17/04/2011

Destaques da classificação à semifinal do Gauchão

> Inter vence Santa Cruz na reestreia de Falcão e avança no Gauchão

Damião, sempre ele

Pela 16º vez nesta temporada Leandro Damião marcou pelo Inter, isolando-se na artilharia do Gauchão, com 14 gols. Com a camisa colorada, já são 28 anotados em 48 jogos. O gol da classificação à semifinal evidenciou mais uma vez o seu talento natural de estar sempre posicionado no lugar certo. A bola o encontrou no segundo poste, onde o camisa 9 foi decisivo. Na comemoração, fez um movimento com os braços imitando um pássaro, ou melhor, um falcão, em alusão ao novo treinador. Logo depois, abraçou o ‘Rei de Roma’.


Damião comemorou seu 16º gol em 2011 junto a Falcão

Andrezinho ‘gastou a bola’

A ausência de Oscar, lesionado, abriu espaço para que o meia-atacante conquistasse a titularidade no time de Falcão. E ele correspondeu à confiança do novo técnico apresentando um excelente futebol na partida decisiva do Gauchão. Andrezinho inseriu-se muito bem no novo esquema tático atuando como se fora um ponteiro-direito, mas também se alternou com D’Alessandro pelo lado esquerdo. As jogadas ofensivas quase sempre passavam pelos seus pés. No lance do gol, avançou com grande velocidade até a linha de fundo antes de dar a assistência perfeita para a conclusão de Damião. Como se costuma dizer na gíria do futebol, Andrezinho 'gastou a bola'. 


Andrezinho fez o passe para o gol e armou as principais jogadas do Inter

D’Alessandro, o cerebral

O meia argentino foi fundamental na vitória sobre o Santa Cruz. D’Ale movimentou-se com intensidade, principalmente pelo lado esquerdo do campo, onde deu trabalho aos marcadores. Fez boas inversões de jogo e lançamentos com precisão cirúrgica, como o que originou o gol da vitória. O camisa 10 percebeu que Andrezinho tinha espaço na ponta-direita e fez um passe na medida para o meia avançar e servir Leandro Damião na área.

Guiñazu e Bolatti implacáveis

A dupla de volantes também brilhou na vitória por 1 a 0. Deu total resguardo aos avanços de D’Alessandro e Andrezinho, compondo com eficiência a linha de quatro no meio-campo que foi treinada durante a semana. E não raras vezes apareceram na frente para concluir. No primeiro tempo, Guiñazu quase fez um belo gol, em um chute de fora da área que passou bem perto da trave. No comecinho do segundo tempo, Bolatti soltou uma pancada, mas a bola desviou na zaga.


Volante Mario Bolatti não deu espaço para o adversário

Defesa compactada

No setor defensivo, Bolívar e Rodrigo, que também ganhou uma chance entre os titulares com a chegada de Falcão, foram firmes na marcação. Destaque também para o posicionamento de Nei e Kleber, que ajudaram a garantir uma defesa sólida ao Inter, e por isso o Santa Cruz não conseguiu ameaçar, tendo criado apenas duas oportunidades em toda a partida.


Zagueiro Rodrigo foi firme na marcação ao lado de Bolívar

Alto poder de finalização

Falcão teve poucos dias para preparar o time, mas o que foi treinado durante a semana foi colocado em prática no jogo deste sábado. Nos seus primeiros trabalhos com o grupo, o técnico deu ênfase às finalizações, cobrando o melhor desempenho possível nos arremates. O resultado foi imediato: o Inter criou, pelos menos, 19 conclusões a gol contra o Santa Cruz. Os jogadores não hesitaram em chutar, principalmente na etapa final, quando o goleiro César teve que se desdobrar para evitar mais gols.


Outras notícias
Loja Virtual