24/11/2016

Semana da Consciência Negra: Nelson Silva, o criador do hino oficial

Quando começa a estrofe “Glória do desporto nacional, ó Internacional, que eu vivo a exaltar!”, o torcedor colorado sabe bem que está ouvindo “Celeiro de Ases”, o hino oficial colorado. Apesar do canto emocionado em dias de jogo e as muitas regravações feitas desde a criação deste cântico, poucos sabem sobre o autor dessa composição que faz parte do cerne do Clube. Por isso, Nélson Silva é o terceiro homenageado em alusão ao Mês da Consciência Negra.

Nascido no ano de 1916, o carioca Nélson Silva era torcedor fanático do Flamengo. Em excursão pelo grupo “Águias da Meia-Noite”, no ano de 1943, se apaixonou pela cidade de Porto Alegre e decidiu ficar, onde chegou a ser diretor de departamento da Rádio Farroupilha e da TV Piratini. Tornou-se um ávido torcedor colorado ao perceber a aceitação da comunidade negra por parte do Clube.

As décadas de 1940 e 1950 foram de grandes conquistas, então o Internacional decidiu realizar um concurso para a criação de um hino que representasse os colorados. Foi então que, em 1957, ao ouvir a derrota do Internacional para o Aimoré enquanto esperava sua noiva, escreveu os famosos versos que estariam na ponta da língua do torcedor. Apesar de não ter se inscrito oficialmente, o compositor presenteou o Clube com a canção, junto de outra na qual homenageava o Beira-Rio, após ter apresentado a música diversas vezes na rádio onde trabalhava e em bares.

Nélson Silva viria a falecer no dia 16 de março de 1983, com 66 anos, mas fez questão de dizer, em seus últimos momentos, que ser torcedor do Inter e criador do hino eram seus maiores patrimônios. Esse pensamento é recíproco, e Nélson Silva figura também entre os maiores legados do Clube.

Leonardo Dutra
Museu do Inter

> Saiba mais sobre o hino 'Celeiro de Ases'


Outras notícias
Loja Virtual