29/09/2005

INTER ELIMINA ARGENTINOS DO ROSARIO CENTRAL


Inter, de Rafael Sobis, está classificado às quartas-de-final da Copa Sul-Americana

Em uma partida muito disputada digna dos tradicionais confrontos entre brasileiros e argentinos, o Internacional empatou com o Rosario Central em 1 a 1 e avançou para as quartas-de-finais da Copa Sul-Americana. Jorge Wagner marcou o gol colorado, de pênalti. Rivarola empatou para o Rosario. Como o time colorado venceu por 1 a 0 em Rosário, conseguiu a classificação. Agora, o Inter enfrenta o Boca Juniors com a primeira partida sendo disputada no Beira-Rio, e o confronto de volta na Argentina.

O jogo

O Inter foi a campo sem poupar ninguém. A defesa foi formada por Índio, Edinho e Ediglê. O quinteto titular do meio-campo com Granja, Gavilán, Tinga, Perdigão e Jorge Wagner também começou a partida. Na frente, Rafael Sobis e Gustavo, no lugar de Rentería, que não pôde atuar porque não está inscrito na Copa Sul-Americana.

O primeiro tempo foi muito difícil para o Inter. Apesar da necessidade de vitória para se classificar, o time argentino se manteve com todos os jogadores atrás, quando não tinha a posse de bola. A boa marcação argentina e a grande quantidade de jogadores na defesa deixaram poucos espaços para o Inter. Logo, as chances de gol foram raras.

Aos 7min30seg, Rafael Sobis, em bonita jogada, arrancou pelo meio, ultrapassando três adversários até ser derrubado na entrada da área. Na cobrança da falta, um minuto depois, o chute de Jorge Wagner passou perto.


Gustavo cabeceia sob forte marcação argentina

O técnico Muricy Ramalho teve que modificar a equipe cedo. Aos 14min, Bolívar entrou no lugar de Índio, que saiu lesionado. Um minuto mais tarde, o lateral-direito Moreira deu bom passe para Emiliano Papa na área chutar e a zaga colorada salvar para escanteio.

Os argentinos ameaçaram de novo aos 24min30seg, quando Rivarola matou a bola no peito e chutou na entrada da área ao lado do gol. Aos 30min50seg, novamente o lateral-esquerdo Rivarola cruzou com perigo. Clemer salvou com boa saída do gol.

A melhor chance da primeira etapa foi do Inter. Aos 37min, Gavilán deu grande passe para Tinga, que avançou até a entrada da área e tentou encobrir o goleiro Ojeda. A bola passou muito perto da goleira.


Gavilán (E) e Perdigão (D) brigam pela bola

Nos últimos cinco minutos, o Rosario tentou marcar o gol em jogadas de bola aérea. Aos 40min50seg, Rivarola ergue a bola e Ruben cabeceou muito alto. Aos 44min30seg, Emiliano Papa cobrou escanteio e Villa concluiu de cabeça ao lado da goleira. Foi a última chance do primeiro tempo.

O Inter voltou melhor para a etapa final. Com mais velocidade na troca de passes, o time colorado foi empurrando o Rosario Central para trás. De tanto pressionar, a equipe de Muricy chegou abriu o placar. Aos 6min25seg, Perdigão lançou a bola na área para Gustavo, que foi derrubado por Rivarola: pênalti. Na cobrança, aos 7min50seg, Jorge Wagner chutou no alto e fez 1 a 0. Foi o 16° gol do jogador na temporada e o primeiro na Copa Sul-Americana.


Jorge Wagner está convertendo a cobrança do pênalti

Os argentinos não esmoreceram e chegaram ao empate em seguida. Aos 12min45seg, Moreira foi lançado na linha de fundo e cruzou na medida para Rivarola cabecar forte e empatar.

A partir daí, a partida passou a ficar perigosa. Uma vitória por 2 a 1 daria a vaga ao Rosario. Com isso, os argentinos tentaram pressionar o Inter. Aos 19min, Villa concluiu dentro da área para boa defesa de Clemer. Dois minutos mais tarde, depois de uma confusão na área, a bola sobrou para Ferrari chutou no alto e Clemer fez defesa sensacional.

