23/05/2010

Brasileirão: derrota para o São Paulo

O Inter acabou perdendo para o São Paulo por 2 a 0 neste domingo, em partida válida pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Hernanes e Fernandão marcaram para os paulistas. A equipe de Fossati lutou até o final, mas não conseguiu reverter o marcador. O próximo adversário agora é o Vasco da Gama, nesta quinta-feira, às 21h, no Rio de Janeiro.

Encontros pré-jogo

A partida não havia começado. Muito menos o Inter tinha ingressado no gramado do Beira-Rio. A torcida colorada vaiou os jogadores do São Paulo que recém saíam do vestiário. Mas na hora de demonstrar consideração e respeito, os colorados se mostraram corretos ao reencontrar o atacante Fernandão. "Uh! Terror! Fernandão é matador!" era o coro que se ouvia das arquibancadas do Gigante. O ídolo eterno do Internacional, campeão da Libertadores e do Mundial Fifa em 2006, agradeceu carinhosamente à ovação.

Além deste encontro, outros tantos demonstraram a importância deste clássico do futebol brasileiro. Miranda cumprimentou Sandro; Hernanes foi dar um abraço em Kléber. Todos jogadores que já vestiram a camisa da Seleção Brasileira. Ainda houve o encontro dos irmãos Alecsandro e Richarlyson. O centroavante, apesar de não sair jogando, ficou no banco de reservas.

A partida

Terminadas as gentilezas, o confronto de Inter e São Paulo começou a 100 km/h. As duas equipes escaladas no 3-5-2 tiveram seus alas como os grandes nomes dos primeiros instantes da etapa inicial. Pelo lado são-paulino, Cicinho e Marlos eram os mais acionados. Já pelo colorado, Glaydson e Everton buscavam criar as chances do Inter. Mas o jogo era equilibrado. E o sistema defensivo de ambos os times não davam brechas aos atacantes.


Walter em ação contra o São Paulo no Beira-Rio

A primeira finalização veio por parte do Inter. Em escanteio batido por Giuliano, aos 21min, Sorondo subiu mais alto para cabecear sem força nas mãos de Rogério Ceni. Oito minutos depois foi a vez de Walter receber lançamento de Sandro e concluir de fora da área para nova defesa do goleiro são-paulino.

Aos 32min, nasceu a blitz colorada. Em lances sequenciais, os atacantes do Inter infernizaram a zaga do São Paulo. Giuliano cobrou escanteio e Walter se meteu no meio de dois defensores para cabecear à direita de Rogério Ceni, que foi obrigado a se esticar todo para espalmar. Na sequência do ataque, Everton driblou Xandão, entrou na área e finalizou forte para nova defesa de Ceni.

Gol de quem não atacava

Apesar do ímpeto do Inter, foi o São Paulo que saiu na frente do placar. E de bola parada. Aos 36, Dagoberto foi derrubado por Glaydson fora da área, em posição frontal ao gol de Abbondanzieri. Hernanes cobrou forte e a bola explodiu na barreira. No rebote, ele mesmo bateu novamente no canto de Pato, 1 a 0.

A vantagem no resultado deu moral aos paulistas. Marlos avançou pela direita, aos 37, e chutou cruzado para fora. Aos 40, foi a vez de Júnior César aproveitar um rebote de dentro da área colorada bater também cruzado pela linha de fundo. O primeiro tempo terminou assim.

Etapa final

As equipes não voltaram com alterações, mas o Inter retornou com muito mais gana. Nem tinham completados os primeiros dez minutos e o time de Fossati demonstrava um ritmo fulminante. Pela direita, Walter e Glaydson causavam problemas à zaga são-paulina. Sandro, por duas vezes, tentou a conclusão de fora da área, levando perigo ao gol de Rogério Ceni.

Mas novamente o São Paulo voltou a marcar. Aos 16min, em um contra-ataque rápido puxado por Dagoberto e Hernanes, Fernandão escorou a bola no cruzamento para marcar o gol, 2 a 0.

Insistência

O Inter não desistiu do jogo e foi ao ataque em busca do gol. O que poderia ter ocorrido aos 21min, caso o árbitro Marcelo de Lima Henrique tivesse marcado pênalti em Giuliano. O meia entrou na área, driblou Alex Silva e foi agarrado pelo marcador do São Paulo. A equipe de Jorge Fossati via mais uma barreira contra si.


Guiñazu buscou auxiliar o ataque colorado

A próxima tentativa veio com uma jogadaça de Kléber aos 29 minutos. O lateral mandou um petardo e Rogério Ceni espalmou em outra grande defesa. O Inter já poderia ter empatado se não fosse a boa atuação do goleiro adversário. Aos 32min, nova oportunidade: D'Alessandro, que havia entrado no lugar de Walter, driblou o zagueiro dentro da área e soltou a bomba. Mais uma vez, Ceni cutucou a bola para fora com as pontas dos dedos.
 
As redes do São Paulo chegaram a balançar, contudo o gol foi anulado. Alecsandro, que tinha entrado na vaga de Sandro, dominou a bola e chutou forte e rasteiro pro fundo da meta de Rogério Ceni. Marcelo de Lima Henrique paralisou o jogo, alegando mão do atacante colorado. O Inter seguiu tentando, mas o confronto terminou assim, 2 a 0 para o São Paulo.

Declarações

"Infelizmente não conseguimos converter as chances que tivemos e eles marcaram", disse Bolívar.

"O time estava bem. Tomamos gols em lances infortúnios. Nós vamos nos recuperar (no Brasileirão)", afirmou o vice de futebol Fernando Carvalho.

"O jogo teve o predomínio do Inter, sendo que no segundo tempo teve domínio total do Inter. Eles maracarm os gols nas poucas chances que tiveram. O time tem todas as qualidades para vencer o São Paulo, independente do resultado de hoje", disse o técnico Jorge Fossati.

Ficha técnica

Internacional (0): Pato Abbondanzieri; Bolivar, Sorondo e Fabiano Eller (Andrezinho); Glaydson, Sandro (Alecsandro), Guiñazu, Giuliano e Kleber; Everton e Walter (D'Alessandro). Técnico Jorge Fossati.

São Paulo (2): Rogério Ceni; Alex Silva, Miranda (Xandão) e Richarlyson; Cicinho, Rodrigo Souto (Jean), Hernanes, Marlos (Jorge Wagner) e Júnior César; Dagoberto e Fernandão. Técnico: Ricardo Gomes.

Gols: Hernanes (S), aos 36 minutos do primeiro tempo. Fernandão (S), aos 16 minutos do segundo tempo.

Arbitragem: Marcelo de Lima Henrique, auxiliado por Hilton Moutinho Rodrigues e Dibert Pedrosa Moises

Cartões amarelos: Richarlyson (S) e Bolívar (I).

Local: Beira-Rio, em Porto Alegre

Público: 28.824 (25.185 pagantes) Renda: R$ 411.055,00


Outras notícias
Loja Virtual