Internacional

Sport Club Internacional

Official Website

16/08/2006

A América é do Inter!!!

O Internacional é o maior time da América! O time colorado conquistou o título da Copa Libertadores da América com um empate dramático por 2 a 2 com o São Paulo na noite do dia 16 de agosto no Beira-Rio. Os gols do Inter foram marcados por Fernandão e Tinga. Fabão e Lenílson fizeram os gols paulistas. O Inter jogou os últimos 27 minutos com um jogador a menos porque Tinga foi expulso. O título veio porque a equipe colorada venceu o primeiro jogo no Morumbi por 2 a 1. Agora, o Inter parte para a disputa do Mundial Interclubes, em dezembro, no Japão.


Fernandão ergue a taça da conquista histórica (Jefferson Bernardes/VIPCOMM)

O ambiente antes da partida já demonstrava toda a tensão e emoção que seriam vividos algumas horas depois. A torcida colorada, totalmente mobilizada, chegou cedo ao Beira-Rio. Cinco horas antes de o jogo começar, havia filas quilométricas que se alongavam por todo o Complexo Beira-Rio.

No momento em que o ônibus que trouxe a delegação para o Beira-Rio adentrou as dependências do estádio, os torcedores correram para seguí-lo até a porta do vestiário. Com gritos de apoio, a torcida gritou o nome de cada jogador que descia do veículo em direção ao vestiário.

Quando o time colorado entrou em campo, o Beira-Rio completamente lotado explodiu em uma grande manifestação de apoio e fé na conquista. Os jogadores puderam sentir desde cedo a energia positiva que vinha das arquibancadas.

O técnico Abel Braga escalou um time com o esquema 3-5-2 com a entrada do zagueiro Índio no lugar do volante Fabinho, que foi expulso na primeira partida no Morumbi. Com isso, a zaga foi formada por Índio, Bolívar e Fabiano Eller. O meio-campo teve Ceará e Jorge Wagner nas alas, enquanto Edinho, Tinga e Alex ocuparam o setor central. No ataque, a dupla composta por Sobis e Fernandão.


Alex teve atuação destacada (Jefferson Bernardes/VIPCOMM)

O São Paulo teve mudanças também. O atacante Ricardo Oliveira, que teve o contrato encerrado, não pôde atuar, entrando Aloísio em seu lugar. No meio-campo, Richarlyson foi o escolhido para ocupar a vaga de Josué, que foi expulso na primeira partida.

O primeiro tempo foi típico de uma decisão. Muita marcação dos dois times, passes errados e faltas em profusão. O São Paulo, com a necessidade de vencer foi pra cima, mas o time colorado esteve bem posicionado atrás e segurou a pressão dos primeiros minutos.

A 1min50seg, Júnior cobrou fala, Aloísio cabeceou para Danilo chutar e Clemer defender. Aos 6min5seg, novamente Aloísio rolou para Danilo concluir forte de fora da área e Clemer defender para escanteio. Na cobrança, aos 6min40seg, a bola sobrou para Lugano livre na área bater de primeira por cima, perdendo ótima chance.

O Inter respondeu aos 9min45seg com Jorge Wagner cobrando escanteio, Índio cabeceando para pequena área até que Lugano salvou. Aos 11min, Jorge Wagner foi lançado na área, chegou antes de Rogério Ceni na bola e chutou, mas o goleiro conseguiu salvar em grande saída de gol.


Torcida já está com a cabeça no Japão

Aos 13min25seg, Jorge Wagner deu grande passe para Fernandão, que entrou na área e, quando iria chutar, foi desarmado por Edcarlos, de carrinho. Aos 17min, Souza cobrou escanteio, Clemer não conseguiu cortar, e a bola sobrou para Fabão concluir fraco para fora. Aos 17min30seg, o jogo foi paralisado devido à fumaça que impedia os jogadores de enxergarem. A fumaça foi provocada por sinalizadores dos torcedores.

Depois de cinco minutos de paralisação, a partida recomeçou. Aos 24min40seg, Aloísio recebeu na entrada da área e girou por cima. Aos 25min50seg, Sobis fez boa jogada pela direita e cruzou para Souza salvar na pequena área para escanteio.

O Inter seguiu buscando o gol. Aos 26min45seg, Jorge Wagner cobrou escanteio, Ceará desviou de cabeça no primeiro pau, e a bola foi até Índiio, na pequena área, chutar por cima, quase marcando o gol.


Fernandão (E) parte para a comemoração ao lado de Eller

Aos 29min, gol do Inter. Jorge Wagner cobrou falta da direita, Rogério Ceni tentou defender, mas soltou a bola. Fabiano Eller conseguiu tirar a bola do goleiro com um leve toque e passou para Fernandão, livre, na pequena área. O atacante empurrou de carrinho, com o pé direito, para o gol vazio: Inter 1 a 0. E o Beira-Rio explodiu de alegria.

Depois do gol, o jogo ficou um pouco mais lento. O São Paulo não conseguiu mais atacar com tanto perigo, enquanto o time colorado conseguiu se fechar ainda mais. Aos 45min, Jorge Wagner cobrou outra falta, Fabiano Eller cabeceou para Índio, também de cabeça, concluir no travessão, quase ampliando para o Inter. Aos 46min, Júnior, em cobrança de escanteio, ergueu para Fabão concluir ao lado, no último lance de perigo do primeiro tempo.


