04/07/2017

Isadora Haas: mais uma Guria Colorada na Seleção Brasileira

Da peneira das Gurias Coloradas para a Seleção Brasileira. Essa é a trajetória dos últimos meses da zagueira Isadora Haas Gehlen, 16 anos. A Isadora. Logo nas suas primeiras partidas pelo Internacional, ela chamou a atenção dos observadores e seu nome foi confirmado na lista de convocadas à Seleção Sub-17 na manhã desta terça-feira.

Isadora é a segunda Guria Colorada a fazer parte da equipe que realiza períodos de treinamentos na Granja Comary - Helena também foi convocada em junho. Ela se apresenta no dia 18 de julho.

"O hino do Sport Club Internacional se chama Celeiro de Ases. O significado está aí. Seguimos e seguiremos por muito tempo revelando grandes talentos nas nossas bases. O futebol feminino segue a mesma trajetória que já é uma tradição", valoriza o vice-presidente de Relacionamento Social, Norberto Guimarães. 

Na escalação da treinadora Tatiele Silveira, Isadora é zagueira. Mas tem entre as suas características saber marcar gols. Já foram sete marcados em cinco partidas oficiais pelo Internacional.

“Sou uma jogadora dinâmica com boa leitura de jogo e explosão, o que ajuda na finalização”, diz a zagueira.

Natural de Montenegro, ela deu seus primeiros toques na bola aos 6 anos. E como havia poucas meninas dispostas como ela a jogar futebol, Isadora encarava os meninos mesmo.

“Sempre joguei com meninos desde pequena e eles sempre me respeitaram. Esse convívio me ajudou muito a ganhar força e melhorar minha leitura de jogo", conta.

Uma polivalente, que jogava e chamava a atenção entre os guris, Isadora acabou se adaptando. Não é à toa que hoje ela faz parte da equipe Sub-17 e é também uma das figuras destacadas na equipe Adulta das Gurias Coloradas.


Isadora Haas Gehlen, a mais nova convocada para a Seleção Brasileira de Base

"A Isadora é resultado direto do trabalho qualificado de avaliação técnica e de valorização das categorias de base do futebol feminino que o clube tem feito. Valoriza ainda mais o trabalho de todos os envolvidos no departamento", acredita o diretor de futebol feminino, César Schunneman.

Desde março, quando foi aprovada na peneira, a rotina da Isadora é intensa. Diariamente, ela estuda em Montenegro e, à tarde, está a postos nos treinos em Porto Alegre.

“Fiquei sabendo da convocação na saída da escola. Meu pai estava com o Cesar (Schunneman, diretor de futebol) no viva-voz e me deram a notícia da convocação”, conta ela.

Jogar na Seleção Brasileira sempre foi um sonho da zagueira. Quem sabe não siga o mesmo caminho de outra gaúcha, considerada por ela como um modelo _ a também zagueira, Mônica, atleta da Seleção e do Orlando Pride. Ela só não esperava que tudo acontecesse tão rápido.

“A ficha da convocação agora já caiu. Quero manter o foco e trabalhar ao máximo para chegar lá e mostrar tudo para garantir o espaço no time e nas próximas convocações”, avisa a Isadora.


Outras notícias
Loja Virtual