em outros clássicos do futebol brasileiro. Abaixo, alguns memoráveis:

Chegou e conquistou título inédito

Cerca de quatro meses depois de ser apresentado como o novo reforço do Clube do Povo, D'Alessandro colocou a sua primeira faixa de campeão no peito. E foi um título de alto quilate, inédito para o Inter e para o futebol brasileiro: a Copa Sul-Americana, em 2008.


Copa Sul-Americana foi a primeira taça erguida pelo capitão

O argentino foi decisivo ao longo da campanha invicta até a taça. Na segunda partida das quartas de final, contra o Boca Juniors, na Bombonera, 'El Cabezón' se sentiu em casa na sua terra natal e foi um verdadeiro pesadelo para os rivais. Em um palco bem conhecido por ele dos tempos em que defendia o River Plate, D'Ale fez uma passe milimétrico que culminou com o gol da vitória por 2 a 1, anotado por Alex. Mais tarde, no segundo duelo da semifinal contra o Chivas Guadalajara, marcou dois gols na vitória por 4 a 0. Era apenas o início de uma jornada repleta de alegrias.

Desfilou categoria pela América


Argentino foi fundamental na campanha do Bi da América

Dono de uma inteligência diferenciada e um pé esquerdo calibrado, o meia-atacante foi o principal pilar do meio-campo do Inter na conquista do Bi da Libertadores de 2010. Nas partidas decisivas, chamou a responsabilidade para si - driblou muito, arriscou venenosos chutes de longe e ajudou até mesmo na marcação, com a mais pura raça argentina. Acabou sendo eleito o melhor jogador da América pelo jornal El Pais.

Maestro de alta classe


D'Ale soma exatamente uma centena de passses que resultaram em gols

Jogador cerebral, de passe refinado, D'Ale sempre se notabilizou pelo elevado número de assistências. Nas 11 temporadas (computando números até agora, em 2018), soma exatamente 101 passes que resultaram em gols. Uma virtude e tanto de um camisa 10 nato!

> Os números não mentem

2008 — 18 jogos (4 gols e 6 assistências)
2009 — 48 jogos (11 gols e 11 assistências)
2010 — 44 jogos (5 gols e 13 assistências)
2011 — 52 jogos (16 gols e 11 assistências)
2012 — 33 jogos (3 gols e 7 assistências)
2013 — 58 jogos (20 gols e 13 assistências)
2014 — 47 jogos (11 gols e 14 assistências)
2015 — 36 jogos (5 gols e 5 assistências)
2016 — 4 jogos (1 gol)
2017 — 52 jogos (8 gols e 16 assistências)
2018 — 8 jogos (1 gol e 5 assistências)

Mestre de cerimônia


Emoção ao marcar o gol da reinauguração do Beira-Rio

Em 2014, o modernizado Beira-Rio foi reinaugurado com vistas para a Copa do Mundo. Em um amistoso diante do Peñarol, D'Alessandro marcou, em cobrança de falta, o primeiro gol do 'novo' estádio. Tinha que ser assim! Um jogador que se sente tão à vontade no Gigante poder celebrar o início de uma nova era da casa dos colorados!

Um até logo para um retorno decisivo


Emoção na despedida: D'Ale ficou longe do Beira-Rio por uma temporada

Um dia que todos colorados temiam que chegasse: a despedida de D'Ale. No dia 3 de fevereiro de 2016, contra o São José-POA, no Passo D'Areia, o camisa 10 fez a sua última partida antes de retornar ao River Plate, clube onde iniciou sua exitosa carreira. Além de valer pela primeira rodada do Gauchão, em jogo também estava o título da Recopa Gaúcha. Para encerrar em grande estilo uma etapa da sua vida, o argentino ergueu mais uma taça após vitória nas penalidades máximas. Naquela noite, lágrimas de felicidade se misturaram com outras de melancolia pela partida do ídolo.

Mas como toda história de amor parece nunca ter fim, D'Alessandro voltou ao Beira-Rio já no início de 2017, justamente em um temporada que prometia ser dura, pois o Inter tinha pela frente a Série B do Brasileirão. Como era esperado, o meio-campista mostrou o seu comprometimento com o Clube do Povo e foi um dos principais personagens na campanha de retorno à elite do futebol brasileiro. A história precisava continuar sendo escrita com a participação do argentino mais gaúcho que já passou pelo Beira-Rio!

Cidadão de Porto Alegre

Após tantos anos no Clube do Povo, os laços criados vão além das fronteiras do Beira-Rio. Hoje, D'Alessandro é literalmente um cidadão porto-alegrense. Em 2015, recebeu a honraria de Cidadão Honorário de Porto Alegre pelos feitos dentro e fora de campo, como o projeto Lance de Craque, no qual milhares de pessoas carentes são beneficiadas desde 2014. Como se não bastasse, Gonzalo, seu terceiro filho, nasceu "brasileiro, gaúcho e colorado", nas próprias palavras do craque, que fez questão de registrá-lo por aqui.

D'Alessandro com o tradicional mate


Outras notícias
Loja Virtual