Inter lutou muito em campo pela conquista do título (Jefferson Bernardes/VIPCOMM)

O segundo tempo foi dramático e impróprio para cardíacos. Com a desvantagem, o São Paulo precisava marcar dois gols para levar o jogo à prorrogação. Já o Inter tentou matar o jogo cedo. A 1min, Ceará foi a linha de fundo e cruzou para Fernandão concluir de primeira ao lado do gol.

A equipe paulista respondeu com força. Aos 5min40seg, Souza cobrou falta, Lugano desviou de cabeça até Fabão, livre, chutar na saída de Clemer: 1 a 1. Aos 10min45seg, Souza cruzou e Lugano cabeceou para defesa de Clemer. Aos 13min, Jorge Wagner cobrou falta e Fabiano Eller concluiu de cabeça por cima.

Aos 13min30seg, o técnico Muricy Ramalho colocou mais força no ataque retirando Danilo e Richarlyson e colocando Lenílson e Tiago. Mas foi o Inter quem marcou mais um gol. Aos 20min40seg, Ceará cruzou para a área, Fernandão cabeceou, Rogério Ceni fez grande defesa. No rebote, o próprio Fernandão passou para Tinga, de cabeça, só empurrar pra rede: 2 a 1 e o Gigante da Beira-Rio foi à loucura mais uma vez.


Tinga marcou o gol histórico e foi expulso (Jefferson Bernardes/VIPCOMM)

Mas não havia nada ganho. Pelo contrário, na comemoração Tinga ergueu a camisa do Inter para mostrar uma camiseta branca com dizeres religiosos. O rigoroso árbitro argentino Horácio Elisondo decidiu expulsar Tinga.

E aí lá foi o Inter com um jogador a menos tratar de segurar o resultado. E os jogadores colorados foram guerreiros, lutadores, bravos. O São Paulo se jogou com vários atacantes para cima. E o Inter se defendeu com a sua tradicional alma colorada e gaúcha.

Aos 25min30seg, entrou o atacante Alex Dias e saiu Edcarlos. A equipe paulista passou a erguer a bola para a área e aí Clemer passou a ser protagonista com boas saídas do gol. Nas arquibancadas, a torcida fazia a sua parte vaiando o adversário e empurrando o time na tentativa de impedir a virada do São Paulo.

Aos 31min, Tiago cruzou e Aloísio cabeceou ao lado do gol. Dois minutos depois, Lenílson chutou de fora da área ao lado do gol. Aos 33min40seg, saiu Alex e entrou Michel no Inter. Aos 34min30seg, depois de cruzamento para a área, a bola sobrou para Aloísio que chutou livre ao lado do gol. Que susto!!!

Aos 37min, entrou o zagueiro Ediglê no lugar de Sobis para reforçar a marcação. Aos 39min30seg, Júnior chutou, Clemer não conseguiu segurar e a bola sobrou para Lenílson completar: 2 a 2. E aí vieram os últimos oito minutos dramáticos. Se o time paulista marcasse mais um, a partida iria para a prorrogação.

Aos 44min45seg, Júnior ergueu a bola para a área e Alex Dias cabeceou para grande defesa de Clemer. Defesa salvadora! Aos 46min30seg, Souza arriscou de fora da área no cantinho e Clemer mais uma vez evitou o gol. Defesa histórica!

Depois disso, o Inter se segurou, deu chutões, foi valente e garantiu o título da Copa Libertadores da América. O primeiro título continental de um clube gaúcho no Século 21. O primeiro título continental do Inter. Agora, a equipe parte para o Mundial Interclubes em dezembro no Japão contra os vencedores dos outros continentes, entre eles o Barcelona, o América, do México, e o Auckland.


Jogadores comemoraram intensamente a conquista histórica (Jefferson Bernardes/VIPCOMM)

Depois do final da partida, jogadores, dirigentes, funcionários, torcedores entraram em estado de êxtase. Os jogadores em campo não se cansavam de vibrar e se abraçar e comemorar muito. O atacante Rafael Sobis, criado nas categorias de base do Inter, corria pelo gramado com uma bandeira gigantesca do clube.

E ninguém arredou pé do Beira-Rio. Todos queriam ver o capitão Fernandão erguer a taça mais importante do continente. E isso aconteceu à 0h25min desta quinta-feira. Fernandão ergueu a taça no palanque construído pela organização do evento sob uma linda festa com fogos de artifício. Em seguida, os jogadores partiram para a volta olímpica e deram início ao carnaval colorado em pleno mês de agosto.
 
Internacional (2): Clemer; Índio, Bolívar e Fabiano Eller; Ceará, Edinho, Tinga, Alex (Michel) e Jorge Wagner; Sobis (Ediglê) e Fernandão. Técnico: Abel Braga

São Paulo (2): Rogério Ceni; Fabão, Lugano e Edcarlos (Alex Dias); Souza, Mineiro, Richarlyson (Tiago), Danilo (Lenilson) e Júnior; Leandro e Aloísio. Técnico: Muricy Ramalho.

Gols: Fernandão (I), aos 29min do primeiro tempo, Fabão (SP), aos 5min40seg do segundo tempo, Tinga (I), aos 20min40seg do segundo tempo, Lenílson (SP), aos 39min30seg do segundo tempo. Cartões amarelos: Edinho, Tinga, Alex, Bolívar, Edinho (I), Aloísio (SP). Expulsão: Tinga (I). Público: 57.554 (8.656 pagantes e 43.915 sócios). Renda: R$ 719.365,00. Arbitragem: Horacio Elizondo, auxiliado por Rodolfo Otero e Dario Garcia (trio argentino). Local: Estádio Beira-Rio.


Outras notícias