O Inter respondeu aos 22min30seg, quando Tinga ganhou do zagueiro em jogada de força, entrou na área e chutou para defesa salvadora de Ojeda. Um minuto depois, um bandeirinha denunciou Rivarola para o juiz e o lateral-esquerdo foi expulso. O cartão vermelho gerou confusão: os jogadores do banco de reservas do Rosario invadiram o campo para ofender o juiz e o bandeirinha, Rivarola agrediu um operador de câmera de televisão e teve que ser retirado por um companheiro, e o jogo ficou paralisado por três minutos.


Jogadores do Rosario cercam o árbitro: tradicional catimba argentina esteve presente no Beira-Rio

Com a expulsão, o Inter passou a ter mais espaços para os contra-ataques. E para explorá-los o técnico Muricy Ramalho retirou o meio-campista Perdigão e colocou o atacante Michel em campo. O Rosario Central também modificou o time: saiu Ruben e entrou Vitti.

Aos 33min, Tinga deu grande lançamento para Michel, mas Ojeda salvou em uma saída corajosa do gol. Dois minutos depois, Michel chutou de fora da área para fora.

Os últimos minutos foram dramáticos e empolgantes. Na base da raça, o Rosario erguia bolas na área e buscava o gol da classificação. O Inter respondia com muita marcação, força, garra e  contra-ataques perigosíssimos. Para dar mais emoção ainda, o juiz uruguaio Martin Vasquez concedeu sete minutos de acréscimos. Aos 42min20seg, Jorge Wagner lançou para Tinga, que entrou na área e chutou no corpo de um zagueiro. No rebote, Michel concluiu para nova defesa do goleiro.


Ediglê afasta: Inter suportou a pressão argentina e ficou com a vaga

Aos 45min50seg, um susto para a torcida colorada. Depois de cobrança de escanteio, a bola sobrou para Cálgaro chutar no poste. Aos 47min30seg, Clemer salvou nos pés de Fassi, depois de confusão na área. Um minuto depois, o árbitro expulsou Fassi, do Rosario, e Gavilán, do Inter.

Nos últimos três minutos, o Inter quase marcou o gol da vitória com Jorge Wagner. Aos 50min30seg, o ala chutou de fora da área ao lado do gol. E aos 52min, Jorge Wagner recebeu na área e colocou por cima. Foi o último lance da partida. E tão logo o juiz encerrou o jogo, os quase 30 mil colorados presentes comemoraram muito a vaga conquistada com muita garra.

?Foi uma guerra. Valeu pelo resultado e classificação?, afirmou o presidente Fernando Carvalho, depois da partida.

?Os argentinos vieram para cima, mas nós conseguimos a classificação. Isso é o que importa?, festejou o vice-presidente de futebol, Vitório Piffero.

"Sabíamos que este jogo seria uma 'pedreira', mas nosso time soube suportar a pressão", afirmou o técnico Muricy Ramalho.

Internacional (1): Clemer; Índio (Bolívar), Edinho e Ediglê; Elder Granja, Gavilan, Tinga, Perdigão (Michel) e Jorge Wagner; Rafael Sobis e Gustavo (Wellington). Técnico: Muricy Ramalho.

Rosario Central (1): Ojeda; Moreira, Raldes, Fassi e Rivarola; Ferrari, Calgaro, Andrés Díaz (Roman Díaz) e Papa; Villa (Alemanno) e Ruben (Vitti). Técnico: Ariel Cuffaro Russo.

Gols: Jorge Wagner (I), aos 7min50seg do segundo tempo, Rivarola (RC), aos 12min45seg do segundo tempo. Expulsões: Rivarola, Fassi (RC) e Gavilán (I). Cartões amarelos: Gavilán, Edinho, Tinga (I), Andrés Díaz, Ferrari, Fassi, Rivarola, Calgaro (RC). Renda: R$ 202.558,00. Público: 27.807 (24.320 pagantes). Arbitragem: Martín Vázquez (URU), auxiliado por Olivier Viera (URU) e Edgardo Acosta (URU). Local: Estádio Beira-Rio.

Fotos: Daniel Boucinha


Outras notícias
Loja Virtual