10/03/2006

AÇÃO SOCIAL DO INTER DESTACA-SE NO PERÍODO DAS FÉRIAS

A parceria do Programa Social Saci Colorado e Ministério Público promoveu ações sócio-educativas nos meses de janeiro e fevereiro

A semana de 20 a 24 de fevereiro marcou o encerramento de uma série de atividades promovidas pela Fundação de Educação e Cultura do Internacional (FECI), através do Programa Social Saci Colorado e organizações parceiras, junto às escolas localizadas em comunidades carentes de Porto Alegre e entidades assistenciais. Através das ações sócio-educativas do Programa Social Saci Colorado, executado pela empresa Científica Assessoria Empresarial e supervisionado pelo Ministério Público do Trabalho da 4ª Região, foram atendidas crianças, adolescentes e seus familiares. O fortalecimento de parcerias com órgãos públicos, instituições profissionalizantes, ONGs e entidades assistenciais também se destacaram nesse período.

Em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (SMED/PMPA), foram beneficiadas também escolas que se mantiveram abertas à comunidade nos finais de semana, integrando o projeto Escola Aberta. As oficinas ofereceram atividades de lazer, como música, percussão, dança, teatro, hip-hop e também oportunidades de geração de renda, com produção de bijouterias, artesanato em biscuit e culinária alternativa.

Na área de informática, as atividades desenvolvidas desde o ano passado também não tiveram interrupção. Durante o período de férias escolares, alunos carentes da rede municipal de ensino de Porto Alegre tiveram oportunidade de aprender os fundamentos básicos da informática e dicas práticas de uso e solução de problemas.

Selecionados pela SMED, crianças e adolescentes com idade entre 10 e 16 anos participaram das aulas ministradas na sede da FECI, localizada no 2º andar do Gigantinho. O curso de férias totalizou 60 horas/aula, sendo oferecidas turmas pela manhã e tarde, atendendo dois grupos em janeiro e outros dois grupos em fevereiro. Orientados por um professor Técnico em Informática, tiveram acesso a computadores com sistema operacional Windows 98 e softwares de edição de texto, elaboração de planilha e criação de apresentações (Pacote Oppen Office). Os equipamentos utilizados provêm da parceria entre FECI, SERPRO e UNISINOS (Projeto Eu Cidadão).

Oficinas promovem geração de renda em comunidades carentes de Porto Alegre

A confecção de bijouterias e de peças artesanais com a técnica de biscuit transformaram os meses de janeiro e fevereiro em um período de aprendizagem e geração de uma renda extra para famílias de alunos atendidos em comunidades carentes da Capital. As oficinas foram ministradas pelos educadores culturais do Programa Social Saci Colorado, desenvolvido através da Fundação de Educação e Cultura do Internacional (FECI) e da empresa Científica Assessoria Empresarial e supervisionado pelo Ministério Público do Trabalho da 4ª Região.

Na tarde de encerramento da oficina de bijouteria, na Escola Municipal José Loureiro da Silva, no Cristal, o clima era de festa e orgulho pelas peças produzidas, mesclado com a tristeza expressada pelos alunos que se despediam desse curso de verão. Conforme depoimentos dos participantes, os objetivos foram alcançados no sentido de aprendizagem de uma nova atividade e, inclusive, de criação de produtos para a venda nas próprias comunidades.

Na oficina de biscuit, o último dia de aula também foi de encantamento. A mesa de apresentação em uma das salas mostrava o resultado da criatividade e dedicação de participantes das mais diversas idades. O trio formado por mãe, filha e nora não se cansava de comentar sobre os trabalhos diferenciados que buscaram fazer, como a criação de um quadro utilizando uma telha como base e um cesto de frutas envernizado, assim como as encomendas de vidros enfeitados e de lembrancinhas.

A artesã Sônia Borba, 48 anos e há 20 produzindo trabalhos com material reciclado, decidiu aproveitar a oficina oferecida na escola Loureiro da Silva durante o período de férias escolares para desenvolver sua criatividade e aprender a técnica do biscuit. ?A nossa casa está toda enfeitada e estamos nos organizando para dar conta das encomendas recebidas?, enfatiza Sônia, que incentivou a participação da filha, Karen Borba de Souza, 15, e da nora, Michelle Caroline Santos de Souza, 23. As duas novas artesãs se mostravam empolgadas com o resultado dos primeiros trabalhos e planejam a continuidade do aprendizado.


Outras notícias
Loja Virtual