07/07/2012

Forlán: ''Quero estrear o quanto antes''

Pouco depois de desembarcar em Porto Alegre, o atacante Forlán concedeu uma entrevista coletiva no Hotel Millenium. Recebeu a camiseta número 7 que irá vestir a partir de agora das mãos de Valdomiro, ídolo da década de 1970, e posou para muitas fotos junto ao vice-presidente de futebol Luciano Davi e ao diretor técnico Fernandão.

"Fui muito feliz com esta camisa. Sei que você vai honrá-la e marcar muitos gols. Tenho certeza de que seremos campeões brasileiros. No final do ano, quero estar aqui te passando a faixa de campeão", disse Valdomiro.


Valdomiro (E) entregou a lendária camisa 7 para Forlán

> Fotos da chegada de Forlán

> Torcida faz festa no aeroporto

> Um dos maiores atacantes do Uruguai

Eleito o melhor jogador da Copa do Mundo de 2010, o uruguaio de 33 anos respondeu a uma série de perguntas e falou sobre sua expectativa de defender o Campeão de Tudo pelos próximos três anos. Confira os principais trechos:

Recepção calorosa
"A recepção foi incrível. Nunca pensei que pudesse chegar no aeroporto e ter todo este carinho. Foi uma coisa nova para mim. Nunca pensei que a torcida me receberia assim. Foi uma experiência nova e espetacular. Quero agraceder ao torcedor, ao Luciano Davi, ao Fernandão e ao Jorge Baideck (seu empresário), que fizeram um grande esforoço para concretizar a negociação. Eles (Fernandão e Luciano Davi) foram ao Uruguai e foi uma situação importante, porque eu vi a vontade do Inter pelo meu futebol. E aqui estamos."

Coincidências com o número 7
"Joguei com o número sete no Atlético de Madrid e sempre gostei muito. Quando peguei o voo em São Paulo a porta tinha o número sete. Hoje é dia sete, do mês sete. Tomara que sejam coincidências positivas."

Feliz por estar no Brasil
"Para a família Forlán, o Brasil é um país que temos muito carinho. Sempre tive vontade de vir aqui. Estou feliz por estar aqui, em um clube muito grande. Estou perto de casa, e isso depois de dez anos é muito importante. É a primeira vez que a família está na minha apresentação."

Conversa com D’Ale
"O D'Alessandro me ligou na sexta-feira. Joguei muitas vezes contra ele. O D'Alessandro falou que tem vontade de atuar junto comigo e eu também tenho essa vontade de jogar ao lado dele. Com o Guiñazu não falei, mas joguei com ele no Independiente, da Argentina. Os dois são grandes ídolos do Inter."

Vontade de estrear logo
"É a primeira vez que jogo no Brasil. Sempre vejo jogos. E para um jogador que gosta de jogar, todas as partidas são importantes. Começo a treinar na próxima semana e tenho que estar bem para fazer logo a estreia."


Forlán agora vive expectativa pela estreia com a camisa 7 do Inter

Posição de preferência
"Sou atacante. Gosto demais de jogar como atacante. O Inter já tem jogadores como Oscar e D’Ale, que jogam atrás. Prefiro jogar um pouco mais adiantado."

O melhor jogador da Copa de 2010. É possível esperar este nível de futebol?
"Sempre tenho a esperança de fazer boas apresentações e ser esse jogador que eu sei que posso ser."

Contratação de estrangeiros para o futebol brasileiro
"Tomara que no Uruguai se possa fazer isso. Penso que o futebol brasileiro é muito bom. Todos jogadores sempre gostaram de jogar no Brasil. Agora, com tudo isso (Copa do Mundo e Copa das Confederações), os jogadores tem muita vontade de jogar aqui. Nos últimos anos os clubes brasileiros ganharam a Libertadores e estão jogando muito bem."

Rivalidade Gre-nal
"Já me disseram que o Gre-Nal é muito forte aqui. No Brasil é um dos clássicos mais fortes. Sempre é bonito jogar, ter uma rivalidade assim. Espero ganhar sempre, assim como todo o torcedor e jogador."

Competição sadia no ataque
"O Inter tem grandes jogadores. É boa a competição pela titularidade."

Retorno à América
"Volto com muito mais experiência e com muita gana para jogar. Com o tempo se conhece mais o futebol e se tem a experiência de saber o que se pode fazer e o que não pode fazer. Meu pai (Pablo Forlán) jogou aqui no futebol brasileiro (Cruzeiro) e sempre foi um sonho da família a oportunidade de jogar no Brasil."

Conquista do Brasileirão
"Sei que são 33 anos sem ganhar o Brasileirão, exatamente a minha idade. É outra casualidade. Gosto de ganhar tudo: o Campeonato Brasileiro, a Libertadores, o Campeonato Mundial... Vim para conquistar títulos. Todos os campeonatos são dificeis. Conheço o Brasileirão como espectador. Prefiro não esperar nada e conhecer no campo. Sei que tem times fortes e aguerridos."

Peso do desafio
"A pressão não é uma palavra que eu use. Tenho que fazer o melhor, fazer bem, trabalhar, ser mais um no grupo e retribuir a confiança que os dirigentes apostaram com a minha contratação."

Por que escolher o Inter?
"O motivo principal é que nos últimos anos o time esta ganhando tudo e vai continuar a ganhar. Para todo jogador isso é importante. Um time grande e uma boa cidade. Isso é suficiente."


Outras notícias
Loja Virtual