11/12/2010

Inter quer marcar Mazembe sob pressão

Por Felipe Silveira (texto) e Alexandre Lops (foto)
Enviados especiais a Abu Dhabi/Emirados Árabes

“Pressão, pressão, pressão!”. Com esta palavra de ordem, repetida com a intenção de fixar a ideia entre os jogadores, o técnico Celso Roth deu início ao treino coletivo deste sábado, quando a noite recém havia caído sobre Abu Dhabi.  A intenção do Inter é marcar o Mazembe, adversário na semifinal da próxima terça-feira (14/12), sob forte pressão desde a saída de bola adversária, por isso a ênfase no trabalho realizado no CT CT Sultan Bin Zayed Al Nahyan.


Inter segue se preparando forte para a partida de estreia no Mundial

O time respondeu bem ao estímulo e cumpriu com determinação a exigência do treinador. Os jogadores, principalmente os do meio-campo, como Guiñazu, Tinga, Wilson Matias e D’Alessandro, se engajaram em dificultar a ação ofensiva dos reservas. Até mesmo Alecsandro e Rafael Sobis ajudaram na blitz. “Não pode deixar eles passarem do meio-campo”, cobrava Roth. Sempre que roubavam a bola, os titulares também tentavam sair em velocidade para o contra-ataque.

O Inter treinou mais uma vez com Renan; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Wilson Matias, Tinga, Guiñazu e D’Alessandro; Alecsandro e Rafael Sobis.

Ao final do coletivo, de um lado do campo, a maior parte do grupo ficou treinando finalizações em uma das goleiras. Na outra área, os zagueiros fizeram um trabalho específico coordenado pelo auxiliar Beto Ferreira: eles tinham que afastar, com os pés ou com a cabeça, cruzamentos alçados para a área.

O grupo colorado volta às atividades no final da tarde deste domingo, quando Roth fará os últimos ajustes do time que enfrentará os africanos na estreia.


Outras notícias
Loja Virtual