20/05/2010

Inter na semifinal da Libertadores

Por Felipe Silveira e Marcos Bertoncello
Da redação

O Inter conquistou de forma heroica a classificação à semifinal da Libertadores, na noite desta quinta, na Argentina.  O time colorado perdia por 2 a 0 para o Estudiantes até os 43min do segundo tempo, quando Giuliano marcou o gol da classificação, eliminando o atual campeão da América. Como havia vencido por 1 a 0 no Beira-Rio, o resultado serviu para que o Inter ficasse com a vaga. O adversário na semifinal será o São Paulo.

O primeiro jogo da semifinal será disputado somente após a Copa do Mundo da África do Sul, provavelmente no dia 28 de julho, no Beira-Rio. A partida de volta, no Morumbi, deve ser marcada para o dia 4 de agosto. Será a reedição da final da Libertadores de 2006, quando o Inter conquistou o título. Curiosamente, os times se enfrentarão neste domingo, no Gigante, pela terceira rodada do Brasileirão. Em tempo: Chivas, do México, e Universidad de Chile farão a outra semifinal da Libertadores.

De branco, para a história

Assim como foi na final do Mundial Fifa contra o Barcelona, em 2006, o Inter foi a campo no Estádio Centenário, em Quilmes, vestindo seu uniforme todo branco, já que o vermelho predominava na camisa do Estudiantes. E a exemplo de como foi na inesquecível conquista no Japão, mais uma vez o ‘Campeão de Tudo’ fez história com a cor da paz.

O time colorado começou o jogo no esquema 3-6-1. Fabiano Eller foi a novidade na zaga ao lado de Bolívar e Sorondo. Nei e Kleber foram os alas, e Sandro, Guiñazu, D’Alessandro e Andrezinho compuseram o meio-campo. Alecsandro foi o homem de referência no ataque.

Pressão argentina

Embalado por sua torcida, o Estudiantes lançou-se ao ataque nos primeiros minutos. Passada a pressão inicial, o Inter tentou manter o controle do jogo trocando bons passes no meio-campo, o que enervava o time da casa. Aos 4min, Nei cobrou arremesso lateral para a grande área e a bola quicou duas vezes antes do zagueiro Cellay tirar de cabeça. Alecsandro chegava por trás livre para finalizar. Aos 8min, Verón chutou de muito longe e Abbondanzieri segurou com tranquilidade. O time argentino assustou pela primeira vez aos 12min. Verón chutou de fora da área e Abbondanzieri fez grande defesa. Na sequência do lance, Fabiano Eller afastou com um chutão.


D'Alessandro no duelo que definiu um dos semifinalistas da Libertadores

Estudiantes faz 2 a 0

Em dois lances isolados, o Estudiantes conseguiu ficar em vantagem na partida. Aos 19min, Verón fez grande lançamento e Gonzalez tocou na saída de Abondanzieri, por cima, para abrir o placar. O time de La Plata ampliou dois minutos depois, em um chute cruzado de Pérez que acertou o ângulo esquerdo. 2 a 0.

Inter tenta reagir

Aos 29min, Andrezinho tocou para Alecsandro na meia-lua, o atacante dominou a bola no ar e chutou de primeira para defesa de Orión no meio do gol. Aos 35min, Andrezinho triangulou com D'Alessandro e o argentino chutou cruzado. A bola cruzou toda a área e ficou com a defesa argentina.  O Inter cresceu nos minutos finais do primeiro tempo, mas o Estudiantes se fechou com eficiência. Aos 45min, Sandro pegou rebote na entrada da área e chutou com força em cima do zagueiro.


Inter acreditou até o final na busca pela classificação

Segundo tempo nervoso

Apenas o Estudiantes mexeu no time no intervalo, com o lateral Angeleri entrando no lugar do atacante Gonzalez. Cada minuto que passava tornava o jogo mais nervoso para o Inter, que precisava marcar um gol para seguir vivo na Libertadores. O time colorado era valente atrás e tentava chegar com perigo no ataque. Aos 10min, Ré chutou para defesa em dois tempos de Abbondanzieri. Aos 12min, Alecsandro recebeu lançamento e desviou para o gol, porém, o lance foi anulado por impedimento. Aos 16min, Andrezinho cobrou falta da esquerda e Orión espalmou a bola de forma providencial. Na jogada seguinte, Sanches foi lançado na área colorada e Abbondanzieri fez grande defesa com os pés.

O técnico Jorge Fossati fez a primeira alteração aos 22min, quando colocou Walter no lugar de Nei. Aos 24min Verón soltou a pancada e a bola passou muito próxima à trave esquerda. Aos 26min, Sandro experimentou o chute de longe e o goleiro defendeu com segurança.

Perigo na bola parada

O Inter teve boa chance aos 29min, em uma cobrança de falta de Andrezinho que Orión defendeu no cantinho direito. O Estudiantes respondeu com uma paulada de Pérez que passou sobre o gol colorado. Aos 31min Giuliano entrou na vaga de D’Alessandro. Aos 34min, após cobrança de falta, Boselli cabeceou com perigo por cima. O Inter levava muito perigo na bola parada. Aos 35min, Sorondo desviou de cabeça ao lado do gol a cobrança de falta feita por Andrezinho. Aos 43min, Walter recebeu passe de Andrezinho na área e chutou por cima, numa real chance de gol.

