07/06/2017

Tríplice Coroa: um título para poucos

A simbologia da 'Tríplice Coroa' remete ao período dos grandes impérios, evocando a figura de um rei conquistador, que governa simultaneamente três territórios. Transpondo este conceito para o esporte, seria um título não oficial concedido a um time ou esportista que conquista três importantes títulos em sequência ou em uma mesma temporada.

E foi exatamente o que o Internacional protagonizou nas temporadas 2006 e 2007 - foi campeão da Libertadores da América e do Mundial de Clube do Japão, em agosto e dezembro de 2006, respectivamente, e da Recopa Sul-Americana, no dia 7 de junho de 2007, ou seja, há exatos 10 anos. O Inter foi o terceiro clube da América a conquistar a Tríplice Coroa. Antes dele, apenas o Nacional, de Montevidéu, e o São Paulo haviam conseguido este feito. Em 2013, o Corinthians também se igualou nos três títulos sucessivos.

carregando galeria...

Vamos relembrar o primeiro título da Recopa, conquistado há exatos 10 anos?

> Pachuca 2x1 Inter
31/05/2007 - Estádio Miguel Hidalgo


Alexandre Pato marcou no jogo de ida, no México

O Internacional enfrentou o Pachuca do México na decisão do título da Recopa Sul-Americana. O confronto marcou o encontro entre os campeões da Libertadores da América e da Copa Sul-Americana das edições de 2006. No primeiro jogo, no Estádio Miguel Hidalgo, na cidade de Pachuca del Soto, o Colorado foi derrotado por 2 a 1. Alexandre Pato abriu o placar, mas Gimenez, com dois gols, virou para o time mexicano. O resultado obrigava que o Inter vencesse o jogo de volta, uma semana depois, no Beira-Rio, para ficar com a taça.

Ficha técnica:

Pachuca (2): Calero; Garcia, Mosquera e Pinto; Rojas, Correa (Rodriques), Caballero, Alvarez e Salazar; Gimenez (Arellano) e Landin (Cacho).
Técnico: Enrique Meza.

Internacional (1): Clemer; Ceará, Sidnei, Mineiro e Rubens Cardoso; Edinho, Wellington Monteiro, Maycon, Fernandão (Christian, 31min2ºt) e Pinga (Perdigão, 34min30seg 2ºt); Alexandre Pato (Iarley, 15min40seg 2ºt). Técnico: Alexandre Gallo.

Gols: Alexandre Pato (I), aos 3min50seg do primeiro tempo, Gimenez (P), aos 16min do primeiro tempo, Gimenez (P), aos 34min do segundo tempo. Cartões amarelos: Mosquera, Landin, Fausto (P), Wellington Monteiro, Mineiro, Edinho (I). Arbitragem: Carlos Chandia (Chile), auxiliado por Lorenzo Acuña (Chile) e Manuel Rodriguez (Chile). Estádio: Miguel Hidalgo, em Pachuca del Soto (México).

> Inter 4x0 Pachuca

07/06/2007 - Estádio Beira-Rio

Em um Beira-Rio lotado, com mais de 50 mil torcedores, o Inter foi em busca da virada. O time treinado por Alexandre Gallo entrou em campo com algumas mudanças em relação à primeira partida realizada no México, onde perdeu por 2 a 1. 


No Beira-Rio, Inter ergueu a inédita taça sul-americana

O primeiro tempo do Inter foi extremamente eficiente. Com marcação forte, o time colorado não deixou os mexicanos jogarem - o Pachuca não deu um chute a gol durante todos os primeiros 45 minutos. Aos 29min, Alex, de pênalti, abriu o placar. Aos 4min da etapa final, Rubes Cardoso ampliou, resultado que já garantia o título. Aos 18min, Alexandre Pato recebeu lançamento, entrou na área, enganou o zagueiro Lopez com uma gingada de corpo e chutou forte e rasteiro para fazer 3 a 0. Nas arquibancadas, a torcida do Inter já cantava é campeão! Isto que faltavam 25 minutos para o jogo acabar.

Aos 31min, Pinga, de excelente atuação, roubou a bola, entrou na área e cruzou para Pato. O zagueiro Mosquera tentou cortar e acabou marcando gol contra. Um massacre colorado nos mexicanos. Depois disso, o Inter passou a tocar a bola e esperar o apito final. Quando ele chegou, o carnaval colorado tomou conta do Beira-Rio, com direito à invasão do gramado por milhares de colorados.

Ficha técnica:

Internacional (4): Clemer; Ceará, Índio, Sidnei (Mineiro, 35min2ºt) e Rubens Cardoso (Maycon, 20min2ºt); Edinho, Wellington Monteiro, Alex e Pinga (Perdigão, 39min2ºt); Iarley e Alexandre Pato. Técnico: Alexandre Gallo.

Pachuca (0): Calero; López, Mosquera e Pinto; Cabrera (Rodriguez), Correa, Caballero, Chitiva (Landin) e Salazar (Alvarez); Gimenez e Cacho. Técnico: Enrique Meza.

Gols: Alex (I), aos 29min50seg do primeiro tempo, Pinga (I), aos 4min20seg do segundo tempo, Alexandre Pato, (I), aos 18min30seg do segundo tempo, Mosquera (I, contra), aos 31min30seg do segundo tempo. Cartões amarelos: Sidnei, Alex, Iarley, Rubens Cardoso (I), Pinto (P). Expulsão: Pinto (P). Renda: R$ 1.147.351,00. Público: 51.023 (46.744 pagantes). Arbitragem: Sérgio Pezzotta (ARG), auxiliado por Ricardo Casas (ARG) e Walter Velaz (ARG). Local: Estádio Beira-Rio.

Grupo campeão


Clique aqui
e confira os jogadores que compuseram o grupo campeão em 2007

Com a coroa no peito

Pouco depois da Recopa 2007, o Internacional criou um distintivo comemorativo à conquista da Tríplice Coroa que esteve presente no uniforme oficial até a temporada 2009, quando foi substituído pelo símbolo atual. Por meio do site, o Clube promoveu uma votação entre os sócios para escolher entre diferentes opções do escudo celebrativo. O mais votado tinha ramos de louro alusivos à conquista do Campeonato Brasileiro Invicto, em 1979, e uma coroa que representava os títulos da Libertadores da América (2006), do Mundial de Clubes (2006) e da Recopa Sul-Americana (2007), ou seja, a Tríplice Coroa.

Sobre a Recopa

A Recopa Sul-Americana é uma competição oficial organizada pela Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL). Sua primeira edição ocorreu em 1989, sendo disputada até 1998 entre os vencedores da Libertadores e da Supercopa dos Campeões da Libertadores. Foi retomada em 2003, quando passou a colocar frente a frente os campeões da Libertadores e da Copa Sul-Americana, uma vez que a Supercopa foi extinta. Além do título de 2007, o Inter tambén ergueu a taça em 2011, quando bateu o Independiente-ARG.


Outras notícias
Loja Virtual