23/06/2006

ABEL: "VAMOS DAR SANGUE PELO INTER NA LIBERTADORES"

Confira entrevista exclusiva com o técnico Abel Braga. O treinador colorado fala sobre as expectativas para a partida decisiva contra a LDU pela Libertadores da América, os objetivos na intertemporada e o desempenho do Brasil na Copa do Mundo da Alemanha. Clique aqui e confira!

O recesso das competições em virtude da Copa do Mundo foi positivo para o Inter?

A parada foi excepcional. No último mês, antes da Copa do Mundo, tivemos muitos problemas musculares e sentimos o pouco tempo que tivemos para trabalhar na pré-temporada no começo do ano. Apesar de termos colocado diferentes times para atuar nas competições, o desgaste físico e mental foi muito grande ao longo do Gauchão, Libertadores e Brasileirão. Agora vamos tentar aproveitar esta parada da melhor maneira possível.

O que você pretende trabalhar durante a intertemporada?

Quero dar uma ênfase maior à intensidade, mais repetição nos treinos, de modo que simule ao máximo as situações dos jogos nestas atividades. Pelo tipo de cultura tática, pela capacidade individual dos jogadores, nós podemos conseguir coisas mais positivas ainda. Tivemos uma performance excepcional no primeiro semestre que foi reconhecida pela própria FIFA, aos nos colocar entre os seis melhores times do mundo no seu ranking. Mas nós podemos melhorar, fundamentalmente como equipe, tendo um conjunto mais forte. Precisamos sair melhor com a bola e errar menos passes.

Qual será a postura do Inter na partida decisiva contra a LDU?

Os jogadores estão muito confiantes. Faltam cinco jogos para o Inter conquistar o título da Libertadores, e nós vamos jogar nossa alma, cada gota de sangue em campo nestes 450 minutos que restam. Os jogadores querem fazer história neste grande clube que é o Inter. Temos que trabalhar no limite, pois a possibilidade de sermos campeões é grande.

O time que vai enfrentar a LDU será o mesmo que estará em campo contra a Ponte Preta e o Juventude pelo Brasileirão?

Em princípio, o time que atuará diante da Ponte Preta irá enfrentar a LDU. Contra o Juventude devo colocar um time diferente, já que chegou a hora das prioridades. Vai ser o jogo do ano contra a LDU, por isso não posso correr riscos.

Qual a sua análise sobre o desempenho do Brasil na Copa do Mundo da Alemanha?

Esta Copa está sendo bem diferente da anterior (Copa do Mundo da Coréia do Sul e do Japão, em 2002), pois os times estão muito mais preparados. O Brasil se preparou bem e sempre cresce nas horas de exigências. Acredito que não será diferente na Alemanha, já que o Parreira conhece muito bem o potencial de cada jogador do grupo. O único problema é que os brasileiros são muito exigentes e costumam jogar a responsabilidade pelas más atuações em cima de um ou dois jogadores. Isso é inadmissível, até porque o Brasil ainda está buscando o entrosamento ideal para conseguir conquistar o tão sonhado hexacampeonato.

Fotos: Daniel Boucinha


Outras notícias
Loja Virtual