Giuliano decide

A torcida argentina já comemorava, mas em meio à espessa nuvem de fumaça provocada pelos sinalizadores acesos nas arquibancadas do Centenário, o Inter conseguiu marcar o gol histórico em Quilmes. Foi aos 43min, quando Giuliano recebeu lançamento milimétrico de Andrezinho pelo lado direito da área e chutou cruzado, na saída de Orión, para marcar o gol da classificação. O grupo colorado -  titulares e banco de reservas - comemorou muito o golpe letal no finalzinho da partida. O Inter garantia a vaga na semifinal diante do São Paulo!


Banco de reservas do Inter vibra com o gol de Giuliano aos 43min da etapa final

Pancadaria

Eliminados e de cabeça quente, assim que o jogo acabou, alguns jogadores do Estudiantes partiram para cima dos jogadores colorados. Com muita dificuldade, o time conseguiu, abaixo de socos e pontapés, chegar até o vestiário. Mas nada mais iria tirar a classificação colorada. Depois de vencer o Estudiantes na final da Copa Sul-Americana de 2008, o Inter foi mais uma vez o algoz do time de La Plata.

"Fico muito feliz e esse meu passe para o Giuliano é fruto do meu trabalho de já três anos no Inter. Formamos um grupo muito forte e o respeito é muito grande. O Giuliano é um cara muito inteligente e provou que é decisivo. Tive a felicidade de fazer a assistência, mas ele teve a frieza de fazer o gol. Mas há de se enaltecer o elenco. O Internacional cresce em decisões", disse Andrezinho.

"Vamos agora dar uma relaxada, porque foi terrível e Libertadores é assim. Vamos trabalhar para melhorar. Gol do Sorondo nos minutos finais. Gol de Giuliano no final também. Repito: não jogamos bem, mas valeu pela classificação. Também não houve chance clara para o Estudiantes, mesmo com o seu domínio. A arbitragem foi ruim, marcou muitas faltas para eles e não para nós. Temos que cuidar agora com o São Paulo, que mostrou evolução na hora que tinha que ser", avaliou o vice de futebol, Fernando Carvalho.
 
"É uma final antecipada. A verdadeira decisão é este jogo contra o São Paulo, com todo respeito aos outros times. Vamos trabalhar este período de folga para não perder a concentração. Temos grandes desafios nessa reta do Brasileirão antes da Copa: o próprio São Paulo, Vasco, Palmeiras, Corinthians. O trabalho não para", completou Fossati.

"Cochilamos três minutos e eles conseguiram fazer os gols. Foi um jogo heroico aqui contra o Estudiantes. Era o atual campeão da América. O problema é que o pessoal espera que, faltando somente um gol para a classificação, eu tenha que pôr mais atacantes. Mas tínhamos que esperar a hora certa de atacar. Tanto é que saiu o gol no finalzinho e impediu qualquer pressão do Estudiantes", falou o técnico Jorge Fossati.

"Foi na garra, ao melhor estilo do Inter. Ganhamos do atual campeão porque acreditamos até o final", comemorou o vice-presidente de serviços especializados e assessor de futebol Roberto Siegmann.

"É um dia de grande festa. Temos 40 dias para consolidar e melhorar nosso time. Não fizemos um grande jogo, mas temos conteúdo para seguir adiante na competição. Agora vem o São Paulo. Está muito parecido com 2006. Mas vamos comemorar e depois trabalhar forte para atingirmos nossos objetivos", afirmou o assessor de futebol, Giovanni Luigi.

"O gol tinha que ser desse jeito. No final. E nos propusemos a fazer isso; estudar o Estudiantes. A comissão técnica está de parabéns por causa disso. Agora é o São Paulo, outra missão muito difícil", avaliou o 1º vice-presidente do Inter, Pedro Affatato.  

"Agradeço a Deus pelo dia de hoje, pelo jogo, por ter entrado no fim, ter tido a oportunidade e de ter sido eficiente. Estou realmente muito feliz. O Andrezinho fez um grande passe. E acho que o Inter foi merecedor da classificação pelo que fez nos dois jogos. Foi sem dúvida o gol mais importante da minha carreira", comemorou Giuliano. 

Estudiantes (2): Orión; Ré, Cellay, Desábato e Rodriguez (Fernandez); Sanchez, Verón, Pérez (Benitez) e Sosa; Gonzalez (Angeleri) e Boselli.Técnico: Alejandro Sabella.

Internacional (1): Abbondanzieri; Bolívar, Sorondo e Fabiano Eller; Nei (Walter), Sandro (Edu), Guiñazu, Andrezinho, D’Alessandro (Giuliano) e Kleber; Alecsandro.Técnico: Jorge Fossati.

Gols: Gonzalez (E), aos 19min do primeiro tempo, Pérez (E), aos 21min do primeiro tempo, Giuliano (I), aos 43min do segundo tempo.

Cartões amarelos: Sandro, D’Alessandro, Guiñazu, Sorondo (I); Veron, Boselli, Sosa (E).

Arbitragem: Óscar Ruiz, auxiliado por Abraham González e Humberto Clavijo (trio colombiano).

Local: Estádio Centenário, em Quilmes, na Argentina.


Outras notícias
Loja Virtual