02/02/2012

Destaques da classificação na Colômbia

Por Alexandre Corrêa (texto) e Alexandre Lops (fotos)
De Manizales

Oscar sensacional

Por um dos caprichos do futebol, o garoto Oscar não marcou o seu gol. Poucas vezes um jogador merecia tanto fazer o seu quanto o meia-atacante. Oscar deu show em Manizales. Driblou, passou, marcou, chutou, cruzou, deixou os companheiros em condições de gol, sempre com grande qualidade. No segundo tempo, quando os colombianos se atiraram de vez ao ataque, escalando até quatro atacantes, Oscar deitou e rolou com os espaços para o contra-ataque. Com tamanha atuação, só mesmo os caprichos do futebol deixaram Oscar sair de campo sem o seu gol.

A surpresa Tinga

Sem Dagoberto, ainda se recuperando de lesão no tornozelo, o técnico Dorival Júnior escalou Tinga. E o polivalente meio-campista teve atuação decisiva. No primeiro tempo, surpreendeu o time da casa com sua movimentação e penetração na área. Marcou o segundo gol, em sua jogada característica, e teve outras oportunidades.


Tinga teve grande atuação na Colômbia

Na etapa final, cumpriu uma função mais defensiva, na linha de três volantes, e ajudou a segurar o ímpeto do Once Caldas. Experiente, ainda ganhou preciosos segundos quando saiu de campo lentamente, irritando e desconcentrando os colombianos.

Índio, uma muralha

Difícil encontrar uma jogada na qual Índio tenha sido batido nesta partida. O zagueiro banhou todas, por cima, por baixo, antecipando, desarmando, cortando de cabeça. Começo de temporada? Pouco tempo de trabalho físico? Que nada. O defensor atuou como se tivesse 20 anos, no auge da forma atlética, e liderou a defesa colorada na classificação à próxima fase da Copa Libertadores.

D'Ale, o dono da bola

D'Alessandro é dos poucos jogadores do futebol mundial que podem surpreender a qualquer instante. O Once Caldas vencia o jogo, procurava pressionar, quando a bola caiu nos pés do argentino na intermediária. Com um passe genial, um toque apenas, acabou com a linha de zagueiros, e deixou Oscar de frente para o gol para sofrer o pênalti. Na cobrança, tirou o goleiro da foto.


D'Alessandro foi mais uma vez decisivo com a camisa colorada

No lance do segundo gol, D'Ale começou um contra-ataque com calma impressionante. Havia espaço para a arrancada, mas o argentino preferiu conduzir a bola calmamente, trocar passes até que Tinga completasse para o gol. D'Alessando parece que sabe que o gol vai sair. Não tem pressa, não se afoba. É o dono da bola no meio-campo colorado.

Reservas entram bem

O time sabia que sentiria um pouco a parte física diante da altitude e do começo da temporada. Precisaria mais do que nunca então do oxigênio dos jogadores que estavam no banco, durante a partida. O primeiro a entrar foi Elton que demonstrou muita firmeza na marcação. Em seguida, Dagoberto foi a campo e se tornou a principal jogada de velocidade, quase marcando um gol. Por fim, Fabrício entrou para carregar a bola pro ataque com sua velocidade e também foi importante nos instantes finais. É mai uma prova do grupo qualificado que o Inter montou para 2012.

Um time de personalidade

Sofrer um pênalti com um minuto de partida, fora de casa, em jogo decisivo tem o poder de desequilibrar muitos times. Mas o Inter definitivamente não é um time comum. Com muita personalidade, tratou de botar a bola no chão, tocar a bola e virar o jogo com uma naturalidade impressionante. Não é a toa que se trata do campeão de tudo.

Sacrifício dos atletas

Nei e Dagoberto foram a campo em nome do grupo. Os dois jogadores tiveram muito pouco tempo de recuperação, fizeram sessões extras de fisioterapia, trabalharam duro e conseguiram reunir condições de jogo. Fizeram a sua parte. Depois da partida, o craque D'Alessandro e o técnico Dorival Júnior homenagearam o trabalho dos fisioterapeutas do clube e saudaram também a força de vontade dos dois atletas.

Torcida presente

Entre os 18.250 presentes, cerca de 100 colorados fizeram a sua parte, apoiando o Inter. Os heróis que atravessaram a América para torcer pelo Inter tiveram o seu prêmio com a classificação.


Colorados marcaram presença no Estádio Palogrande, em Manizales

Aeroporto fechado

Depois do jogo, o Inter teve o seu voo atrasado porque o aeroporto de Pereira fechou e só iria reabrir na manhã do dia seguinte. Com isso, o time teve sua chegada a Porto Alegre retardada. A previsão de chegada é para as 17h desta quinta-feira.

Treino na sexta

Pelo atraso no retorno, o grupo só volta aos trabalhos na sexta à tarde.


Outras notícias
Loja Virtual