03/06/2003

CONFIRA A PALAVRA DO TÉCNICO

Muricy Ramalho fala sobre o desempenho do Inter na última partida e projeta o confronto com o Criciúma no próximo domingo.

   Vice-líder do Brasileirão, com 22 pontos, o Internacional conseguiu uma bela vitória de 2 a 1 diante do Paysandu, no último sábado, no Beira-Rio. Foram três pontos conquistados através da determinação da equipe colorada, que teve tranqüilidade para virar o placar adverso. Muricy Ramalho fala um pouco do desempenho da sua equipe e projeta o próximo compromisso no campeonato contra o Criciúma, no estádio Heriberto Hulse:

 Que análise o Sr. faz do desempenho do Inter na última partida:

Nós jogamos contra uma equipe complicada, que marcou bem. Mas nosso time foi consciente em campo, lutou até o fim e conseguiu o nosso objetivo que era a vitória. Foi um jogo muito duro que a equipe se portou bem.

Voltaram a aparecer os problemas de ligação do meio-campo com o ataque. Como o Sr. pretende resolvê-los?

Não dá para inventar se você não tem muita ligação por opções. Nosso time é feito dessa maneira, não tem jogadores com esta característica de ligação, tem que arrumar de outra maneira, jogando com velocidade, jogando pelo lado do campo como a gente faz muito. O nosso forte é jogar em velocidade pelo lado.

O Sr. concorda que o Diego está sofrendo excessivamente com a marcação e ficou um pouco escondido nesta partida?

A marcação foi muito dura. Hoje em dia todo mundo marca muito forte, e não só o Diego, mas muitos jogadores que não possuem um físico muito avantajado como ele, sofrem muito com a marcação. Mas isso é uma coisa natural do futebol, já que a badalção em cima do garoto acabou despertando a atenção dos adversários.

E a atuação do Nilmar?

Ele se movimenta bem, mas é um segundo atacante, então a gente se ressente muito de um primeiro atacante que fique fixo na área. Mas ele se movimenta bastante e isso é importante.

Os dois gols surgiram através de bola parada. A cobrança de falta pode se tornar uma arma do Inter?

Em todos os jogos tem muitas faltas e cobranças de escanteios. Nosso time é leve, consegue muitas faltas, então você tem que trabalhar muito isso, porque pode decidir a partida. 

O que o Sr. sabe sobre o Criciúma?

A gente sabe quase tudo, é obrigação nossa. Começamos a ver os teipes do Criciúma, que deve mudar alguma coisa em casa e a gente vai com calma decidir o que é melhor para a gente. Vamos com a postura de marcar forte e conseguir os três pontos.

O zagueiro André Cruz está recuperado de lesão. Ele pode jogar no domingo?

Não sei, nós temos que ir com calma com este jogador. Ele está voltando agora, falta ainda um pouco de ritmo de jogo e a gente vai esperar um pouco.

E os novos contratados, Élder Granja e Júnior?

A gente tem que esperar, eles estão fora de forma. Só o dia que eles estiverem fisicamente aptos a jogar que a gente  vai analisar alguma coisa.

 


Outras notícias
Loja Virtual