18/04/2010

Inter é bicampeão da Taça Fábio Koff

A Taça Fábio Koff é nossa! E pela segunda vez! O Internacional venceu o Pelotas de virada por 3 a 2 na tarde deste domingo no Beira-Rio e conquistou o título do segundo turno do Gauchão. Bolívar, Edu e D'Alessandro marcaram os gols colorados em um jogo eletrizante disputado entre as equipes. Clodoaldo anotou os dois para os pelotenses. Em 2009, o Inter já havia conquistado o segundo turno do campeonato.

O placar vitorioso leva o Inter a dois clássicos Gre-Nais para decidir o título do Gauchão 2010. O primeiro duelo regional ocorre no próximo domingo (25/04) no Beira-Rio. O segundo será disputado no Olímpico, no dia 2 de maio.

Primeiro tempo de imposição colorada

Tão quente quanto à tarde ensolarada deste domingo foi a partida do Internacional na decisão de turno contra o Pelotas no Beira-Rio. A equipe de Jorge Fossati iniciou a final da Taça Fábio Koff impondo um forte ritmo dentro de seus domínios. Logo aos 2min, em cobrança de escanteio, Andrezinho achou Taison livre fora da área. O camisa 7 tentou encobrir o goleiro Jônatas, mas a bola acabou saindo. Se na primeira ele criou, na seguinte finalizou: Andrezinho tabelou com Glaydson, aos 7min, e chutou cruzado. A bola passou muito perto e tirou o 'uh' da torcida no Gigante.

O bombardeio colorado seguiu. Desta vez Alecsandro, aos 15 minutos, dominou no peito dentro da área, limpou a marcação e finalizou a gol para grande defesa do goleiro Jônatas. O Pelotas se segurava como podia, até porque a zaga colorada, escalada com três defensores por Fossati, virou uma sólida barreira para os jogadores adversários. O primeiro arremate dos visitante ocorreu somente aos 21, quando Alex Dias chutou por cima, longe da goleira de Pato Abbonanzieri, após passe de Maurinho. O time de Beto Almeida então marcava forte e procurava manter a posse de bola, evitando os ataques do Inter.

Pelotas assusta e marca duas vezes

O escanteio pertencia ao Inter, que pressionava o Pelotas. Porém a equipe do Sul do Estado cortou a jogada colorada e armou rapidamente seu contra-ataque. Clodoaldo foi lançado livre dentro da área e chutou por cima de Abbondanzieri, encobrindo o goleiro colorado e abrindo o placar no Beira-Rio, 1 a 0 Pelotas. O Inter logo tentou dar a resposta. Aos 34min, Alecsandro lançou Taison dentro da área, que, de primeira, buscou o passe para Andrezinho, mas a zaga pelotense rasgou de trás e afastou o perigo. Quando o Internacional crescia na partida, o Pelotas voltou a marcar. Alex Dias avançou pela direita, aos 39min, passou por Sorondo e rolou a bola para Clodoaldo anotar seu segundo gol no jogo, 2 a 0.

No grito de Bolívar, a reação colorada

O placar era desfavorável, mas o Inter não desistiu. Depois de tanto finalizar, o Inter chegou a sua meta. Aos 42, Andrezinho cobrou escanteio aberto e Bolívar, capitão do Inter na tarde de domingo, chegou com raiva para bater forte e estufar a bola no fundo das redes, 2 a 1. Golaço! Era o gol para descontar no resultado e iniciar a reação colorada. Talvez o de empate não tenha saído por causa do pouco tempo restante da etapa inicial. O árbitro Carlos Simon assinalava o final da primeira etapa e a esparança da torcida colorada persistia.

2º tempo da superação

A volta dos jogadores colorados do vestiário para a etapa final já mostrava o foco total da equipe em empatar e virar a partida difícil no Beira-Rio. Todos se reuníram no centro do gramado para mostrar união. A blitz colorada foi iniciada então com Giuliano, que logo aos 4 minutos pegou sobra na área e finalizou para defesa de Jônatas. Aos 9, uma pressão inacreditável: um bate-rebate dentro da área que terminou com corte da zaga pelotense. Mas o técnico Jorge Fossati queria mais. Um minuto depois do lance, o treinador chamou Walter, que entrou no lugar de Giuliano, consolidando o trio ofensivo do Inter com Alecsandro, Taison e Walter. O garoto estava afim de jogo. Na primeira dele, disputou bola com o zagueiro Bruno Salvador e ganhou escanteio.

