21/12/2016

Mário Sérgio eternizado no Centro de Imprensa do Beira-Rio

O centro de imprensa do Internacional será nomeado como Mário Sérgio Pontes de Paiva, em homenagem ao eterno jogador, treinador e comentarista falecido no trágico acidente com o avião que levava a delegação da Chapecoense, jornalistas e tripulantes no dia 29 de novembro. A pedido da família de Mário Sérgio, a placa que eternizará o seu nome será inaugurada pelo jornalista e grande amigo seu Adroaldo Guerra Filho, que trabalha no Grupo RBS, às 10h30 desta quinta-feira (22/12).

Mário Sérgio jogou no Inter pela primeira vez em 1979, contratado do Rosario Central, da Argentina, a pedido do então atleta do Inter Paulo 
Roberto Falcão. Quando chegou, Mário Sérgio trazia no currículo passagens por grandes clubes do país, como Fluminense e Botafogo e duas Bolas de Prata da Placar, em 1973 e 1974, conquistadas quando jogava no Vitória.

Na equipe de Ênio Andrade, atuou em uma função moderna para a época: o quarto homem de meio-campo, que armava o jogo pelo lado do campo e tabelava com o lateral, principalmente pela esquerda. Foi uma das principais figuras da única equipe campeã brasileira invicta, titular da equipe até as partidas finais contra o Vasco da Gama.

Mário Sérgio também foi vice-campeão da Libertadores de 1980 e campeão gaúcho de 1981, quando saiu para atuar no São Paulo. Voltou à equipe colorada em 1984, após vencer o Mundial pelo Grêmio – e foi aplaudido pelas duas torcidas no “Gre-Nal das faixas”. Naquele ano, foi campeão gaúcho, da Copa Kirin e do Torneio Heleno Nunes. Em 2009, voltou ao Internacional como técnico. No comando da casamata vermelha, Mário Sérgio conseguiu o vice-campeonato brasileiro.

Como comentarista, atuou na Band e na FoxSports. Como homenagem pela sua história no Internacional e no jornalismo, o atual setor de mídia do clube levará para sempre seu nome. 


Outras notícias
Loja Virtual