28/11/2006

DE OLHO NOS ADVERSÁRIOS

O Internacional está atento aos possíveis adversários no Mundial do Japão. O auxiliar técnico Roberto Moreno, o Robertinho, está ajudando o técnico Abel Braga no levantamento de informações sobre os times que disputarão a competição no continente asiático a partir do dia 10 de dezembro. Confira a entrevista com Robertinho e saiba mais sobre os preparativos para a disputa no Japão.


Auxiliar técnico Robertinho acompanha de perto os times que disputarão o Mundial

Como foi a tua a viagem para conhecer os adversários do Inter no Japão?

Roberto Moreno - Foi uma viagem longa e cansativa, mas muito proveitosa. As observações que foram feitas sobre o Al-Ahly e 0 Auckland City foram boas para conhecer os sistemas e os jogadores das equipes. Pude constatar que o Al-Ahly é uma equipe muito boa fisicamente e com jogadores de boa qualidade técnica. Estão enganados quem pensar que o Al-Ahly são da linha morta do Mundial. Por outro lado, estamos correndo atrás de informações do Auckland City (Oceania), que é um time que me impressionou muito. Já tenho observações do time, entrei em contato com um ex-jogador que era o goleiro titular a meses atrás e que mora em Belo Horizonte. É uma equipe que utiliza muito as jogadas de bola parada.

Quanto aos adversários da outra chave, temos o América do México e o Barcelona. O que podemos falar sobre eles?

Roberto Moreno - Temos analisados os cinco últimos jogos do Barcelona. Nós priorizamos os jogos que o Barcelona não conseguiu vencer. Isso para averigüar as razões que levaram o Barcelona a não vencer. No caso, as partidas contra o Chelsea, o Real Madrid e o Werder Bremen. Estamos realmente estudando a fundo os detalhes dos adversários. Estou assistindo todos os dias o Barcelona jogar em DVDs em minha casa. Vamos analisando cada detalhe que pode fazer a diferença. Está sendo tudo muito bem estudado com antecedência. O Inter tem que estar em condições para não ser surpreendido.

E caso o América vença o adversário asiático, como o Inter está se preparando para um possível confronto contra os mexicanos?

Roberto Moreno - Tenho um DVD de um amistoso que o América empatou com o Barcelona em 2 a 2. Quando nós fomos jogar contra o Pumas, fiquei no mesmo hotel que a equipe do América. Observamos alguns detalhes e até mesmo fui num treinamento deles. Naquela época nem se sonhava que eles poderiam ser um dos adversários no Japão. Nós estamos priorizando todos os adversários. Mas é o primeiro jogo que temos que priorizar, pois não adianta nada nós se concentrarmos no Barcelona e não passarmos pela primeira etapa.

Como funciona o seu trabalho junto ao técnico Abel Braga?

Roberto Moreno - É um trabalho de grande responsabilidade. Todo o esquema tático do Abel passa por uma análise que ela, eu e o Leomir fazemos do time. O Abel avalia os relatórios que faço e juntamos as idéias de equipe. Armamos várias alternativas para enfrentar os adversários em qualquer competição. O Abel valoriza muito esse trabalho ao lado do trabalho. O Abel ele vive, transpira e respira o seu time e o trabalho com os adversários. Uma hora e meia antes dos treinos, o Abel já começa a estudar as equipes adversárias e o sistema tático do time colorado.

* entrevista publicada na edição de nº 30 do Jornal do Inter


Outras notícias
Loja Virtual