O Pelotas, sabendo da dificuldade de segurar o Inter no Beira-Rio, buscava catimbar a partida, valorizando cada segundo com a posse de bola, sendo com ela andando ou parada. A primeira chegada mais perigosa do time de Beto Almeida foi aos 19 minutos, quando Dick, novamente em contra-ataque rápido, cruzou para Clodoaldo dentro da área que não alcançou a bola.

Gol de Edu e pressão até o final

Logo que o relógio ultrapassou os 20 minutos da etapa final, Fossati mandou a campo mais duas substituições. D'Alessandro e Edu entraram no lugar de Andrezinho e Taison, respectivamente. Foi o momento que a torcida colorada entendeu o recado e apoiou o time com muita força. O Beira-Rio rugia com cada lance do Inter. E todo esforço dos jogadores e torcedores finalmente se transformou no gol de empate. Aos 29min, justamente as peças colocadas pelo treinador colorado surtiram efeito. D'Alessandro cobrou escanteio e Edu entrou de carrinho para colocar a bola nas redes, 2 a 2. O 'inferno vermelho' estava montado.

D'Alessandro decide

O jogo era de absoluta insistência do Inter na virada. Chances sequenciais davam a impressão que o gol da vitória estava preste a sair. E saiu. Na principal virtude do Pelotas na partida, o Inter chegou lá. Em um contra-ataque rápido, aos 36, Alecsandro dividiu a bola com o goleiro Jônatas e D'Alessandro, no rebote, chutou para o gol e consolidou a virada, 3 a 2. A estrela do argentino brilhou e o Inter colocava a mão na Taça Fábio Koff.


D'Alessandro marca o gol que dá o título do segundo turno do Gauchão ao Inter

E quem esperava uma diminuição do ritmo colorado, se enganou. O time de Fossati continuava atacando. Aos 42, quase que o Inter aumentou o placar. Alecsandro recebeu na área e chutou à queima roupa para defesa milagrosa do goleiro do Pelotas. E o resultado ficou assim: 3 a 2 para o Inter, bicampeão da Taça Fábio Koff.

Entrevistas

"O nosso principal problema do primeiro tempo foi a recuperação da bola diante de um time que jogou no nosso erro. Pela escalação do nosso time, tínhamos que estar bem posicionados sempre. A gente não teve essa ordem no primeiro tempo. Mas temos que valorizar que, no segundo tempo, o time se acertou, a marcação encaixou e o Inter teve todos os merecimentos para conseguir a vitória", avaliou o técnico Jorge Fossati.
 
"O grupo mostrou que é forte e, independendente de quem está jogando, todo mundo está tendo bom desempenho", avaliou Andrezinho.
 
"A torcida nos ajudou muito e tenho certeza que quinta-feira a torcida vai nos ajudar ainda mais", projetou o presidente Vitorio Piffero. 
 
"Primeiro título e estou muito contente. Mas temos que melhorar sempre", avaliou o goleiro Pato Abbondanzieri.
 
"Esse time mostrou que tem garra e conseguiu a virada", disse Kléber.

"Quem me acompanha sabe que estou trabalhando bastante forte para conseguir uma melhor condição física. Estou melhorando e esse gol foi importante para a equipe", disse Edu.
 
"Esse time mostrou que tem muito a crescer", festejou o zagueiro Bolívar.

"É mais um troféu, é mais um título que vamos levantar. Agora temos que pensar na próxima partida", disse Alecsandro.

Ficha do jogo

Internacional (3): Abbondanzieri; Bolívar, Sorondo e Fabiano Eller; Glaydson, Sandro, Giuliano (Walter), Andrezinho (D´Alessandro) e Kléber; Taison (Edu) e Alecsandro. Técnico: Jorge Fossati.

Pelotas (2): Jônatas, Jonas, Bruno Salvador e Jonatas Costa (Mauricio); Maurinho, Gavião, Jucemar, Maicon Sapucaia (Jonatan) e Dick; Alex Dias (Sandro Sotilli) e Clodoaldo. Técnico: Beto Almeida.

Gols: Clodoaldo (P), aos 29min do primeiro tempo, Clodoaldo (P), aos 39min do primeiro tempo. Bolívar (I), aos 42min do primeiro tempo, Edu (I), aos 29min do segundo tempo, D´Alessandro, aos 36min do segundo tempo.

Arbitragem: Carlos Simon, auxiliado por José Eduardo Calza e Vilmar Burini.

Cartões amarelos: Jucemar, Bruno Salvador (P), Fabiano Eller (I).

Local: Beira-Rio

Público: 30.589 (26.823 pagantes) / Renda: R$ 819.770,00


Outras notícias
Loja Virtual