11/05/2013

Alegre e motivado, Índio comenta retorno ao grupo

Índio concedeu entrevista neste sábado (Foto: Rafael Antoniutti | TXT Assessoria)

Recuperado da lesão no joelho direito que o afastou dos gramados desde fevereiro, Índio está pronto para reforçar o Inter novamente. À disposição do técnico Dunga, o zagueiro treina normalmente com o grupo e pode reforçar a equipe colorada nos próximos desafios da temporada 2013.

Na manhã deste sábado, após novo trabalho preparatório ao confronto de volta com o Santa Cruz, pela segunda fase da Copa do Brasil, o defensor de 38 anos concedeu entrevista à imprensa no CT do Parque Gigante. Em coletiva, destacou a superação demonstrada no período longe dos campos e a alegria por agora retomar as atividades com os colegas. Confira os trechos abaixo.

Retorno ao grupo

– A parada foi mais um momento que tive de superar. Sempre fiz isso ao longo da minha vida. E também tenho aprendido bastante com o professor Dunga, uma pessoa muito vitoriosa, que cobra concentração e foco. Estou neste perfil e feliz por voltar, depois de um tempo afastado por causa da lesão. Retorno alegre e motivado. Meu pensamento é o de trabalhar focado, o mesmo desde que cheguei aqui. Procuro fazer isso durante a semana. Se for solicitado a ajudar, vou buscar dar o melhor e me entregar ao time. Nesse tempo todo de Inter, nunca pensei no eu apenas, mas no grupo. Respeito a todos e faço o meu trabalho.

Recuperação

– O trabalho com o professor Élio Carravetta (coordenador de preparação física) foi muito importante, assim como com o professor Paixão. Sempre procuro superar e tirar forças a cada dia, para treinar com alegria. Pretendo seguir assim por mais alguns anos na minha carreira. A partir do momento em que não conseguir mais fazer aquilo que é programado e trabalhado na semana, vou notar que é hora de parar. Mas agora me sinto muito bem para cumprir com isso.

Motivação para seguir em alto nível

– Isso vem de dentro, quando se faz as coisas com alegria, determinação e querendo superar até mesmo a si próprio. Essa gana de vencer sempre tive desde pequeno e é o que dá sequência ao meu trabalho. Hoje, por exemplo, a gente vê o Zé Roberto em um momento especial, e outros que atuam há tanto tempo, como o Rogério Ceni, o Dida, o Rivaldo. Claro que na vida nunca se consegue agradar a todo mundo. O importante é ter fé em Deus, correr atrás dos sonhos e ter pensamento de vitória.

Título gaúcho

– Estou feliz por mais um título desse grupo vitorioso. Continuo com a ambição e o desejo de conquistar mais. Vamos seguir trabalhando focados.


Outras notícias
Loja Virtual