31/05/2011

Kleber confiante na força do grupo

Um time calejado, acostumado com vitórias e pressões contrárias. O Internacional busca reabilitação diante do América-MG, fora de casa, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro, e o exemplo de inspiração está logo ali; não faz muito tempo que ocorreu. Kleber tratou de refrescar a memória. “Nós fomos derrotados em casa contra o Grêmio no primeiro jogo da final do Gauchão. Apesar disso, chegamos concentrados ao Olímpico e vencemos o jogo, devolvendo o placar do Beira-Rio. No final, fomos campeões”, destaca o camisa 6 colorado.


Kleber (D) comemora com o grupo mais um título para o Internacional: do Gauchão

Já são 134 jogos com a camisa do Internacional e nove gols marcados. Números que ilustram a vivência que Kleber tem dentro do Clube. Foi apresentado em 2009 como grande reforço e já tem como conquistas, por exemplo, uma Copa Libertadores da América. O momento adverso (com um empate e uma derrota na arrancada do Brasileirão 2011) não deve ser visto de forma tão preocupante segundo ele. “Todo time está sujeito a perder pontos dentro de casa. Cabe a nós atletas recuperarmos estes pontos longe do Beira-Rio e os jogadores aqui sabem disto”, confia.

Estilo garçom

Não são os gols que enriquecem a carreira de Kleber, mas sim o talento de deixar os companheiros em condição de fazê-los. Pelo Inter, logo em sua primeira temporada (2009), foram 19 assistências dele para gols colorados. No ano seguinte, onze. Nas duas vezes, o lateral foi o garçom supremo da equipe de acordo com as estatísticas da Assessoria de Comunicação. Em 2011, a história tende a se repetir. Já são seis pifadas que se transformaram em gols do Internacional, e o ano recém está no seu sexto mês. “Quem veste esta camisa é porque fez por merecer estar aqui no Inter. Todos têm talento e podem ajudar o time nas partidas”, frisa.

Desafio em Campo Grande

O confronto contra o América-MG neste domingo, às 18h30, no estádio Morenão, em Campo Grande-MS, é tratado como jogo de extrema importância para a retomada do time no Brasileirão. “É chegar e brigar por nossa primeira vitória no campeonato. O grupo tem que fazer aquilo que o Falcão pedir para voltar a ser aplaudido por nossa torcida”, concluiu.


Kleber comemora seu único gol em 2011, contra o Jorge Wilstermann, na Bolívia


Outras notícias
Loja Virtual