16/08/2013

América vermelha: primeiro título da Libertadores completa 7 anos

Inter foi conquistou pela primeira vez o principal título da América em 2006

Um dia sem fim. Assim é lembrado o 16 de agosto de 2006 pela torcida colorada. Nesta data, o Inter alcançou um feito até então inédito na sua história: a conquista da 
Libertadores da América. Clique aqui e relembre os detalhes deste triunfo!

Expectativa da torcida

A mobilização da nação colorada foi gigantesca para o duelo decisivo com o São Paulo. Na noite da véspera da partida, centenas de torcedores já se aglomeravam no entorno do Beira-Rio, tamanha era a ansiedade por garantir um bom lugar na partida histórica. À medida que as horas avançavam, a expectativa crescia entre os colorados. O cobiçado título estava mais próximo do que nunca, ainda mais após a vitória de 2 a 1 no Morumbi que assegurava a vantagem do empate.

Quando o relógio marcou 22h e a bola estava no centro do gramado aguardando pelo toque inicial, o Gigante estava em ebulição: os sinalizadores, os cânticos e a pulsação da torcida criaram uma atmosfera que envolveu os jogadores no gramado. Com um pequeno atraso em função da fumaça que pairava sobre o campo, o confronto mais aguardado dos 97 anos do Clube começou.

Finalíssima dramática

Com os nervos à flor da pele, cada lance era acompanhado com muita tensão pelos torcedores. Nada podia dar errado. Aos 29min, Fernandão venceu o goleiro Rogério Ceni e fez 1 a 0 no placar. A alegria transbordava das arquibancadas! A América começava a ser pintada de vermelho! No comecinho do segundo tempo, Fabão igualou para o São Paulo. Porém, aos 20min, Fernandão cruzou e Tinga empurrou a bola com a cabeça para o fundo do gol: 2 a 1!

O nervosimo dava lugar para a alegria incontida pela proximidade da inédita conquista. Em meio à comemoração do gol, Tinga levantou a camisa para exibir uma mensagem religiosa e foi expulso pelo árbitro. A partir de então eram 10 colorados contra 11 são-paulinos.

Foto histórica: grupo campeão da Libertadores da América de 2006

Para tornar ainda mais drámatico o final do jogo, Lenilson empatou novamente, aos 39min. O Inter não poderia sofrer mais um gol. Precisava segurar, ao menos, o empate em 2 a 2. Foi então que a fé de cada um dos mais de 57 mil colorados presentes no Beira-Rio, a garra dos jogadores e a atuação memorável do goleiro Clemer fizeram a diferença. O Inter se fechou e garantiu que a taça mais importante do continente sul-americano não saísse mais do Gigante.

Emoção toma conta do Gigante

O sonho virou realidade! As lembranças do capitão Fernandão erguendo o troféu sobre a cabeça, a volta olímpica e a alegria emocionada dos jogadores nos braços dos não menos comovidos torcedores seguem vivas e intensas. É uma alegria que não arrefece. Não há colorado que se canse de rememorar glória tão absoluta. De fato, para os colorados, o dia 16 de agosto de 2006 não teve fim!


Outras notícias
Loja Virtual